Fernando Machado

Blog

Tag pessoas

Paixão de Cristo de Caruaru

Hoje, às 19h, o Monte Bom Jesus, em Caruaru, será palco da encenação da Paixão de Cristo do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos do município. Serão mais de 110 crianças, adolescentes e idosos participando da produção que envolve em torno de 150 pessoas. A coordenação artística é de Rodrigo Martins e a direção de William Smith.

Cristo carregando a cruz para o Calvário (Foto: Jorge Farias)

O espetáculo ao ar livre tem nove cenários onde o público será convidado a acompanhar as encenações das passagens bíblicas de forma itinerante. A Paixão com acesso gratuito para todas as idades. Às 17h, no largo da Igreja de Santa Luzia acontecem apresentações do projeto Arte pra Lua. Obra é baseada nos evangelhos bíblicos de João, Lucas e Mateus.

Cristo na queda sendo observado por Maria e Maria Madalena (Foto: Jorge Farias)

A direção geral e adaptação do texto foi assinada por William Smith, cenários e figurinos Rodrigo Túlio e a coreografia de Edmilson Silva. No elenco temos Lucas Monteiro (Jesus), Iasmin Mirelle (Maria), Stephanie Emilly (Madalena), João Victor (João), Cássio Rodrigues (Pedro), Douglas Júnior (Herodes).

Viva Pomerode!

Ich liebe Pomerode, em língua alemã, significa Eu amo Pomerode. A frase é famosa na cidade mais alemã do Brasil, sendo muito repetida por turistas e moradores – e com razão. O atrativo linguístico é apenas uma das várias possibilidades de genuíno convívio com a cultura outrora herdada dos imigrantes e que faz até hoje parte dos costumes do povo pomerodense.

A animação da Festa Pomerana (Foto: Daniel Zimmermann)

Todos os anos em janeiro, a cidade se torna ainda mais encantadora com toda a tradição germânica da Festa Pomerana, que, em 2019, deverá receber cerca de 80 mil pessoas entre os dias 9 e 21 de janeiro. No período, a pequena Alemanha irá comemorar 60 anos de emancipação político-administrativa, marcando uma edição especial dos festejos. A contagem já está regressiva para o início da programação repleta de atrações, em 13 dias de muita alegria.

Maria Raquel: Miss Brasil de 1965 

Sandra Rosa, Maria Raquel de Andrade e Berenice Lundardi (Foto: Manchete)

Sandra, Berenice, Marilena, Maria Raquel, Rosemary, Solange, Ilce e Marilda (Foto: Divulgação)

Há 53 anos, 40 mil pessoas testemunhavam, no Maracanãzinho, no Rio de Janeiro, Maria Raquel de Andrade, da Guanabara, ser eleita Miss Brasil 1965. A vencedora foi vaiada por quase 10 minutos, foi coroada pela Miss Brasil de 1964, Ângela Teresa Vasconcelos, do Paraná. Maria Raquel tinha 1m70 de altura, 90cm de busto e quadris, 56cm de coxa e 21cm de tornozelos. Em 2ª lugar ficou Sandra Penno Rosa (SP), e em 3º Berenice de Oliveira (MG).

Adail Franco, Mary Grace Oiticica Bandeira e  Jane Barbosa (Foto: O Cruzeiro)

Marilda Mascarenhas, Suely Tavares e Iassodara Cavalcante (Foto: O Cruzeiro)

O júri foi presidido pela escritora Dinah Silveira de Queiroz e contou ainda com a participação de Oscar Santamaria, Evandro Castro Lima, Claude Berr, Altamiro Rocha de Oliveira, Augusta Teixeira, Pomona Politis e Alberto DinesIlce Hasselmann, do Estado do Rio foi eleita Miss Simpatia e Miss Fotogenia. A favorita Marilene de Oliveira Miss Mato Grosso, ficou no quarto lugar e ganhou o prêmio de Melhor Traje Típico. Os apresentadores foram Paulo Max e Marly Bueno.

Solange Leão, Ilce Ione Hasselamnn, e Maria Aparecida Silva (Foto: O Cruzeiro)

Glauciene de Souza, Cleide Pedrosa e Rosemary Raduhy (Foto: O Cruzeiro)

O Top 8 foi formado por Marilda Mascarenhas (Bahia), Solange Leão (Espírito Santo), Ilce Ione Hasselmann (Estado Rio), Maria Raquel de Andrade (Guanabara), Marilena de Oliveira (Mato Grosso), Berenice Lunardi (Minas Gerais), Rosemary Raduhy (Paraná) e Sandra Penno Rosa (São Paulo). A Miss Espírito Santo era a mais alta com 1m70 e a Miss Sergipe a mais baixa com 1m62. A Miss Pernambuco tinha o maior busto 0,94cm, e as misses Mato Grosso e Alagoas os maiores quadris 0,96cm.

Alda Maria Simonette, Maria Graça Melo e Laurinete Bezerra (Foto: O Cruzeiro)

Tania Luppi, Aurian Chaves e Ana Maria Rocha (Foto: O Cruzeiro)

As 25 concorrentes foram Adail Franco (Acre), Mary Grace Oiticica Bandeira (Alagoas), Jane Fátima Barbosa (Amazonas), Marilda Mascarenhas (Bahia), Suely Tavares (Brasília), Iassodara Cavalcante (Ceará), Ilce Ione Hasselmann (Estado do Rio), Solange Leão (Espírito Santo), Maria Aparecida Silva (Goiás), Maria Raquel de Andrade (Guanabara), Sônia Maria Malta Mendes (Maranhão), Marilena de Oliveira Lima (Mato Grosso).

Sônia Pinho, Sandra Rosa e Maria Luiza Vieira da Cruz (Foto: O Cruzeiro)

Sonia Malta Mendes, Marilena de Oliveira Lima e  Berenice Lunardi (Foto: Cruzeiro)

Ainda Berenice Lunardi (Minas Gerais), Glauciene de Souza (Pará), Cleide Lira Pedrosa (Paraíba), Rosemary Raduhy (Paraná), Alda Maria Simonetti Maia (Pernambuco), Maria da Graça Melo (Piauí), Laurinete Bezerra (Rio Grande do Norte), Tânia Lupi (Rio Grande do Sul), Aurian Chaves (Rondônia), Ana Maria Rocha (Roraima), Sônia Maria Pinho (Santa Catarina), Sandra Penno Rosa (São Paulo) e Maria Luiza Vieira Cruz (Sergipe).

Maria Raquel de Andrade, Sandra Rosa, Berenice Lunardi e Marilena de Oliveira Lima (Fotos: Fatos & Fotos / O Cruzeiro)

Maria Raquel na capa de O Cruzeiro e na capa da Manchete sendo coroada por Ângela Vasconcelos

Ieda Vargas: Miss Brasil de 1963

Há 55 anos que a minha amiga, a gaúcha, Ieda Maria Vargas era eleita no Ginásio do Maracanãzinho, no Rio de Janeiro, diante de um público estimado em 30 mil pessoas, Miss Brasil de 1963. A nova Miss Brasil que foi coroada pela baiana Maria Olivia Rebouças Cavalcanti, Miss Brasil de 1962. Em tempo: Ieda Maria Vargas foi eleita Miss Universo 1963, em Miami. O blog vai escrever tudo sobre o concurso no blog do próximo dia 20 de julho.

Maria Olivia Rebouças coroando Ieda Vargas (Foto: O Cruzeiro)

Na foto oficial aparecem 21 das 25 candidatas (Foto: Face)

Primeiro as 25 misses desfilaram em trajes típicos, a uma inovação do concurso, que depois virou um dos momentos mais ridículos, pois as misses começaram a surgir com verdadeiras alegorias, fugindo do tema. O de Ieda Maria Vargas foi escolhido o mais bonito. O Exaltação aos Pampas era realmente deslumbrante, foi criado pelo figurinista gaúcho Djalma Santos. Depois as candidatas ao título desfilaram de traje de noite e finalmente em traje de banho.

O Top 3: Tania, Ieda e Vera, além de Ieda Vargas no trono (Fotos: O Cruzeiro)

Ieda Vargas de maiô, traje típico e traje de baile (Fotos: O Cruzeiro e Manchete)

A comissão julgadora, foi presidida pelo Ministro Mauro Sales, e contou ainda com a participação da Miss Brasil de 1957 Teresinha Morango Pittiliani, da Miss Brasil de 1959 Vera Ribeiro Sêco Esmeraldino, o escultor Leão Veloso, os jornalistas Accioly Neto, Jacinto de Thormes e Justino Martins, o secretário de Turismo Vitor Bouças, a senhora Edda Lutti e o arquiteto Sérgio Bernardes.

Ieda Maria Vargas desfilando sua elegância montada num cavalo (Foto: O Cruzeiro)

Participaram do concurso 25 candidatas: Maria Cristina Laport  (Acre), Teresinha Binas (Alagoas),  Thêmis Kohler da Cunha  (Amapá), Fátima das Neves Silva (Amazonas), Jerusa Sampaio da Silva (Bahia), Denise Rocha de Almeida (Brasília),  Vera Maria Barros Maia (Ceará),  Sônia Martha Anders (Espírito Santo), Miriam Montenegro (Estado do Rio), Solange Brockers Tayer (Goiás), Vera Lúcia Ferreira Maia(Guanabara), Ester Ewerton Santos (Maranhão).

Misses Amazonas, Pará e Maranhão (Fotos: O Cruzeiro)

Misses Guanabara, Estado do Rio e Minas Gerais (Fotos: O Cruzeiro)

Ainda Terezinha Elizabeth Cruz Vadouski (Mato Grosso), Edma Saraiva (Minas Gerais), Nilda Rodrigues de Medeiros (Pará),  Kalina Lígia Duarte Nogueira (Paraíba), Tânia Mara Franco de Souza (Paraná), Vera Lúcia Torres Bezerra (Pernambuco), Maria da Consolação Teixeira e Silva (Piauí), Ísis Figueira de Melo(Rio Grande do Norte), Iêda Maria Bruto Vargas (Rio Grande do Sul), Olga Mussi (Santa Catarina), Dirce Augustus (São Paulo) e Zélia Maria Mendonça Lopes (Sergipe).

Misses Mato Grosso, Acre e Amapá (Fotos: O Cruzeiro)

Misses Paraíba, Pernambuco e Alagoas (Fotos: O Cruzeiro)

Pela primeira vez foi incluído o desfile de trajes típicos, que naquela época era típico mesmo, atualmente são alegorias carnavalescas.  Ieda Vargas desfilou com um traje exaltando os Pampas. Miss Paraná, Tânia Mara, estava de camponesa, Miss Guanabara, Vera Lucia, se apresentou com as Calçadas de Copacabana, e a Miss Pernambuco, Vera Lucia Bezerra desfilou de passista de frevo. Depois tivemos o desfile de traje de gala e finalmente o de traje de banho by Catalina.

Misses Piauí, Ceará e Rio Grande do Norte (Fotos: O Cruzeiro)

Misses Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul (Fotos: O Cruzeiro)

Coube ao apresentador do concurso Paulo Porto anunciar o Top 8: Amazonas, Distrito Federal, Guanabara, Pará, Paraná, Rio Grande do Sul, São Paulo e Sergipe. E o resultado final ficou assim: em 5º lugar Dirce Augustus (SP), em 4º Denise Rocha de Almeida (Brasília), em 3º Vera Lucia Ferreira Maia (GB), em 2º Tânia Mara Franco de Souza (PR) e a vencedora Ieda Maria Vargas (RS), que foi coroada por Maria Oliva Rebouças, Miss Brasil de 1962. Vera Maia foi Miss Simpatia, Tânia Mara Miss Fotogenia e Ieda Vargas o Melhor Traje Típico.

Misses Sergipe, Bahia e Espírito Santo (Fotos: O Cruzeiro)

Misses São Paulo, Brasília e Goiás (Fotos: O Cruzeiro)

Informações importantes: Denise Rocha de Almeida, Miss Brasília, ameaçou de não desfilar quando soube que sua inimiga Vera Ribeiro estava no júri. Quando saiu o resultou que tinha faturado o quarto lugar, Denise chorou bastante. Para quem não sabe Denise disputou o Miss Distrito Federal em 1959 e perdeu para Vera RibeiroNilda Medeiros, Miss Pará, era irmã, Gilda Medeiros, Miss Pará de 1955.