Fernando Machado

Blog

Tag falas

Para o Imperador Naruhito

O Imperador Akihito, de 85 anos, abdicou sua função em prol do filho o Principe Naruhito, de 59 anos, encerrando a Era Heisei, que agora é o novo Imperador do Japão e abre uma nova era em 200 anos. A Reiwa, que em português significa bom ou ordem e harmonia. E por conta deste gesto o cônsul geral do Japão no Nordeste do Brasil, Jiro Maruhashi, abriu as portas do seu apartamento na Avenida Boa Viagem, para uma recepção petit comité.

O cônsul geral Jiro Maruhashi e o cônsul Tadao Furukawa (Foto: Fernando Machado)

Durante o encontro tivemos três falas: a do cônsul geral Jiri Maruhashi, a da embaixadora Katia Gilaberte, Chefe do Escritório de Representação do Ministério das Relações Exteriores para o Nordeste, (lembrou que sua primeira missão diplomática foi no Japão e que testemunhou as três eras) e a do próprio Imperador Naruhito, via  por sinal seu primeiro discurso após ascender ao trono na cerimônia Sokui-go-Choken-no-gi.

A embaixadora Katia Gilaberte e a cônsul geral da Alemanha Maria Köenning de Siqueira Rregueira (Foto: Fernando Machado)

Asssim falou o Imperador: “Eu sucedi ao trono conforme estipulado pela Constituição do Japão e pela Lei de Medidas Especiais sobre a Lei da Casa Imperial. Quando penso nas grandes responsabilidades que assumi, me sinto repleto de um sentimento solene. Refletindo sobre o passado, Sua Majestade, o Imperador Emérito, orou pela paz no mundo e felicidade do povo japonês por mais de 30 anos”.

O Superintende da Policia Federal Carlos Henrique Sousa e o cônsul geral dos EUA John Barrett (Foto: Fernando Machado)

-Sua Majestade compartilhou da felicidade e tristeza do povo em todos os momentos, mostrando grande dedicação por meio de suas próprias ações, e cumpriu cada um de seus deveres com sinceridade. Eu gostaria de expressar meu profundo respeito e gratidão pela atitude que Sua Majestade, o Imperador Emérito, demonstrou como símbolo do Estado. Conforme sucedo ao trono, estou refletindo profundamente sobre o caminho tomado por Sua Majestade, o Imperador Emérito.

O major Kazuhita Toda, o mar-e-guerra Mauricio Bravo, o general Carlos Duarte Pontual de Lemos e o brigadeiro César Farias Guimarães (Foto: Fernando Machado)

E conclui: “Terei em mente os feitos dos Imperadores no passado, e irei me esforçar para me aperfeiçoar. Juro cumprir meus deveres, como símbolo do Estado e da unidade do povo, em conformidade com a Constituição, sempre pensando sobre a população e a apoiando. Eu desejo sinceramente a felicidade do povo, o crescente desenvolvimento da nação, e a paz em todo o mundo”.

O cônsul de Portugal Marco Ferreira de Melo, a jornalista Jô Mazzarolo e colunista social João Alberto (Foto: Fernando Machado)

Na sequencia foi servido um jantar tipicamente japonês, assinado pelo chef japonês Maruyama, que contou de sushi-niguiri (salmão / atum / carpacho de camorim / tamagoyaki (ovo frito) / ovo de peixe voador), gunkan de salada, futomaki de atum e de abacate com cobertura de gengelim, hosomaki de pepino; tempra de camarão, yakisoba de frutos do mar, berinjela cozido com espinafre, tofu frito e nozes Salada.

A superintendente da Infraero Elenilda Cunha e a cônsul da Venezuela Sonia Rossel (Foto: Fernando Machado)

Para sobremesa foi servida torta de chocolate e chocolate branco com cobertura de matcha, bolo de goiaba com cobertura de creme de baunilha, pudim, frutas variadas (melancia/melão/ uva/ abacaxi). Tudo isso regado sake de Koimari, cachaça de ameixa e chá verde. Sem dúvida uma noite histórica para o mundo que marca a nova era Reiwa. A diva da imprensa Jô Mazzarolo esteve recentemente no Japão e voltou encantada com tudo que viu.

 

Sala Lybia Queiroz Maranhão

Margot Monteiro e Sydia Maranhão (Foto: Eunice Couto)

Margot Monteiro, Gilberto Freyre Neto e Marta Freire (Foto: Eunice Couto)

O Museu do Estado, cuja diretora é a artista plástica Margot Monteiro, inaugurou mais um ambiente na Casa. Estamos nos referindo à Sala Lybia Queiroz Maranhão. Nela está uma sala de estar composto de 13 peças, do século 19. Um conjunto com marquesão e quatro cadeiras com braços, uma escrivaninha com cadeira, dois tapetes sendo um francês de parede e três lustres (dois de cristais e um em bronze).

Maria Digna Pessoa de Queiroz, Sydia Maranhão, Thereza Lapa Carneiro de Albuquerque e Vera Correa de Araujo (Foto: Eunice Couto)

Para enriquecer mais o local, o arquiteto Carlos Augusto Lira fez a montagem, completou com uma sala de jantar do acervo do museu, assim como cinco quadros do pintor pernambucano Teles Junior (1851/1914). O Museu do Estado de Pernambuco foi criado em 8 de fevereiro de 1929, pelo Governador Estácio de Albuquerque Coimbra. Seu primeiro diretor foi o jornalista Aníbal Fernandes.

Betânia Peixoto e Hilda Queiroz (Foto: Eunice Couto)

Na cerimônia de inauguração do espaço tivemos duas falas: a da diretoria Margot Monteiro e a do Secretário de Cultura, Gilberto Freyre Neto. Ambos enalteceram o valor da doação feita pela família de dona Libinha Maranhão (1917/2015), via Sydia Maranhão. Depois foi servido um coquetel cortesia do Clã Maranhão. Muita gente da família da homenageada, e amigas principalmente aquelas frequentavam os almoços que Libinha oferecia na sua casa às quartas-feiras, fizeram questão de participar do encontro.

Maria do Carmo Calado, Gilberto Freyre Neto e Rinaldo Carvalho (Foto: Eunice Couto)

Informação cultural: O palacete é do século XIX, pertenceu a Augusto Frederico de Oliveira, filho do Barão de Beberibe, tornou-se sede própria do Museu do Estado de Pernambuco a partir de 1940. No começo do século XX, o prédio foi modificado com o acréscimo do segundo pavimento e, em dezembro de 1951, foi incorporado ao patrimônio do Museu um novo pavilhão, denominado de Anexo I, ampliando o espaço cultural para novas atividades.

Geralda Farias (Foto: Eunice Couto)

Os historiadores Reinaldo Carneiro Leão e José Luiz da Mota Menezes (Foto: Rinaldo Carvalho)

Recife festeja o Ano Novo Chinês

O Ano Novo Chinês (Chun Jié Kuaì lè) foi comemorado quinta-feira na Arcádia de Boa Viagem, sob o comando da cônsul geral da China, Yan Yuqing. Paralelamente tivemos duas exposições de fotografias (Construção do Cinturão e Rota e de Imigrantes Chineses e a 40º aniversário da Reforma e da abertura da China). Yan Yuqing, em grande noite num qipao, traje tradicional do seu país, recebia os convidados.

Chen Lili e Yan Yuqing (Foto: Fernando Machado)

O cônsul geral do Japão Jiro Maruhashi (Foto: Fernando Machado)

Luiza Gross comandou o cerimonial com direito a três falas. A da diplomata chinesa muito bonita enaltecendo as culturas chinesas e pernambucanas. Após as falas a Orquestra Criança Cidadã e o Maestro Spok tocaram dois frevos: Último Regresso de Livino Ferreira e Folião Ausente de Sivuca. Um grupo de passistas fez evoluções do nosso ritmo. Uma pena que o hino do nosso carnaval, Vassourinhas, foi esquecido.

Alberto Ferreira da Costa e Carmen (Foto: Fernando Machado)

Ana Alice e Marcelo Guerra (Foto: Fernando Machado)

Também tivemos um coral, de 20 vozes, à frente a cônsul geral Yan Yuqing, cantando a musica Grande China. A decoração foi assinada por de Anderson Barbosa que usou e abusou do vermelho. Muitas lanternas caiam do teto. Na entrada um canteiro de gérberas e boca de leão nas cores amarela e laranja. Um dos destaques foi a presença do deus da prosperidade, Caishen.

Antonio Mario Pinto e Clotilde (Foto: Fernando Machado)

Marcos Dubeux e Maria Clara (Foto: Fernando Machado)

Muita gente fez questão de fazer selfies com ele e depois recebiam um envelope da sorte. Um sucesso. A chefe do escritório da Agencia Xinhua, agencia de noticias oficial da China para a América Latina, a jornalista Zhao Yan, foi uma presença muito festejada. Realmente a cônsul geral da China, Yan Yuqing, está revolucionando o Corpo Consular de Pernambuco.

A jornalista Zhao Yan (Foto: Fernando Machado)

O secretário de turismo de Goiana Roberto Pereira e o Maestro Spok (Foto: Fernando Machado)

O jantar foi de se comer rezando para o Senhor do Bonfim teve pratos brasileiros e pratos chineses. O chef Wen Gongshi colocou no cardápio chao fan (arroz frito), chao mifen (macarrão de arroz frito), qing tang yu wan (sopa de bolinhas de peixe), meicai kou rou (porco no vapor) e tangyuan (doces bolinhas de arroz coloridas). Na ilha de saladas tinha de buquê de folhas nobres com frutas.

Lai Lifang, Luiza Gloss, Caishen, Zhang Re (Foto: Fernando Machado)

Gisela e Teresa Latache, Heldio e Mercia Villar (Foto: Fernando Machado)

Ainda queijos em cubos, molho mostarda com hortelã; salada italiana com massa colorida, tomate seco, cubos de queijos e azeitonas temperadas; trilogia de folhas com salada de grãos temperados no azeite de ervas, salada de camarão com batatas temperadas ao azeite e salsa. Na ilha de pratos quentes moqueca de peixe, rotolone com recheio de queijo, filé de frango com batatas douradas, filé mignon com legumes grelhados, abacaxi caramelado, cebola no mel, e molho demi-glacê, acompanhado de arroz vom castanha..

Jorge José & Prefeitos do Recife

A Câmara Municipal do Recife está diretamente vinculada ao nascimento da própria Vila do Recife. No momento da criação de uma nova vila, a lei determinava que se tomassem as seguintes providências: inaugurar o Pelourinho e convocar os cidadãos locais  para eleger os primeiros vereadores. Segundo registros históricos, em 15 de fevereiro de 1710, por ordem do rei de Portugal, foi instalada a Vila do Recife e inaugurada a sua Câmara Municipal.

Jorge José e João Alberto (Foto: Fernando Machado)

Luanda Guerra Cal e Carmen Peixoto (Foto: Fernando Machado)

Foi governador de Pernambuco, Felix José Machado que em 18 de novembro de 1711, o Pelourinho foi reconstituído, sendo instalado no pátio em frente à Igreja do Corpo Santo, que foi derrubada para criar uma ampla avenida. Enfim, era reaberta a Câmara Municipal. A partir de então, o Legislativo funcionou normalmente até a Proclamação da República em 1889. Durante o governo do Marechal Deodoro da Fonseca, com a promulgação da Constituição de 1891.

Joaquim Francisco e João Lyra Neto (Foto: Fernando Machado)

Nizia e Albany Castro Barros com Admaldo Mattos de Assis (Foto: Fernando Machado)

Sendo transformado em Conselho de Intendência Municipal. Neste período, foi eleito presidente do Conselho José Mariano Carneiro da Cunha. Considerado um dos maiores políticos do seu tempo, o Conselheiro José Mariano foi o primeiro prefeito eleito do Recife. Coube ao governador Barão de Vila Bela, criar em 13 de maio de 1864, a Escola Normal, a primeira do gênero no Brasil, que em 1962 passou a chamar-se Instituto de Educação de Pernambuco.

Carmen Peixoto e João da Costa (Foto: Fernando Machado)

Eduardo Marques, Carlos Alberto Gueiros, Priscilla Krause e André Régis (Foto: Fernando Machado)

A partir de 1963, na gestão do prefeito Arthur de Lima Cavalcanti, passou a funcionar no local a Câmara Municipal do Recife. Pois foi no Salão Nobre da Câmara Municipal do Recife, funcionou a secretaria da Escola Normal, que o historiador Jorge José Santana lançou, segunda-feira, às 18h, o seu livro Prefeitos do Recife – Breve História. Por sinal a obra é muito boa e serve de orientação para os recifenses que não conhecem o lado bom da nossa política.

Geralda Farias, Artur Rebelo e João Alberto (Foto: Fernando Machado)

Glória e Albuquerque Pereira (Foto: Fernando Machado)

Luanda Guerra Cal foi a hostess do evento e também conduziu o cerimonial. Por sinal impecável. Tivemos três falas: a de Jorge José Santana, a do ex-prefeito do Recife, Joaquim Francisco de Freitas Cavalcante, cuja gestão aconteceu entre 15 de março de 1983 e 31 de dezembro de 1985, que falou em nome dos demais, e finalmenete a do presidente da Casa José Mariano, vereador Eduardo Queiroz.

Mauricio Rands e Carlos Eduardo Santos (Foto: Fernando Machado)

Gustavo Krause entre a filha Priscila e a esposa Deborah (Foto: Fernando Machado)

Uma ausência sentida foi a do atual prefeito do Recife, Geraldo Júlio de Mello Filho. Jorge José recebia os convidados ao lado da esposa, Carmen Peixoto. Impossível citar todas as presenças, mas destacaríamos Geralda Farias, esposa do ex-prefeito Antonio Farias; Ieda Lucena, esposa do ex-prefeito Augusto Lucena; os ex-prefeitos Gustavo Krause e João da Costa. Ainda o ex-governador João Lyra Neto, o ex-vereador Admaldo Matos de Assis.

Terezinha Nunes e Jorge José (Foto: Fernando Machado)

Ronan Drummond. Miguel Santos e Cleo Niceas (Foto: Fernando Machado)

Os jornalistas João Alberto, Cleo Niceas, Ronan Drummond, Inês Calado, Leda Barros Lima e Marcelle Farias, o secretário de Imprensa da PCR Carlos Eduardo Santos, as deputadas Priscila Krause, e Terezinha Nunes, os vereadores André Régis e Carlos Alberto Gueiros. Também a presidente da APL Margarida Cantarelli, Heliane e Geovane Tenório, Cristina Freyre, Fátima Quintas, Nizia e Albany Castro de Barros, Artur Rebelo, Mauricio Rands, Miguel Santos, Glória e Albuquerque Pereira.

  • 1 2 9