Fernando Machado

Blog

Baile Municipal 2013


As primeiras damas Cristina Mello e Renata Campos (Foto: Tom Cabral)

Aconteceu ontem no Chevrolet Hall o 49º Baile Municipal do Recife, o primeiro depois que o Frevo virou Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade. No comando estavam o prefeito Geraldo Júlio de Mello Filho e a primeira dama Cristina Mello. A prévia, uma das mais importantes do Brasil, ainda tem a influencia do cupim vermelho que ainda está entranhado na atual coordenação.


Roberto Lessa à côté Patricia (Foto: Fernando Machado)

Não é nada fácil fazer um baile com pouco tempo afinal de contas é trabalhoso destronar 12 anos de PT, que aniquilaram nossa cultura trazendo os baianos para animar nossa festa. Claro que a atual geração não gosta de frevo canção, frevo lírico ou frevo de rua, mas temos que ter coragem para recolocá-los nessa atmosfera de glamour. E glamour não combina com a jeunesse dorée. E isso Roberto Lessa teve e não deve se abater com as criticas. Siga em frente. Está indo no caminho certo.


Primeira da de Olinda, Eveline Amaral, Carlos Augusto Lira e Nenen Brennand (Foto: Fernando Machado)

Algumas falhas terão que ser corregidas, e isso Roberto Lessa vai fazer, pois estava atento aos mínimos detalhes. Os intervalos de uma atração para outra não pode ficar com buraco. Deve se investir na prata da casa, sim senhor. Jorge Ben Jor resíduo do famigerado Carnaval Multicultural, foi um Ó. Trazer Claudia Leite, Ivete Sangalo, Margareth Menezes, Maria Gadu, etc, essa tribo já canta o ano inteiro e não tem identificação com nosso carnaval, é um pecado mortal. Todavia esse lundu petista com tempo vai acabando.


A atriz e modelo Rhaysa Batista (Foto: Fernando Machado)

A abertura com Naná Vasconcelos foi sensacional, Maestro Forró e sua Orquestra Popular da Bomba do Hemetério arrasaram. O Coral de Edgard Moraes foi um momento de lirismo. Um momento daqueles carnavais maravilhosos. Um momento onde plagiando Edgard Moraes repito: “Vem meu carnaval / Vem matar as saudades de um folião / Pois a vida sem o frevo é nostalgia / Que fere e maltrata o coração”.


Naná Vasconcelos e Conceição Lacerda, viuva de Alcir com os troféus criados por Rinaldo Silva (Foto: Fernando Machado)

Alceu Valença e Elba Ramalho incendiaram os foliões. O Maestro Spok e sua orquestra foram sensacionais. A orquestra do Maestro Ademir Araujo foi superbe. André Rio, Claudionor Germano, Nena Queiroga, Ed Carlos, Josildo Sá, Marron Brasileiro e Almir Rouche, fizeram um contraponto comme Il fault. E como diria o papa Ibrahim Sued: Os cães ladram e a caravana passa.


O desembargador Mauro Alencar e Claudia (Foto: Fernando Machado)

A decoração deste ano suplantou como deveria ser a de todos os anos. Estava um primor. A equipe do arquiteto Carlos Augusto Lyra caprichou no universo musical de Naná Vasconcelos e nas imagens do fotógrafo Alcir Lacerda, os homenageados, do Baile Municipal. E se alguém disser que não estava é pura lorota. As frisas dos camarotes eram de se tirar o chapéu.


A diva da imprensa pernambucana Jô Mazzarolo (Foto: Fernando Machado)

Na entrada do Chevrolet Hall, os foliões eram recepcionados por orquestras e clubes de Frevo e por Porta-estandarte, Porta-bandeira, Mestre Sala e de Passistas. E não esquecer as figuras enormes de Nana Vasconcelos e Alcir Lacerda reverenciando os que foram prestigiar o baile e ajudar oito entidades, pois a renda será destinada para a Associação Espírita Casa dos Humildes, Creche Nossa Senhora dos Remédios, Lar Rejane Marques, Oratório da Divina Providencia, Casa da Criança Marcelo Asfora, Lar Paulo de Tarso, Sociedade Cristã Assistencial e o Instituto Nossa Senhora de Fátima.


José Barbosa, Cleodon Coelho, Lia Sophia, Marcos Porto e Taisa Fernandes (Foto: Fernando Machado)

0

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.