Fernando Machado

Blog

Tag batalhas

Ana Maria é lembrada na França

De Roseinde de Fabriturs, que reside na França, recebemos este e-mail: “Gostaria de estar nesse momento no lugar dessa Senhora Guimarães Ana Maria, Miss Pernambuco em 1988, porque ser de cor negra naquela época, não era nada fácil, porém o seu combate, a sua luta e a sua força de vontade de gritar bem alto o valor da pele, foi e será a mais valorizante de todas as batalhas… e terminar vencendo muitas guerras e conflitos contra esses racismos débeis e desumanos que infelizmente ainda existem. Um Grande bravo ao Clube Rodoviário de Pernambuco que soube investir em alguém nobre naquela época.

Ana Maria Guimarães, Miss Pernambuco de 1988 (Foto: Geraldo Guimarães)

Um grand merci a toi, Muciolo Ferreira, pela sua paixão ao jornalismo, pela sua paixão pelo mundo de miss por todas essas leituras maravilhosas que me fizeram voltar a um passado recente de 1988, pois eu já estava na França, e mesmo assim acompanhava tudo que acontecia no meu Brasil e principalmente no meu Pernambuco et un grand merci a Fernando Machado, vocês são pessoas que não deixam as nossas memórias se apagarem com o tempo. Muito obrigada por tudo… continuem, façam um livro, vocês podem, vocês devem e vocês têm competência”.

Pollianne & Alexandre

Os Montes Guararapes foram o local onde aconteceram as duas mais importantes Batalhas contra os holandeses. Os Montes Guararapes são formados por três elevações separadas por vales profundos e estreitos. Ao norte está o Morro do Telegrafo, no sentido leste-oeste está o Monte dos Oitizeiros e ao sul o Monte da Ferradura, onde está edificado o Santuário de Nossa Senhora dos Prazeres, também conhecida como Nossa Senhora das Vitórias.

cam-igreja
Prestem atenção ao retabulo do Santuário (Fotos: Fernando Machado)

O santuário possui uma vista do Recife que é um verdadeiro colírio para os olhos. Quando da expulsão definitiva dos holandeses em 27 de janeiro de 1654, o general Francisco Barreto de Menezes, ergueu no Morro da Ferradura uma capela votiva dedicada à Nossa Senhora dos Prazeres. Em 1656, a capela e as terras foram doadas aos Beneditinos de Olinda em reconhecimento aos serviços prestados na guerra pelo Frei João da Ressurreição. Em 1792 concluiu-se o novo frontispício, com utilização de arenito dos arrecifes e azulejos brancos vindos de Portugal.

cam-igreja3
Padre Ivan abençoando Pollianne e Alexandre

Nesse santuário que é lindo demais, no estilo barroco, estão enterrados João Fernandes Vieira e André Vidal de Negreiros. Pois foi nesse cenário deslumbrante aconteceu o casamento de Pollianne, filha de Clenilda e Edmilson Venancio e Alexandre, filho de Maria Alice Lisboa de Souza Leão e Alexandre Augusto Cardoso. A cerimônia foi presidida pelo padre Ivan de Medeiros. O templo nem precisava de decoração, mesmo assim Rafael Santos colocou seis lanternas indianas na sua entrada e na nave central vasos de rosas e lírios. Ao lado do altar dois arranjos de alstromerias e gypsophilas. Um detalhe tudo era branco.

cam-altar
Um close da benção dos noivos pelo padre Ivan

Os padrinhos entraram ao som de Pompa & Circunstancia. Os da noiva: Bruna e Henrique Marinho, Pauline e Ricardo Oliveira, Maria e Renato Victor, Juliana e João Henrique Martins, Cinthia e Delmiro Campos, Renata Moura e Marcos Falcão, Sabrina Carvalho e Gabriel Petribu, Cecilia Santovena e Pedro Brennand, Geisa Carvalho e Paulo Roberto Silva. Os do noivo: Mariana e Wellington Câmara, Margarida e Joezil Barros, Aída e Alde Santos, Tatiana e Sérgio Andrade Lima, Luciana e Leonardo Braga, Mariah Amorim e Felipe Bravo, Lucianna Andrade e Luiz Ignacio Pessoa de Mello, Patricia Cardoso e Armando Monteiro Bisneto, Cecilia Monteiro e Bruno Borba.

cam-altar2
Alexandre beijando as mãos de Pollianne sob o olhar do Padre Ivan

Mãe da noiva Clenice e o pai do noivo, Alexandre surgiram na igreja com a ária da Corda Sol de Bach. O noivo, Alexandre by Marcel Rochas, ao lado da mãe, Alicinha seguiram até o altar ao som de As Times Goes By. De repente os sinos tocam e Pollianne, muito bonita num modelo assinado por Roberta Imperiano, à côté o pai, Edmilson, surgiu pela porta principal tendo como fundo musical Feels like Home. Pollianne e Alexandre deixaram a igreja ao som de Bittersweet Symphony. A parte musical foi assinada por Lucio Azevedo e o cerimonial grifado pela Criativa Cerimonial e Assessoria de Eventos.