Fernando Machado

Blog

Categoria Miss

Miss Grand International 2018

O concurso de Miss Grand International 2018 que será realizado no próximo dia 25, no The ONE Entertainment Park, em Rangum, Myanmar. Deverão participar do festival da beleza 78 candidatas. A peruana María José Lora, Miss Grand International 2017, é quem vai coroar a vencedora.

María José Lora, Miss Grand International de 2017 (Foto: Concurso)

O primeiro Miss Grand International aconteceu na Tailândia em 19 de novembro de 2013 e teve como vitoriosa Janelee Chaparro de Porto Rico. Em 2014, a vencedora foi Daryanne Lees de Cuba. Em 2015 venceu Claire Parker da Austrália. Em 2016 a vitoriosa foi Ariska Putri da Indonésia.

Os trajes típicos de Gabrielle Vilela e de Di Lika (Fotos: Concurso)

O Brasil este ano será representado por Gabrielle Vilela que disputou o concurso de Miss Mundo de 2017 e não figurou nem no Top 15. Na seleção do melhor traje típico venceu Miss Grand Cambodja, Di Lika. A Miss Argentina, Maria Julieta Weles, é linda e certamente ficará no Top 15.

Miss Argentina, María Julieta Weles (Foto: Concurso)

Miss Terra de 2018

Margo Fargo da África do Sul e Maren Tschinkel da Alemanha (Fotos: Concurso)

No dia 3 de novembro, no Mall of Asia Arena, de Pasay, nas Filipinas, vamos ter a escolha da Miss Terra de 2018. Vão participar do concurso 89 candidatas. A primeira edição aconteceu em 28 de outubro de 2001, em Manila também nas Filipinas com a participação de 42 candidatas. A vencedora foi a dinamarquesa Catharina Svensson.

Dolores Cardoso da Argentina e Sona Danielyan da Armênia (Fotos Concurso)

A representante do Brasil, Simone Régis foi eleita Miss Vento, Margarita Kravtsova do Cazaquistão foi eleita Miss Água e Daniela Stucan da Argentina Miss Fogo. O formato do concurso é diferente. Temos as Misses Terra, Vento, Água e Fogo. A vencedora será coroada pela Miss Terra de 2017, a filipina Karen Basco.

Monique Shippen da Austrália e Melanie Mader da Austria (Fotos: Concurso)

Sônia Maria Campos:  7ª mais bela do Mundo

Gunilla, Claudine, Penelepoe, Vinnie, Lucienne e Sônia Maria Campos (Fotos: Alamy e O Cruzeiro)

Há 59 anos, acontecia no Lyceum Ballroom, em Londres, na Inglaterra, a escolha da Miss Mundo de 1958. Participaram do evento 22 candidatas. No top 7 ficaram Sonia Maria Campos (Brasil), Eileen Elizabeth Sheridan (Inglaterra), Lucienne Struve (Holanda), Gunilla Harriet Margareta Wågström (Suécia),   Vinnie Ingemann (Dinamarca), Claudine Ogger (França) e Penelope Coelen (África do Sul).

Na foto 17 candidatas, Sônia Maria Campos é a segunda da esquerda para direita (Foto: Manchete)

Top 12 foi formado por Penelope Coelen (África do Sul), Dagmar Herner (Alemanha), Sonia Maria Campos (Brasil), Marilyn Anne Keddie (Canadá), Vinnie Ingemann (Dinamarca), Nancy Anne Corcoran (Estados Unidos), Claudine Oger (França), Lucienne Struve (Holanda), Eileen Elizabeth Sheridan (Inglaterra), Elisabetta Velinsky (Itália), Ase Qjeldvik (Noruega), Gunilla Harriet Margareta Wågström (Suécia).

Sônia Maria Campos com as misses Nancy Anne Cocoran dos Estados Unidos e Hisako Okuse do Japão (Fotos: UPI/O Cruzeiro)

Participaram do Miss Mundo de 1958 as jovens Penelope Coelen (África do Sul), Dagmar Herner(Alemanha), Michele Gouthals (Bélgica), Sonia Maria Campos (Brasil), Marilyn Anne Keddie (Canadá), Vinnie Ingemann (Dinamarca), Nancy Anne Corcoran (Estados Unidos), Claudine Oger (França), Mary Panaoutsopoulou (Grécia), Lucienne Struve (Holanda), Eileen Elizabeth Sheridan (Inglaterra), Susan Riddell (Irlanda), Hjordis Sigurvinsdóttir (Islandia).

Penelope Coelen no trono e com traje típico (Fotos: Divulgação)

Ainda Rachel Shafrir (Israel), Elisabetta Velinsky (Itália), Hisako Okuse(Japão), Jocelyne Lambin (Marrocos), Ase Qjeldvik (Noruega), Gunilla Harriet Margareta Wågström(Suécia), Denise Orlando (Tunísia), Sunay Uslu (Turquia) e Ida Margarita Pieri (Venezuela). O Brasil, com a pernambucana Sônia Maria Campos participava pela primeira vez do concurso. A Miss França, Claudine Oger, virou atriz de cinema, com o nome de Claudine Auger. Inclusive atuou em James Bond.

As 16 jovens de traje típico em foto oficial (Foto: Manchete)

Veja o desfile no https://www.youtube.com/watch?v=zEnPP0PQfTw

Maria da Glória: Miss Internacional de 1968

Há 50 anos no Nippon Budokan em Tóquio, no Japão, a brasileira Maria da Glória Carvalho, era eleita Miss Beleza Internacional de 1968, por sinal a única representante do Brasil ganhar este título. Miss Internacional de 1967 foi Mirta Massa da Argentina. Elena Restrepo da Bolívia foi escolhida Miss Simpatia, Rungtip Pinyo da Tailândia ficou como Miss Fotogenia e Rosário Villam faturou o troféu de melhor traje típico.

Maria da Glória Carvalho sendo convidada para o Top 15 (Foto: O Cruzeiro)

As 15 semifinalistas foram Maria da Glória Carvalho (Brasil), Rosário Villa (Colombia), Kim Hee (Coreia do Sul), Dorrit Frantzen (Dinamarca), Marie Smith (Escócia), Ann Macquarrie (Estados Unidos), Nenita Tuazon (Filipinas), Nancy Gallerne (França), Sumita Sem (Índia), Daniela Hod (Israel), Yoko Sunami(Japão), Nádia Leets (Nicarágua), Annika Hemminge (Suécia), Irene Stierli Smith (Suíça) e Rungtip Pinyo (Tailândia).

Maria da Glória Carvalho sentada no trono como Miss Internacional de 1968 (Foto: O Cruzeiro)

No final foram escolhidas Maria da Glória como Miss Beleza Internacional de 1968; Annika Hemmeingeda Suécia em segundo; Ann Macquarrie dos Estados em terceiro; Dorrti Frantzen da Dinamarca em quarto e Rungtip Pinyo da Tailândia em quinto. Participaram do concurso 49 candidatas.

Miss Fotogenia, Rungtip Pinyo, Nancy Gallerne e Maria da Gloria com seus trajes típicos (Foto: O Cruzeiro)

Participaram do concurso: Mary Winifred (África do Sul), Margot Schmalzriedt (Alemanha), Ana Inés Puiggros (Argentina), Denise Hughes (Austrália), Huberta Kessler (Áustria), Janine Patteeuw (Bélgica), Ana Maria Amelunga (Bolivia), Maria da Glória Carvalho (Brasil), Patricia Lane (Canadá), Manel Eriyagama (Ceilão), Rosario Villa (Colombia), Marie Basoko (Congo), Hee Ja-Kim (Coreia do Sul), Ana Maria Rivera (Costa Rica), Dorrit Frantzen (Dinamarca).

Mirta Massa coroando Maria da Glória Carvalho (Foto: Manchete)

Ainda Yolanda Urquijo (Espanha), Enriqueta Valdez (Equador), Marie Smith (Escócia), Karen MacQuarrie (Estados Unidos), Nenita Tuazon Ramos (Filipinas), Satu Kostiainen (Finlândia), Nancy Gallerne (França), Fani Sakantani (Grecia), Elaine Calvo (Guão), Cecille van der Lelie (Holanda), Hui Ling-Ling (Hong Kong), Sumita Sem (India), Sylvia Taliwongso (Indonésia), Glória Best (Inglaterra), Frances Clarke (Irlanda), Daniela Hod (Israel), Vanna Torri (Itália), Tatjana Albahari (Iugoslávia).

Karen, Sumita, Yoko, Marie, Viola Maria da Glória e Mady (Foto: O Cruzeiro)

E finalmente Yoko Sunami (Japão), Mady Reiter (Luxemburgo), Maznah Binte (Malásia), Aroha Manawatu (Nova Zelândia), Nadia Leets (Nicarágua), Hedda Lie (Noruega), Kay House (Pais de Gales), Elsa Méndez (Porto Rico), Teo Kim Neo (Singapura), Annika Hemminge (Suécia), Irene Stierli (Suíça), Rungtip Pinyo (Tailândia), Viola Teriitahi (Taiti), Gul Ustun (Turquia), Soledad Gandos (Uruguai) e Jovan Navas (Venezula).