Fernando Machado

Blog

Categoria Esportes

Martina Grael & Volta ao Mundo

Exemplo de mulher à frente de seu tempo, a medalhista olímpica Martine Grael partiu da Nova Zelândia num veleiro e virá até Itajaí, em Santa Catarina. Ela integra uma das sete equipes da Volvo Ocean Race, competição que começou em outubro do ano passado na Espanha e que desembarca no Brasil no período de 5 a 22 de abril. Filha do também campeão olímpico Torben Grael, Martine dará a volta ao mundo na embarcação, mostrando a força feminina no esporte à vela.

A medalhista Martine Grael (Foto: Ainhoa Sanchez)

Ingrid Schmidt como Rainha dos Jogos da Primavera do Rio de Janeiro (O Cruzeiro)

Não esquecer que Martine Grael é neta da belíssima Miss Estado do Rio de 1955, Ingrid Schmidt, foi Rainha da Primavera do Rio de Janeiro, em 1954 e campeã em várias modalidades de esportes. Martina é medalhista de ouro nas Olimpíadas do Rio em 2016. Com esta medalha, ela e o pai Torben Grael são os únicos pai e filha campeões olímpicos da história do Brasil. Em 2014 foi eleita pelo Comitê Olímpico Brasileiro como a Atleta do Ano e faturou a medalha de prata nos Jogos Panamericanos de Toronto em 2015.

Copa Remo Norte/Nordeste de 1982

Há 35 anos, Pernambuco ganhava a Copa de Remo Norte-Nordeste, na Bacia do Pina. No 1º páreo 4 com patrão venceu PE (Alan Carvalho Miranda, Carlos Henrique Mendes, Charles Autran e Adaneur Araujo). No 2º páreo Peso levw venceu o Pará. No 3º páreo 2 sem patrão venceu PE com Samuel Mocock e Nelson Linhares Azevedo. No 4º páreo Skiff venceu a Bahia. No 5º páreo 2 sem patrão venceu PE com Alan Carvalho Miranda e Carlos Henrique Mendes.

No 6º páreo 4 sem patrão venceu PE com Fernando Jose Lira, Nivaldo B de Oliveira, Odilo Aragão e Marcus César Mulatinho). No 7º páreo skiff venceu a Bahia e no 8º páreo 8 com patrão venceu o Espírito Santo. Resultado final primeiro lugar Pernambuco, em segundo lugar a Bahia, em terceiro lugar o Pará, em quarto lugar o Rio Grande do Norte e em quinto lugar o Espírito Santo.

Maratona da Salvação

Correr sete maratonas em sete continentes durante sete dias consecutivos, do frio da Antártida (-30ºC) ao calor de Dubai (40ºC). Essa foi apenas uma das aventuras encaradas pelo maratonista extremo de Curitiba Marcelo Alves. O atleta se especializou em desafiar limites e superar obstáculos intransponíveis para grande parcela da humanidade, como a vez que participou de uma maratona no temido Everest, com a largada a 6 mil metros de altitude, e teve que passar dez dias na região para um período de adaptação que resultou na perda de 10kg antes da largada.

O maratonista Marcelo Alves (Foto: Divulgação)

Mas para Marcelo Alves, suas provas não chegam nem perto da luta pela vida travada por pessoas em tratamento de leucemia e outras doenças sanguíneas. Então, o maratonista passou a viajar o mundo destacando importância da causa da medula óssea. Agora, Marcelo Alves parte para mais um capítulo incrível dessa história, lançando o movimento The Hardest Run, idealizado em parceria com o Hospital Nossa Senhora das Graças, referência nacional quando o assunto é transplante de medula óssea. A ideia do movimento é reunir corredores profissionais e amadores em uma equipe internacional de doadores.

América 1×1 CSA  

A arquibancada do América no dia de sua inauguração (Foto: Diário de Manhã)

Há 90 anos, o America inaugurava a arquibancada do seu campo localizada na Jaqueira, com uma partida contra o CSA de Alagoas. O jogo terminou empatado de 1×1. Os gols foram Vieira pelo América e Adolpho pelo CSA.

O time do América (Foto: Diário da Manhã)

America jogou com Ilo; Jorge e Gandra; Casado, Gama e Miguel; Eric, Meira, Tasso, Vieira e Lapenda. O CSA com Mendes; Geraldo e Arthur; Braulio, Mimi e Campello; Octavio, Fininho, Adolpho, Ricardo e Rodrigues.

O time alagoano do CSA (Foto: Diário da Manhã)05