Fernando Machado

Blog

Tag Internacional

Parabéns

Hoje, 15, Dia de Santo Isidoro, do Assistente, do Gerente de Banco, e Internacional da Família, aniversariam os executivos André de Paula Neto e Silvana Vanzo, a senhora Helena Maroja Ribeiro Coutinho,

A executiva Catarina Nicoloff (Foto: Fernando Machado)

Mariem Claret é Miss Internacional de 2018

Ontem, à tarde, no Tokyio Dome City Hall, em Tóquio, no Japão tivemos a escolha da Miss Beleza Internacional de 2018. Participaram do festival de beleza 77 candidatas e a vitoriosa pela oitava vez foi a representante da Venezuela, Mariem Claret Velazco., que recebeu a coroa da Miss Beleza Internacional de 2017 Kevin Lillian.

O Top 8 (Foto: Concurso) 

No Top 15 ficaram Bianca Tirsin (Romenia), Nebai Torres (México), Maria Ahtisa Manalo (Filipinas), Michelle Huet (Equador), Keeratiga Jaruratjamon (Tailândia), Reabetswe Sechoaro (África do Sul), Emily Tokic(Austrália), Daisy Lezcano (Paraguai), Hinano Sugimoto (Japão), Anabella Castro Sierra (Colombia), Mariem Velazco  (Venezuela), Vania Herlambang (Indonesia), Bohdana Tarasyk (Ucrania), Susana Sanchez (Espanha) e Esmeralda Malleka (Madagascar).

As cinco finalistas:  Colombia, África do Sul, Venezuela, Filipinas e Romênia (Foto: Concurso)

No Top 8 ficaram Bianca Tirsin (Romenia), Maria Ahtisa Manalo (Filipinas), Michelle Huet (Equador), Reabetswe Sechoaro (África do Sul), Hinano Sugimoto (Japão), Anabella Castro Sierra (Colombia), Mariem Velazco (Venezuela) e Susana Sanchez (Espanha). Miss África foi Reabetswe Sechoaro (África do Sul), Miss América Rocio Magali Pérez (Argentina), Miss Ásia Eileen Feng (Singapura), Miss Europa Zoë Amber Niewold (Holanda) e Miss Oceania Diliana Tuncap (Guam).

Kevin Lillian coroando Mairem Velazco (Foto: Concurso)

E finalmente o resultado final foi este: No 5º lugar ficou Anabella Castro Sierra da Colômbia, em 4º lugar ficou Bianca Tirsin da Romênia, em 3º lugar ficou Reabetswe Sechoaro da África do Sul, em 2º lugar ficou Maria Ahtisa Manalo das Filipinas e a vencedora Mairem Velazco da Venezuela. O mais bonito traje típico foi a Miss Equador Michelle Huet, o Melhor Corpo foi da Miss Curaçao Diona Angela e a Miss Simpatia foi Miss Filipinas Maria Ahtisa Manalo.

Maria da Glória: Miss Internacional de 1968

Há 50 anos no Nippon Budokan em Tóquio, no Japão, a brasileira Maria da Glória Carvalho, era eleita Miss Beleza Internacional de 1968, por sinal a única representante do Brasil ganhar este título. Miss Internacional de 1967 foi Mirta Massa da Argentina. Elena Restrepo da Bolívia foi escolhida Miss Simpatia, Rungtip Pinyo da Tailândia ficou como Miss Fotogenia e Rosário Villam faturou o troféu de melhor traje típico.

Maria da Glória Carvalho sendo convidada para o Top 15 (Foto: O Cruzeiro)

As 15 semifinalistas foram Maria da Glória Carvalho (Brasil), Rosário Villa (Colombia), Kim Hee (Coreia do Sul), Dorrit Frantzen (Dinamarca), Marie Smith (Escócia), Ann Macquarrie (Estados Unidos), Nenita Tuazon (Filipinas), Nancy Gallerne (França), Sumita Sem (Índia), Daniela Hod (Israel), Yoko Sunami(Japão), Nádia Leets (Nicarágua), Annika Hemminge (Suécia), Irene Stierli Smith (Suíça) e Rungtip Pinyo (Tailândia).

Maria da Glória Carvalho sentada no trono como Miss Internacional de 1968 (Foto: O Cruzeiro)

No final foram escolhidas Maria da Glória como Miss Beleza Internacional de 1968; Annika Hemmeingeda Suécia em segundo; Ann Macquarrie dos Estados em terceiro; Dorrti Frantzen da Dinamarca em quarto e Rungtip Pinyo da Tailândia em quinto. Participaram do concurso 49 candidatas.

Miss Fotogenia, Rungtip Pinyo, Nancy Gallerne e Maria da Gloria com seus trajes típicos (Foto: O Cruzeiro)

Participaram do concurso: Mary Winifred (África do Sul), Margot Schmalzriedt (Alemanha), Ana Inés Puiggros (Argentina), Denise Hughes (Austrália), Huberta Kessler (Áustria), Janine Patteeuw (Bélgica), Ana Maria Amelunga (Bolivia), Maria da Glória Carvalho (Brasil), Patricia Lane (Canadá), Manel Eriyagama (Ceilão), Rosario Villa (Colombia), Marie Basoko (Congo), Hee Ja-Kim (Coreia do Sul), Ana Maria Rivera (Costa Rica), Dorrit Frantzen (Dinamarca).

Mirta Massa coroando Maria da Glória Carvalho (Foto: Manchete)

Ainda Yolanda Urquijo (Espanha), Enriqueta Valdez (Equador), Marie Smith (Escócia), Karen MacQuarrie (Estados Unidos), Nenita Tuazon Ramos (Filipinas), Satu Kostiainen (Finlândia), Nancy Gallerne (França), Fani Sakantani (Grecia), Elaine Calvo (Guão), Cecille van der Lelie (Holanda), Hui Ling-Ling (Hong Kong), Sumita Sem (India), Sylvia Taliwongso (Indonésia), Glória Best (Inglaterra), Frances Clarke (Irlanda), Daniela Hod (Israel), Vanna Torri (Itália), Tatjana Albahari (Iugoslávia).

Karen, Sumita, Yoko, Marie, Viola Maria da Glória e Mady (Foto: O Cruzeiro)

E finalmente Yoko Sunami (Japão), Mady Reiter (Luxemburgo), Maznah Binte (Malásia), Aroha Manawatu (Nova Zelândia), Nadia Leets (Nicarágua), Hedda Lie (Noruega), Kay House (Pais de Gales), Elsa Méndez (Porto Rico), Teo Kim Neo (Singapura), Annika Hemminge (Suécia), Irene Stierli (Suíça), Rungtip Pinyo (Tailândia), Viola Teriitahi (Taiti), Gul Ustun (Turquia), Soledad Gandos (Uruguai) e Jovan Navas (Venezula).

Gudrum Bjarnadottir é a Miss International 1963

As candidatas visitando a Disneilandia (Foto: O Cruzeiro)

Há 55 anos, acontecia no Long Beach Municipal Auditorium, em Long Beach, na Califórnia, a eleição de Miss Beleza Internacional de 1963. O host foi Lorne Greene anunciou a vencedora Gudrum Bjarnadottir, da Islandia, que foi coroada pela atriz Arlene Dahl. Participaram do concurso 46 candidatas. No top 15 ficaram Gulseren Kocaman (Turquia), Rina Krusvik (Suécia), Aida Mercado Cordero (Porto Rico), Monina Meddinilla Yllana (Filipinas).

Algumas candidatas de traje típicos no Porto da cidade (Foto: Manchete)

Também Elaine Miscall (Nova Zelandia), Olive Ursula White (Irlanda), Marion Zota (Alemanha), Martha Ligia Restrepo González (Colômbia), Tania Mara Franco de Souza (Brasil), Tricia Maralyn Reschke (Austrália), Guorun Bjarnadottir (Islândia), Diane Westbury (Inglaterra), Xenia Doppler (Áustria), Joyce Bryan (Estados Unidos) e Choi Too-mi (Coreia).

Outras candidatas de trajes tipicos (Foto: Manchete)

A Miss Simpatia foi Catherine Paulus, de Luxemburgo. Miss Áustria, Xenia Doppler, foi eleita Miss Fotogenia e Mais Belo Traje Típico. E o resultado final ficou assim: 5º lugar Choi Yoo-mi da Coreia, 4º lugar Joyce Bryan (Estados Unidos), 3º lugar Xenia Doppler (Áustria), 2º lugar ficou Diane Westbury da Inglaterra e a vencedora foi Guðrún Bjarnadóttir da Islandia.

Foto oficial das candidatas (Fotos: Manchete)

As participantes foram: Argentina Susana Cukar Cuhan, Austrália Tricia Reschke, Áustria Xenia Doppler, Bélgica Monique Bourgeois, Bolívia Maria Lozada, Brasil Tânia Mara Franco da Souza, Canadá Marlene Leeson, Ceilão Christina Selvanayagam, Colômbia Martha Restrepo González, Dinamarca Birgitte Heiberg, Republica Dominicana Norma Guzmán Simó, Equador Tania Valle Moreno, Inglaterra Diane Westbury, Finlandia Anneli Rautala, França Marie-Josée LeCocq, Alemanha Marion Sybille Zota.

O top 15 (Foto: O Cruzeiro)

Ainda Grécia Emi Zanou, Holanda Catharina Lodders, Islândia Gudrun Bjarnadóttir, Irlanda Olive Ursula White, Israel Ester Kfir, Itália Anna Rispoli, Japão Shizuko Shimizu, Jordânia Doris Haj, Coreia Choi Yoo-mi, Luxemburgo Catherine Paulus, Marrocos Andrée Picard, Nova Zelândia Elaine Miscall, Nicaragua Claudia Díaz, Noruega Martha Tunge, Panamá Mariela Aguirre, Paraguai Maria Quesada, Peru Esperanza Moy Ramírez,

Foi o host Lorne Greene quem colocou o manto em Guorun Bjarnadottir (Foto: O Cruzeiro)

E Filipinas Monina Medinilla Yllana, Porto Rico Aida Mercado Cordero, Escócia  Wendy Barrie, África do Sul Martie Claassen, Espanha Encarnación Zalabardo, Suécia Riina Krusvik, Taiti Mareta Tuihaa, Turquia Gulseren Kocaman, Uruguai Susana Casañas Méndez, Estados Unidos Joyce Bryan, Venezuela Norah Duarte, País de Gales Christina Fryer e a Antilhas Joan Martin.

Tania Mara Franco de longo e maiô (Fotos: O Cruzeiro)

 

  • 1 2 9