Fernando Machado

Blog

Categoria Miss

Sonia Maria Campos no Miss Brasil Mundo

A pernambucana Sonia Maria Campos Batista, Miss Brasil Mundo de 1958, deu um único toque de glamour ao Miss Brasil Mundo de 2018. Como o evento comemorava 60 anos e Sônia foi a primeira Miss Brasil Mundo, ter recebido uma homenagem mais significativa. A Miss Mundo de 1971, Lucia Petterle, foi a presidente do júri e divulgou as vencedoras. A coordenação esqueceu o principal: Lucia deveria ter coroado a Miss Brasil Mundo de 2018.

Sônia Maria Campos e Lucia Petterli durante o ensaio (Foto: João Ricardo Dias)

Anuska Prado e Sônia Maria Campos, Misses Brasil Mundo de 1996 e de 1958 (Foto: Instagram)

 

E por falar no concurso, foi muito morno e sem calor humano. O apresentador é fraco não soube tirar proveito dos momentos que precisam de suspense. Muito missólogos não gostaram do que viram. A vencedora foi Jéssica Carvalho do Piauí. Foi melhor do que o Mister Brasil CNB de 2018. Aquilo não foi um concurso de beleza e sim uma gincana de beleza. Detestei. Os candidatos nordestinos foram garfados.

Mister e Miss Rodeio do Brasil 2018

Domingo, na Praça de Alimentação do North Shopping Barreto, em São Paulo, foram eleitos o Mister Rodeio Brasil e a Miss Rodeio Brasil 2018, João Vitor Pedro, de Serrana/SP e Tatiana Soares, de Taquaritinga/SP respectivamente. Concorreram ao titulo 14 rapazes e 10 garotas de diversas cidades do Brasil. Os meninos usaram chaparreira e as meninas trajes típicos da coleção do artista Marcelo Ortale.

Marcelo Munhoz, João Vitor Pedro e Thiago Cerqueira (Fotos: Jean Carlos Teixeira)

Luana Brito, Tatiana Soares e Adrielly Borsani (Fotos: Jean Carlos Teixeira)

Nos os segundos lugares ficaram Marcelo Munhoz e Luana Brito, batizados de Mister Cowboy do Brasil e Miss Cowgirl do Brasil. Nos terceiros lugares ficaram Thiago Cerqueira e Adrielly Borsani, que receberam os títulos de Mister e Miss Brasil Sertanejo de 2018. O concurso é uma realização de MF Comunicação & Eventos, leia-se Milton Figueiredo e a produção de Reinaldo Costa.

Luz Marina Zuluoga: Miss Universo de 1958

A foto oficial das candidatas ao Miss Universo de 1958 (Foto: Manchete)

Hoje, faz 60 anos, que Luz Marina Zuluoga, Miss Colômbia, era eleita no Long Beach Municipal Auditorium, na Califórnia, Miss Universo de 1958, que foi coroada pela Miss Universo de 1957, Gladys Zender. Participaram do concurso 35 candidatas. Eugenia María Valverde Guardia, Miss Costa Rica, foi desclassificada por ser de menor de idade. A Miss Holanda, Corine Rottschafer, ficou no Top 15 e foi eleita Miss Mundo de 1959. Uma observação importante tanto Luiz Marina como Adalgisa já faleceram.

O Top 15 (Foto: Manchete)

O Top 15 foi formado por Marlies Behrens (Alemanha), Adalgisa Colombo (Brasil), Raquela Urrutia(Chile), Luz Marina Zuluoga (Colômbia), Evy Norlund (Dinamarca), Eurlyne Howell (Estados Unidos), Marily Kalimopoulou (Grécia), Geri Hoo (Havai), Corine Rottschafer (Holanda), Miriam Hadar (Israel), Tomoko Moritake  (Japão), Beatriz Boluarte (Peru), Alicya Bobrowska (Polonia), Birgitta Gardman(Suécia) e Gertrud Gummels (Suriname).

Adalgisa Colombo, Geri Hoo, Luz Marina Zuluoga, Eurlyne Howell e Alicya Bobrowska (Foto: Divulgação)

Tomoko Moritake do Japão foi eleita Miss Simpatia, Corine Rottschafer da Holanda Miss Fotogenia e Astrid Lindholm da Austrália a Garota Popular. Finalmente, o apresentador Byron Palma, chamou o Top 5: em 5º lugar ficou Alicja Bobrowska da Polônia, em 4º lugar Eurlyne Howell dos Estados Unidos, em 3º lugar Geri Hoo do Havaí, em 2º lugar Adalgisa Colombo do Brasil e a vencedora foi Luz Marina Zuluagada Colômbia.

As cinco finalistas em dois momentos (Foto: O Cruzeiro)

A nova Miss Universo, Luz Marina Zuluaga (1938/2015) tinha 1m62 de altura, 52 kg de peso, 90cm de busto e quadris e 60cm de cintura. Era a primeira vez que seu país participava do concurso. Já a Miss Brasil, que ficou no segundo lugar, Adalgisa Colombo (1940/2013), repetia o feito de Maria Martha Hacker Rocha, em 1954, tinha 1m71 de altura, 62 kg de peso, 90cm de busto, 91cm de quadris e 62cm de cintura.

Luz Marina Zuluoga e Gladys Zender (Foto: O Cruzeiro)

Participaram do concurso Eleonor Moses (Alasca), Marlies Jung Behrens (Alemanha), Celina Mercedes Ayala (Argentina), Astrid Tanda Lindholm (Austrália), Liliane Taelmans (Bélgica), Adalgisa Colombo(Brasil), Eileen Cindy Conroy (Canadá), Raquela Molina Urrtia (Chile), Marion Willis (Cingapura), Luz Marina Zuluaga (Colômbia), Oh Geumsoon (Coreia do Sul), Arminia Pérez y Gonzalez (Cuba), Evy Vallejo Eljuri (Equador), Eurlyne Howell (Estados Unidos), Monique Boulinguez (França), Marily Kalimopoulou (Grécia).

Adalgisa Colombo e Luz Marina Zuluaga comemorando no céu (Foto: O Cruzeiro)

Ainda Maya Glinz (Guatemala), Clyo Fernandez (Guiana Inglesa), Geri Hoo (Havaí), Corine Rottschafer(Holanda), Angela Tong (Índias Ocidentais), Dorothy Hazeldine (Inglaterra), Miriam Hadar (Israel), Clara Copella (Itália), Tomoko Moritake (Japão), Elvira Leticia Risser (México), Greta Andersen (Noruega), Graciela Scorza Leguizamón (Paraguai), Beatriz Boluarte (Peru), Alicja Bobrowska (Polônia), Birgitta Elisabet Gardman (Suécia), Gertrud Gummels (Suriname), Irene Augustyniak (Uruguai) e Ida Margarita Pieri Pérez (Venezuela).

O tradicional desfile de carros na Pacific Ocean Drive, era sempre um sucesso (Foto: Divulgação)

Ieda Maria Vargas: Miss Universo de 1963

O dia 20 de julho de 1963 foi muito importante para os missologos brasileiros. Foi nesta data nos tirou aquele complexo de segundo lugar. Em 1954 Martha Rocha e em 1957, Terezinha Morango ficaram no segundo lugar no concurso, que acontecia em Long Beach, na Califórnia. Pois bem, há 55 anos Ieda Maria Vargas, Miss Rio Grande do Sul e posteriormente Miss Brasil, era eleita no Miami Beach Auditorium, na Flórida, a primeira Miss Universo brasileira.

Foto oficial de metade das concorrentes (Foto: O Cruzeiro)

Em 1930, tivemos no Brasil um concurso no Rio de Janeiro, chamado Desfile Internacional de Beleza, onde a vencedora foi outra gaucha Yolanda Pereira. Todavia ele não é reconhecido oficialmente pelo Miss Universe Organization. Em 1963 participaram do concurso 50 candidatas. A primeira novidade da competição foi a presença da Miss Okinawa, Reiko Uehara, que causou interesse da imprensa por ser uma representante à parte do Japão. Então ocupada pelos norte-americanos.

Foto oficial das demais concorrentes (Foto: O Cruzeiro)

Algumas misses de belezas diferentes tornaram-se as favoritas, como as misses Aino Korva (Dinamarca), Lalaine Bennett (Filipinas), Helga Ziesemer (Alemanha), Marlene McKeowan (Irlanda), e a brasileira Ieda Maria Vargas, de sorriso largo e figura perfeita, transformada na favorita número 1 da América do Sul. A Miss Inglaterra, Susan Pratt, foi atropelada por um carro nas vésperas do concurso, quebrando uma perna e não pode desfilar. Mesmo assim, foi apresentada ao público na noite da final, entrando no palco em cadeira de rodas.

O Top 15 e Ieda Maria Vargas com seu traje de gaúcha estilizada criação de Djalma Santos (Fotos: Divulgação)

O Top 15 foi composto por Ellen Leibenberg (África do Sul), Helga Ziesemer (Alemanha), Olga Galuzi(Argentina), Gertrude Bergner (Áustria), Ieda Maria Vargas (Brasil), Ellen Leibenberg (Coréia do Sul), Cristina Alvárez (Colômbia), Aino Korva (Dinamarca), Marite Ozers (Estados Unidos), Lalaine Bennett (Filipinas), Riita Hellevi (Finlandia), Monique Lemaire (França), Gianna Serra (Italia),  Marlene McKeowan (Irlanda) e Noriko Ando (Japão). O melhor traje típico foi de Sherine Ibrahim (Israel), a Miss Fotogenia foi Marlene McKeown  da Irlanda e a Miss Simpatia foi a escocesa Grace Taylor.

Dois momentos lindos. O primeiro Norma Nolan sendo apresentada ao Top 15 (Foto: Manchete)

E na comissão julgadora estavam Edilson Cid Varela (coordenador do Miss Brasil), os atores Cesare Danova e Peter Sellers, os jornalistas Earl Wilson e Kiyoshi Hara, e ilustrador Russell Patterson. Finalmente, o Mestre de Cerimônias Gene Rayburn,  anunciou as cinco finalistas, depois de desfiles trajes típicos, maiô Catalina e vestido de baile: Quinto lugar ficou Kim Myoungja (Coréia do Sul), quarto lugar Lalaine Bennett (Filipinas), terceiro lugar Marlene McKeown (Irlanda), segundo lugar Aino Korva (Dinamarca) e a grande vencedora foi a brasileira Ieda Maria Vargas.

Norma Nolan depois de ter coroado Ieda Maria Vargas e Gene Rayburn (Foto: Manchete)

Participaram do concurso: Ellen Leibenberg (África do Sul), Helga Ziesemer (Alemanha), Olga Galuzzi(Argentina), Gertrude Bergner (Áustria), Sandra Young (Bahamas), Irene Godin (Bélgica), Ana Maria Gutiérrez (Bolivia), Ieda Maria Vargas (Brasil), Jane Kmita (Canadá), Manel da Silva (Ceilão), Maria Cristina González (Colômbia), Kim Myoungia (Coreia do Sul), Sandra Chryssopulos (Costa Rica), Alicia Chia (Cuba livre), Philomena Zielinski (Curaçao), Aino Korva (Dinamarca).

Ieda Vargas ladeada por Marlene McKeowan, Aino Korva, Lalaine Bennett e Kim Myoungia (Foto: Divulgação)

Patricia Córdoba (Equador), Grace Taylor (Escócia), Maria Rosa Gómez (Espanha), Marite Ozers(Estados Unidos), Lalaine Bennert (Filipinas), Riita Kautianinen (Finlandia), Monique Lemaire (França), Despina Orgetta (Grecia), Gloria Flackman (Guiana Inglesa), Elsa Onstenk (Holanda), Marlene McKeown (Irlanda), Theodora Thordardóttir (Islândia), Sherine Ibrahim (Israel), Gianna Serra (Itália), June Bowman (Jamaica), Noriko Ando (Japão), Mia Dahm (Luxemburgo), Selma Rahal (Marrocos).

Ieda Maria Vargas no trono como Miss Universo de 1963 (Foto: O Cruzeiro)

Leda Sánchez (Nicarágua), Eva Carlberg (Noruega), Regina Scandroff (Nova Zelândia), Reiko Uehara(Okinawa), Maureen Thomas (País de Gales), Amélia Benitez (Paraguai), Dora Toledano Godier (Peru), Jeanette Blascocechea (Porto Rico), Carmen de Benito (República Dominicana), Kerstin Jonsson (Suécia), Diana Tanner (Suíça), Brigitta Hougen (Suriname), Jean Sotodart (Trindad), Guler Sumaray(Turquia), Graciela Pintos (Uruguai) e Irene Morales Machado (Venezuela).