Segura a Seringa 2017

Laura Areias uma dama portuguesa com certeza (Foto: Fernando Machado)

Carmen Ferreira da Costa e sua nora Claudia (Foto: Fernando Machado)

Umas 15 mil pessoas foram para o Centro de Convenções de Pernambuco para curtirem a prévia carnavalesca Segura a Seringa 2017, promovida pelo Real Hospital Português do Recife, leia-se o provedor Alberto Ferreira da Costa. O tema da noite era Venha Reviver o Carnaval dos anos trinta, mas com aquelas atrações, a animadora de trio elétrico Ivete Sangalo e a banda Aviões do Forró jamais poderia remeter aos dourados anos 30.

Carlos Augusto Lira e Sheila Wanderley, Mauricio Gama e Liana (Foto: Fernando Machado)

Andrea, Rafael e Margarida Cantarelli (Foto: Fernando Machado)

A decoração era bonita, mas, sem muita criatividade. Podíamos andar por três camarotes: Pierrô, Colombina e Arlequim. No lounge tinha uma entrada para o camarote presidencial, com uma segurança de fazer inveja à Casa Branca. Quando vi muita gente se humilhando para entrar, cai fora. Toda vez que eu ia tirar um “retrato” para o blog do provedor vinha uma puxa saco e o carregava.

Clotilde e Antônio Mario Pinto (Foto: Fernando Machado)

Diego Lêdo, Adriana e Cecilia Bacelar (Foto: Fernando Machado)

Procurei a poderosa Sheila Borges, e ela não me deu a mínima atenção, nem mesmo quando a competente Lucia Bravo disse para ela de quem se tratava. Indaguei quem de quem era o bufê, respondeu, grosseiramente é do próprio hospital e se retirou, alegando que estava muito ocupada. Por isso não posso dizer o cardápio, mas também não eram essas coisas todas não.

Duda Monteiro e Rosana Galvão (Foto: Fernando Machado)

Karla e Álvaro Dantas (Foto: Fernando Machado)

Senti que o provedor Alberto Ferreira da Costa não estava gostando muito daquele aparato como ele. Pois sempre que podia saia do curral vip e ia até os foliões, seus convidados, para um papo. Quero agradecer o carinho que dona Laura Areias me tratou, perguntou se queria entrar bunker. Declinei a sua gentileza e tirou chapéu para sua elegância. Ela sabe que um colunista social precisa ter acesso para poder escrever.

Sandra Cantarelli, Fabiana Melo e Clotilde Sá Leitão Pinto (Foto: Fernando Machado)