Fernando Machado

Blog

Tag campeã

De volta para o passado

Há 115 anos, aconteciam as eleições do Liceu de Artes e Ofícios, o eleito foi eleito presidente o empresário J. A. Vieira da Cunha.

Há 100 anos, em Salvador, a seleção de Pernambuco ganhava da Bahia 6 x 4. Os gols dos pernambucanos foram Péricles (3), Harry (2) e Oswaldo. Pernambuco jogou com Valença, P. de Sá e Alarcon; Adhemar, Paulino e Tancredo; Miranda, Oswaldo, Péricles, Harry e Aluizio.

Antônio Gaspar Lajes e a antiga sede do Clube Português (Fotos: Divulgação)

Há 85 anos, Agostinho Ferreira Gomes, João Ferreira de Souza, Antônio Eduardo Simões, David Moreira Fontes, José Fernandes Salgueiro, Antônio Gaspar Lages. Daniel Antônio Rodrigues, Afonso de Albuquerque, Arthur Gomes Teixeira e Antonio Pereira de Souza, criavam o Clube Português do Recife. O primeiro presidente foi Antônio Gaspar Lajes.

A seleção de Pernambuco campeã do Norte (Foto: Diário da Manhã)

Há 80 anos, ao vencer o Pará por 5×2, a seleção pernambucana é campeã de futebol do Norte. Os gols foram de Moacyr (3) e Bermudes (2) por PE e Poeira (2) pelo Pará. PE jogou com Djalma, Sidinho II e Natal, Omar, Jaime e Furlan, Plinio, Bermudes, Moacyr, Daniel e Siduca.

Há 70 anos, acontecia o circuito ciclístico de automóvel de Boa Viagem. O vencedor foi Baby Costa, no 2º lugar ficou Rubem Abrunhosa, no 3º lugar ficou Mario Tavares. Também participaram Luiz Valente, João Regueira, Itagibe Chaves, Sargento Natalicio e Chico Landi que abandonou a prova na quinta volta.

De Volta para o Passado

Há 190 anos, era aberto o Liceu de Artes e Ofícios, cujo primeiro diretor foi Laurentino Carvalho. O projeto foi do engenheiro José Tibúrcio Pereira Magalhães.

Há 110 anos, se apresentava no Teatro de Santa Isabel, a Companhia José Ricardo, com a peça A Flor do Tojo.

Há 95 anos, nascia em Pernambuco, o publicitário Severino Queiroz, que morreu no dia 22 de julho de 2012.

Há 95 anos, nascia no Peru, cantora Ima Súmac, que morreu no dia 1 de novembro de 2008.

Há 90 anos, se apresentava no Jockey Club de Pernambuco, a  campeã sul americana de pára-quedismo, Juliette Brille.

Há 45 anos, o piloto Emerson Fittipaldi era campeão mundial de Formula 1, na Suiça.

Há 40 anos, Ezio Valente inaugurava no Hotel Miramar, em Boa Viagem, a boate Gaslight.

Há 15 anos, morria em São Paulo, o jornalista de moda Fernando Barros, que nasceu no dia 6 de janeiro de 1915.

Há10 anos, morria nos Estados Unidos, a atriz Jane Wyman, que nasceu no dia 5 de janeiro de 1917.

Há cinco anos, morria em Pernambuco, o fotografo Alcir Lacerda, que nasceu no dia 20 de setembro de 1927.

Unidos da Tijuca II

Pois bem, sábado, a convite do Governo do Estado, via a Secretaria de Turismo e Empetur, depois de 16 anos voltei à Marques de Sapucai para aplaudir a campeã do carnaval carioca, Unidos da Tijuca, que tem como presidente Fernando Horta. Essa vitória foi um grande marketing para o nosso Estado e principalmente para o governador Eduardo Campos, considerado um pé quente.

ss-eduardo-campos-alceu-valenca
Eduardo Campos e Alceu Valença (Fotos: Fernando Machado)

A Marques de Sapucai foi o passaporte que levou o sertão nordestino para contar a história do rei do Baião, que este ano comemora o seu centenário de nascimento. E o carnavalesco Paulo Barros colocou Lampião, Corisco, o som do fole, o bumba meu boi, maracatu, o frevo, o pagode e o reisado no Sambódromo para o delírio de todos, e principalmente dos pernambucanos.

ss-mauricio-barbosa-bruno-tenorio
Mauricio Barbosa, o mentor do enredo e o diretor de comunicação Bruno Tenório

Quando Bruno Ribas solta a voz para interpretando “Nessa viagem arretada / Lua clareia a inspiração / Vejo a realeza encantada / Com as belezas do Sertão,” um coral de quase 70 mil vozes foi à loucura e começou a repetir o refrão: “A minha emoção vai te convidar / Canta, Tijuca, vem comemorar / Inté Asa Branca encontrou o pavão / Para coroar o Rei do Baião”.

paulo-barros
O carnavalesco Paulo Barros um dos mais festejados da noite

Enquanto o governador Eduardo Campos nos diz que gosta de todas as musicas de Luiz Gonzaga, porém tem uma que é seu predileta: Pau Arara; o carnavalesco Paulo Barros confessa que não escuta as suas músicas. Imagina se escutasse o que a gente não teria visto no Sambódromo, naquelas 28 alas.