Fernando Machado

Blog

I Bal Masqué do Internacional

Hoje faz 70 anos que o Clube Internacional do Recife, movimentava seu primeiro Bal Masqué na sua nova sede da Rua da Aurora, depois de 20 anos. O retorno deste famoso baile de máscaras se deve a dona Julieta, mulher do presidente João Pereira Borges e ao colunista social do Diário da Noite Altamiro Cunha. A festa à rigor começou meia noite com a execução da Valsa do Clube, composta pelo maestro Carlos Fernandes.

O Clube Internacional do Recife na Rua da Aurora (Foto: Divulgação)

A decoração foi grifada por Gaspar Fuster e teve como tema Uma Noite no Cairo. Essa musica foi tocada pela primeira vez no dia 4 de março de 1905, quando a sede era localizada no Recife Antigo. No baile tivemos a escolha da fantasia mais rica e a mais original. Quem votava era os foliões. A vencedora foi Elza Pessoa de Queiroz, que ganhou um frasco de perfume francês Nuit de Noel, da Caron e uma jóia de ouro encravada com uma água marinha.

Julieta Pereira Borges née Gonçalves de Lima e Elza Pessoa de Queiroz (Fotos: Arquivo e Diário da Noite)

Em 2º lugar ficou Clea Brasileiro. O Jornal Pequeno escreveu que o fato desagradável do I Bal Masqué ficou por conta de dois capangas do secretario de Segurança Publica, Alarico Bezerra que “prendeu um rapaz da melhor sociedade o deixou de cuecas e o colocou no Brasil Novo (prisão)”. O nome da vítima não foi citado. Três dias depois o secretario foi demitido pelo governador Alexandre Barbosa Lima Sobrinho, que estava presente ao Bal Masqué à côté Maria José.

0

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.