Fernando Machado

Blog

Pausa Poética

antonio-thomaz-gonzaga

“Eu, Marília, não sou algum vaqueiro, / que viva de guardar alheio gado, / de tosco trato, de expressões grosseiro, / dos frios gelos e dos sóis queimado. Antônio Thomaz Gonzaga (1744/1810)

0

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.