Fernando Machado

Blog

Categoria Miss

Rejane Vieira Costa: Miss Brasil de 1972

Hoje, faz 46 anos, que acontecia no Maracanãzinho, o concurso de Miss Brasil de 1972. Participaram do festival da beleza 26 candidatas. A vencedora foi Rejane Vieira Costa, Miss Rio Grande Sul, que foi coroada pela Miss Brasil de 1971, Eliane Parreira Guimarães. Em 2º lugar ficou Ângela Maria Favi (SP) que representou o Brasil no Miss Mundo, e em 3º Jane Vieira Macambira (GB), que representou o Brasil no Miss Internacional, também foi eleita Miss Simpatia. O show foi com Elza Soares, Beth Carvalho, Osmar Milito e o Quarteto Forma.

As candidatas desfilando na passarela (Foto: O Cruzeiro)

A comissão julgadora do Miss Brasil de 1972 (Foto: Manchete)

Rejane Vieira Costa nasceu no dia 15 de novembro de 1954 e faleceu no dia 26 de dezembro de 2013. Era vendedora de uma loja de sapatos quando foi convidada para ser Miss Pelotas. Ficou em segundo lugar no Miss Universo de 1972. Foi atriz da TV Globo nas novelas Ti, Ti, Ti, Felicidade, A Viagem, e Era Uma vez e cinema, quando atuou ao lado de Grande Otelo, no filme O Negrinho do Pastoreio. Casou com Rubens Goulart e Italo Granato. Deixou dois filhos Rodrigo e Julia.

Dois momentos da coroação: Eliane passando a faixa e a coroa para Rejane (Fotos: Manchete)

O júri foi presidido pelo Secretario de Turismo do GB, Rui Pereira da Silva e integrado pelos costureiros Marcilio Campos e Flávio Delgado, da modista Nicole de La Riviere, dos jornalistas Jorge Audi Justino Martins, da Miss Brasil de 1958 Adalgisa Colombo, das senhoras Maria Cecília Mendonça Mello e Maria Helena Brito, Felinto Rodrigues Netto, José Eduardo de Mello, Jorge Ferreira, deputado gaucho Victor Facioni, e o ator Jece Valadão.

Rejane de traje típico e com as misses Ângela Favi e Jane Macambira (Fotos: Manchete)

Depois dos desfiles de traje típicos, vestidos e maiôs Catalina, o júri escolheu o Top 8: Maria Bayma Souza Keth (CE), Maria Gariglio (ES), Jane Vieira Macambira (GB), Hilma Nascimento (MG),  Maria Madalena Jácome (PE), Rejane Vieira Costa (RS), Marlene Machado (SC) e Ângela Maria Favi (SP). Em 5º lugar ficou Maria Garigilio, em 4º Maria Madalena Jácome, em 3º Jane Vieira Macambira, em 2º Ângela Maria Favi e em 1º Jane Vieira Costa.

Jane Macambira, Hilma Nascimento, Madalena Jácome e Jane Vieira Costa (Fotos: Manchete)

Participaram do concurso Ana Maria do Rosário Lerner (Alagoas), Kátia Mara Houat (Amapá), Maria Suely Souza (Amazonas), Maria Adélia Junqueira (Bahia), Maria Bayma Souza (Ceará), Maria Célia Coelho Pereira (Distrito Federal), Maria Imaculada Gariglio (Espírito Santo), Maria Tereza Azevedo (Goiás), Jane Vieira Macambira (Guanabara), Fátima Elaine da Silva (Maranhão), Ivone de Barros (Mato Grosso), Hilma Nascimento (Minas Gerais).

Maria da Glória Carvalho, Miss Internacional de 1968; Rejane Vieira Costa e Lucia Tavares Petterle Miss Mundo de 1971 (Foto: Manchete)

Ainda Erinete Menezes Costa (Pará), Bernardete Fernandes Martins (Paraíba), Maria Dolores Peres Bordin (Paraná), Maria Madalena Jácome (Pernambuco), Carlota Maria de Carvalho (Piaui), Marli Pereira Carneiro (Rio de Janeiro), Tázia Bezerra de Sá (Rio Grande do Norte), Rejane Vieira Costa (Rio Grande do Sul), Kátia Fernanda Oliveira (Rondonia), Dacilda Socorro Amora (Roraima), Marlene Machado (Santa Catarina), Ângela Maria Favi (São Paulo), Jocenyr Monteiro Santos (Sergipe).

Mister e Miss Rodeio Brasil

Elivelton Rodrigues é de Catanduva, São Paulo (Foto: Concurso)

A final do VIII Concurso Nacional de Beleza Country será realizada no dia 29 de julho, às 17h, no North Shopping Barretos, em Barretos, São Paulo, como tem acontecido desde 2014, e este ano com uma novidade. A partir de agora, a a Musa do Rodeio Nacional, receberá o título de Miss Rodeio Brasil 2018. Agora temos a Miss Rodeio e o Mister Rodeio Brasil 2018.

Aline Charlot é de Guaíra, São Paulo (Foto: Concurso)

O Mister Rodeio Brasil é realizado desde 2011 quando foi eleito Kellton Viana, do Tocantins; Felipe Cunha de Minas Gerais em 2012; Lucas Bóvi de São Paulo em 2013; David Alexandre de Minas Gerais em 2014; Marcus Duarte de Roraima em 2015; Tiago Gussi do Paraná em 2016 e Aurélio Melo de São Paulo em 2017.

Christian Oliveira é de Tabapuã, São Paulo (Foto: Concurso)

A paulista Ingrid Irano foi a primeira Musa do Rodeio Nacional eleita em 2013. Sucederam-na Natália Bichuette em 2014, Suélen Del Vecchio em 2015, Mayara Barreto em 2016 e Denise Bueno em 2017, todas também de São Paulo. Os participantes desfilarão em traje de banho e traje típico do estilista barretense, Marcelo Ortale. O concurso é uma realização do jornalista Milton Figueiredo, com produção de Reinaldo Costa.

Adrielly Borsani é de Pradópolis, em São Paulo (Foto: Concurso)

Ieda Vargas: Miss Brasil de 1963

Há 55 anos que a minha amiga, a gaúcha, Ieda Maria Vargas era eleita no Ginásio do Maracanãzinho, no Rio de Janeiro, diante de um público estimado em 30 mil pessoas, Miss Brasil de 1963. A nova Miss Brasil que foi coroada pela baiana Maria Olivia Rebouças Cavalcanti, Miss Brasil de 1962. Em tempo: Ieda Maria Vargas foi eleita Miss Universo 1963, em Miami. O blog vai escrever tudo sobre o concurso no blog do próximo dia 20 de julho.

Maria Olivia Rebouças coroando Ieda Vargas (Foto: O Cruzeiro)

Na foto oficial aparecem 21 das 25 candidatas (Foto: Face)

Primeiro as 25 misses desfilaram em trajes típicos, a uma inovação do concurso, que depois virou um dos momentos mais ridículos, pois as misses começaram a surgir com verdadeiras alegorias, fugindo do tema. O de Ieda Maria Vargas foi escolhido o mais bonito. O Exaltação aos Pampas era realmente deslumbrante, foi criado pelo figurinista gaúcho Djalma Santos. Depois as candidatas ao título desfilaram de traje de noite e finalmente em traje de banho.

O Top 3: Tania, Ieda e Vera, além de Ieda Vargas no trono (Fotos: O Cruzeiro)

Ieda Vargas de maiô, traje típico e traje de baile (Fotos: O Cruzeiro e Manchete)

A comissão julgadora, foi presidida pelo Ministro Mauro Sales, e contou ainda com a participação da Miss Brasil de 1957 Teresinha Morango Pittiliani, da Miss Brasil de 1959 Vera Ribeiro Sêco Esmeraldino, o escultor Leão Veloso, os jornalistas Accioly Neto, Jacinto de Thormes e Justino Martins, o secretário de Turismo Vitor Bouças, a senhora Edda Lutti e o arquiteto Sérgio Bernardes.

Ieda Maria Vargas desfilando sua elegância montada num cavalo (Foto: O Cruzeiro)

Participaram do concurso 25 candidatas: Maria Cristina Laport  (Acre), Teresinha Binas (Alagoas),  Thêmis Kohler da Cunha  (Amapá), Fátima das Neves Silva (Amazonas), Jerusa Sampaio da Silva (Bahia), Denise Rocha de Almeida (Brasília),  Vera Maria Barros Maia (Ceará),  Sônia Martha Anders (Espírito Santo), Miriam Montenegro (Estado do Rio), Solange Brockers Tayer (Goiás), Vera Lúcia Ferreira Maia(Guanabara), Ester Ewerton Santos (Maranhão).

Misses Amazonas, Pará e Maranhão (Fotos: O Cruzeiro)

Misses Guanabara, Estado do Rio e Minas Gerais (Fotos: O Cruzeiro)

Ainda Terezinha Elizabeth Cruz Vadouski (Mato Grosso), Edma Saraiva (Minas Gerais), Nilda Rodrigues de Medeiros (Pará),  Kalina Lígia Duarte Nogueira (Paraíba), Tânia Mara Franco de Souza (Paraná), Vera Lúcia Torres Bezerra (Pernambuco), Maria da Consolação Teixeira e Silva (Piauí), Ísis Figueira de Melo(Rio Grande do Norte), Iêda Maria Bruto Vargas (Rio Grande do Sul), Olga Mussi (Santa Catarina), Dirce Augustus (São Paulo) e Zélia Maria Mendonça Lopes (Sergipe).

Misses Mato Grosso, Acre e Amapá (Fotos: O Cruzeiro)

Misses Paraíba, Pernambuco e Alagoas (Fotos: O Cruzeiro)

Pela primeira vez foi incluído o desfile de trajes típicos, que naquela época era típico mesmo, atualmente são alegorias carnavalescas.  Ieda Vargas desfilou com um traje exaltando os Pampas. Miss Paraná, Tânia Mara, estava de camponesa, Miss Guanabara, Vera Lucia, se apresentou com as Calçadas de Copacabana, e a Miss Pernambuco, Vera Lucia Bezerra desfilou de passista de frevo. Depois tivemos o desfile de traje de gala e finalmente o de traje de banho by Catalina.

Misses Piauí, Ceará e Rio Grande do Norte (Fotos: O Cruzeiro)

Misses Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul (Fotos: O Cruzeiro)

Coube ao apresentador do concurso Paulo Porto anunciar o Top 8: Amazonas, Distrito Federal, Guanabara, Pará, Paraná, Rio Grande do Sul, São Paulo e Sergipe. E o resultado final ficou assim: em 5º lugar Dirce Augustus (SP), em 4º Denise Rocha de Almeida (Brasília), em 3º Vera Lucia Ferreira Maia (GB), em 2º Tânia Mara Franco de Souza (PR) e a vencedora Ieda Maria Vargas (RS), que foi coroada por Maria Oliva Rebouças, Miss Brasil de 1962. Vera Maia foi Miss Simpatia, Tânia Mara Miss Fotogenia e Ieda Vargas o Melhor Traje Típico.

Misses Sergipe, Bahia e Espírito Santo (Fotos: O Cruzeiro)

Misses São Paulo, Brasília e Goiás (Fotos: O Cruzeiro)

Informações importantes: Denise Rocha de Almeida, Miss Brasília, ameaçou de não desfilar quando soube que sua inimiga Vera Ribeiro estava no júri. Quando saiu o resultou que tinha faturado o quarto lugar, Denise chorou bastante. Para quem não sabe Denise disputou o Miss Distrito Federal em 1959 e perdeu para Vera RibeiroNilda Medeiros, Miss Pará, era irmã, Gilda Medeiros, Miss Pará de 1955.

Notícias da Bahia

LeilaneFelipe, Guilherme e Beatriz Loureiro, Martha Vasconcellos e Marcelo Nilo (Foto: Divulgação)

Com o plenário da Assembleia Legislativa repleto de amigos e admiradores e no exato dia em que foi eleita Miss Bahia há 50 anos, a baiana Martha Vasconcellos foi agraciada, sexta-feira, com a Comenda Dois de Julho, a mais alta condecoração da Casa. O deputado Marcelo Nilo, autor da proposição, saudou a homenageada que adentrou ao plenário ao som da marchinha Martinha da Bahia, sucesso da época em que foi eleita a mais bela do universo. Nilo destacou a trajetória da soteropolitana, citando não somente os títulos de beleza, mas também o trabalho como psicóloga em Boston, defendendo mulheres vítimas de violência doméstica, e os três prêmios que recebeu na área dos direitos humanos nos EUA.

Martha entre os filhos Leonardo e Leilane (Foto: Divulgação)

Após um vídeo sobre sua vida e ao som da música Martinha dos Quindins de Ioiô e Iaiá, Martha recebeu a comenda entregue pelos três netos, Felipe, Guilherme e Beatriz, e flores das Misses Bahia Marisabel Boere (85), Morgana Brasil (86) e Cynara Fernandes (87), além da Miss Brasil 91 Patrícia Godoi. No seu agradecimento, a Miss Universo 1968 destacou a felicidade de ter divulgado a Bahia nos cinco continentes e a sua personalidade, aliada à base familiar, o que permitiu que pudesse defender com tanto empenho as mulheres abusadas. No final foi aplaudida de pé

Martha recebendo flores de Morgana Brasil, Patricia Godoi, Marisabel Boere e Cynara Fernandes (Foto: Divulgação)

Martha foi a última baiana a vencer o concurso nacional e a última brasileira a ser eleita Miss Universo. O Jubileu de Ouro das conquistas tem rendido homenagens em diversos estados do país, como Paraná, Rio Grande do Norte, Sergipe, Pernambuco, São Paulo e no Rio de Janeiro, durante o com curso de Miss Brasil de 2018, no mês passado. (Jornalista Roberto Macedo)

O missologo Roberto Macedo e sua musa Martha Vasconcelos (Foto: Face)