Fernando Machado

Blog

Tag passarela

De volta para o passado

Há 435 anos, era edificado em Olinda, o primeiro convento Carmelita no Brasil, pelo Frei André Pratt.

Há 75 anos, os aliados chegavam à Normandia, na II Guerra Mundial, batizado de Dia D.

Há 65 anos, na Ilha do Retiro, o Santa Cruz era campeão do Torneio Inicio de Futebol de 1954.

Há 65 anos, nascia no Rio de Janeiro, o jogador Jorge Mendonça, que morreu no dia 17 de fevereiro de 2006.

Há 60 anos, aconteceu no Salão Azul do Grande Hotel, um desfile de modas. Na passarela Gloria e Vania Machado, Connie Thorpe, Anne Golden, Delange Pessoa, Slamad Fernandes e Gicelia Pires Guedes.

Há 60 anos, acontecia no Clube Português, as despedidas do locutor mais antigo do Recife, Mário Libanio.

Cristina e Geraldo Julio, além do Padre Luiz Cechin (Fotos: Acervo da família)

Há 21 anos, se casavam na Matriz de Nossa Senhora da Apresentação, em Limoeiro, Cristina Quirino e Geraldo Julio de Mello Filho. A cerimônia foi conduzida pelo padre Luiz Cechin.

Há 10 anos, morria em Pernambuco, a senhora Fernanda Magalhães, que nasceu no dia 20 de abril de 1932.

Há um ano, morria em Pernambuco, o promoter Barão (Luiz Ferreira de Araujo), que nasceu no dia 11 de maio de 1933.

O Sim de Marc e Charly

Charly Defrancesco e Marc Jacobs ambos de Huntsman (Fotos: Getty)

O estrelado restaurante The Grill, em Nova York, foi à passarela do casamento do figurinista Marc Jacobs (55) e do ex-modelo Charly Defrancesco (35), sábado passado. A cerimônia foi intima, mas os convidados foram peso pesados da moda e do show bussinnes. Teve até “sereno” como acontecia no Recife de antigamente nos arredores do Clube Internacional para a chegada do convidados para o Bal Masqué. Foi um ritual sem daminhas e pajens.

Anna Wintour e Naomi Campell by Balmain (Fotos: Getty)

Os noivos entraram de mãos dadas, com direito a beijos na boca e tudo. Depois fizeram uma saudação e os convidados aplaudiram. Como todo casamento teve corte de bolo (cinco andares). Entre as presenças lembraríamos Anna Wintour, Kate Moss, Naomi Campbell, Christy Turlington, Helena Cristensen. Marc já teve um noivo brasileiro, Lorenzo Martone que estava lá.

Betty Middler e Kate Moss (Fotos: Getty)

Baile Municipal de 1979

O prefeito Antonio Farias, Helena e Demazinho Gomes (Foto: Manchete)

Os atores na passarela e a capa da Manchete com Rosamaria Murtinho, Adalgisa Colombo, Martha Rocha e Lilian Sonia (Fotos: Manchete)

Há 40 anos, acontecia no Clube Português do Recife, o Baile Municipal. Vieram para a previa Chiquinho Scarpa, Mara Amaral, Martha Rocha, Adalgisa Colombo Teruskin, Silvia Fraga, Alice Halfin, Suely e Ricardo Stambosky, Lucia e José Rodolfo Camara, Helio Souto, Eva Wilma. Os artistas da Tupi Eva Vilma, Helio Souto, Ednei Giovanezzi, Denise Del Vecchio, Rejane Ritcher, Felipe Donavan.

O eterno campeão Almir da Paixão com sua maravilhosa fantasias (Foto: Divulgação)

Leina Crespi, Teresinha Sodré e Regina Collor de Melo (Foto: Manchete)

Para as danças tocaram as Orquestras de José Menezes e de Guedes Peixoto. Apresentação foi de José Maria Marques. No desfile de fantasias na categoria originalidade pernambucana venceu Almir da Paixão com Este Nosso Nordeste e no 2º ficou Edilson Gonçalves (Festa no Circo). No luxo masculino ganhou Luiz Carlos de Carvalho (O Sonho de Aritana)e no 2º Izidoro Santos (Um Rei Negro chamado Petroleo).

Moema Jafet, Silvinha Fraga e Wanda Klabin (Foto: Manchete)

Fernando Villachan e a Miss Brasil Martha Rocha (Foto: Manchete)

No luxo feminino venceu Isabela Dantas (Minha Mangueira Querida) e Jane Bezerra em 2º lugar com Frenesi. Em originalidade nacional venceu Ivete Garrido (Chinatown) e no 2º lugr Pinah (Sejas Mar ou Beija Flor). No luxo de Pernambuco venceu Heraldo Oliveira (Sonho de uma noite de Bagdá) e no 2º lugar Silva Neto (O Segredo das Minas de Prata).

Os desfilantes cariocas Silva Neto, Isabela Dantas e Jesus Henriques (Foto: Manchete)

Suely Stambowsky, Claudio Cavalcanti, Rosamaria Murtinho, Regina Vieira de Melo Moura e Patricia Medeiros (Foto:Manchete)

Ainda tivemos outra categoria Nordestina. Francisco Gurgel do Amaral venceu com A Doce Lenda do Pássaro Azul) e em 2º lugar ficou Di Carlo com No Reino de Netuno. Em originalidade venceu Carlos Costa Rego com Anahn, Deus do Sol e 2º lugar Expedito com Zumbi em Noite de Gesta. Como Hors Concours tivemos Jaime Melo com Exu, o mensageiro de Orixá e Jesus Henriques com O canto do cisne do Lago Azul.

Elisabete Savala e Marcelo Picchi (Foto: Manchete)

Chiquinho Scarpa e Alice Bueno de Freitas (Foto: Manchete)

Catriona Gray é a Miss Universo de 2018

Aconteceu domingo, na Impact Arena, em Pak Kret, Região Metropolitana de Bangkok, na Tailândia, a escolha da Miss Universo de 2018. Venceu a filipina Catriona Gray, 24 anos, foi a quarta vez que a coroa vai para o país asiático. Antes venceram o concurso Gloria Maria Aspillera Díaz em 1969, Maria Margarita Roxas Moran em 1973 e Pia Alonzo Wurtzbach em 2015. No ranking os Estados Unidos tem oito títulos, a Venezuela sete, Porto Rico cinco e Filipinas quatro. Ela foi coroada pela Miss Universo de 2017 Demi-Leigh Nel Peters .

O Top 20 (Foto: AP)

O Top 10 (Foto: AP)

O Brasil coitado venceu apenas duas vezes nestes 66 anos de concurso, com Ieda Vargas em 1963 e Martha Vasconcellos em 1968. O deste ano apesar de 94 representantes foi ágil. O cenário estava belíssimo e a passarela em X nos fez lembrar os gloriosos concursos do Maracanãzinho, no Rio de Janeiro. Vibrei. A abertura maravilhosa mostrou a cultura tailandesa e misturada com o cantor Ne-Yo. O terno do host Steve Harvey personalizado e no interior do seu paletó os nomes dos países que disputaram o Miss Universo de 2018.

Kiara Ortega, H’Hen Niê, Catriona Gray, Tamaryn Green e Sthefany Gutierrez (Foto: AFP)

A mais bela miss do concurso, a deusa de ébano Melba Shakabozha de Zâmbia (Foto: Concurso)

O evento teve muitas inovações e injustiças. A não inclusão da Miss Zambia, Melba Shakabozha pelo menos no Top 20, foi um horror. Para mim será a Miss U e a Miss Curaçao Akisha Albert não ter ficado no Top 5 arranharam a administração do evento. Foram selecionadas cinco candidatas da África e da Ásia, cinco da Europa, cinco das Américas e cinco na Repescagem. Por uma parte foi válido mas por outra prejudicou várias candidatas.

Outra linda miss, a Miss Curaçao, Akisha Albert (Foto: Concurso)

A melhor Alegoria, ops, traje típico foi do representante de Laos, On-anong Homsombath (Foto: Reuters)

No Top 20: Tamaryn Green (África do Sul), Catriona Gray (Filipinas), Manita Devkota (Nepal), H´Hen Niê (Vietnã), Sophida Kanchanarin (Tailândia), Magdalena Swat (Polônia), Zoe Brunet (Bélgica), Dee-Ann Kentish Rogers (Grã-Bretanha), Enikő Kecskès (Hungria), Grainne Gallanagh (Irlanda), Akisha Albert (Curaçao), Natália Carvajal (Costa Rica), Marta Stepien (Canadá), Kiara Ortega (Porto Rico), Emily Maddison (Jamaica), Sarah Rose Summers (Estados Unidos), Sthefany Gutierrez (Venezuela), Sonia Citra (Indonésia), Mayra Dias (Brasil) e Francesca Hung (Austrália).

Catriona Gray sendo coroada por Demi-Leigh Nel Peters (Foto: Reuters)

Mayra Dias do Brasil e Andrea Diaz do Chile (Fotos: Concurso)

o Top 10: Tamaryn Green (África do Sul), H´Hen Niê (Vietnã),, Sthefany Gutierrez (Venezuela), Catriona Gray (Filipinas), Natália Carvajal (Costa Rica),  Akisha Albert (Curaçao),  Manita Devkota (Nepal),  Marta Stepien (Canadá), Sophida Kanchanarin (Tailândia) e Kiara Ortega (Porto Rico). No Top 5: Kiara Ortega (Porto Rico), H´Hen Niê (Vietnã), Sthefany Gutierrez (Venezuela),  Tamaryn Green (África do Sul), e Catriona Gray (Filipinas). Na classificação final ficaram 3º lugar Sthefany Gutierrez (Venezuela),  em 2º lugar Tamaryn Green (África do Sul), e em 1º lugar Catriona Gray (Filipinas), que foi coroada pela Miss Universo de 2017. O melhor Traje Típico foi o de On-anong Homsombath de Laos.

 

 

  • 1 2 8