Fernando Machado

Blog

Categoria Miss

Renascença: O clube das mulatas

Vera Lúcia Couto dos Santos de maiô e longo by Hugo Rocha (Foto: Manchete)

Como diz a marcha de João de Barro e Antônio Almeida gravada em 1947:  “Branca é branca preta é preta / Mas a mulata é a tal, é a tal! / Quando ela passa todo mundo grita: / “Eu tô aí nessa marmita!” / Quando ela bole com os seus quadris / Eu bato palmas e peço bis / Ai mulata, cor de canela! / Salve salve salve salve salve ela!”

O top 4 do Miss GB de 1960: Martha Angerman, Gina Macpherson, Shirley Carneiro e Dirce Machado (Foto: O Cruzeiro)

Há 48 anos, acontecia o ultimo concurso para a escolha da Miss Clube Renascença, para disputar o Miss Guanabara de 1970. Participaram da escolha 10 jovens: Edna Costa, Gina Ângela Rodrigues, Joira de Castro Barreto, Leda Vasco, Sônia Cristina Atanazio, Sônia Santos, Sônia Silva, Valberth da Silva Souza, Vera Lucia Correia e Yara Alcântara. E assim encerrou a era de ouro das mulatas do Renascença.

Sonia Silva, Edna, Vera Lúcia, Joira, Valbeth, Sonia Santos, Leda Vasco e Yara Alcântara candidatas do Renascença (Foto: O Cruzeiro)

A vencedora foi a pernambucana Sônia Silva. Essa competição começou em 1959, quando a cabeleireira Diná Duarte reuniu um grupo de mulatas, de fechar o comercio, para desfilar no Clube de Regatas Flamengo. Como pediram bis, Diná foi mais audaciosa e lançou uma candidata ao Miss Guanabara de 1960, Dirce Machado, que faturou o 4º lugar no concurso. Em 1965 o clube não apresentou candidata e em 1969 o Renascença ficou fora novamente dos holofotes.

As mulatas Sonia Silva, Leda Vasco, Yara Alcântara e Edna Costa (Foto: O Cruzeiro)

Não podemos esquecer a Miss Renascença de 1964, Vera Lucia Couto dos Santos que venceu o Miss GB, ficou no 2º lugar no Miss Brasil de 1964, e foi 3º lugar no Miss Beleza Internacional, em Long Beach. O clube foi fundado em 17 de fevereiro de 1951 por um grupo de deuses de ébano de classe média, os advogados Oscar e Jandir de Paula Assis; os comerciantes Domingos e Idalina de Jesus Soares, os médicos Humberto e Diva de Oliveira, além de Enedina Rodrigues da Silva.

Miss Renascença, Sonia Silva, na passarela do Miss Brasil dia 13 de junho de 1970 (Foto: O Cruzeiro)

Vânia Pinto: Miss Brasil de 1939

Há 80 anos, no Cassino da Urca, no Rio de Janeiro, Vânia Pinto do Distrito Federal, era eleita Miss Brasil de 1939. Em 2º lugar ficou Esilda Lisboa do Rio Grande do Sul e em 3º lugar Cleyde Escobar de São Paulo. O top 5 foi formado por Vânia Pinto do Distrito Federal, Neyde Tinco do Estado do Rio, Maria Thereza Valença Cavalcanti de Pernambuco, Esilda Lisboa do Rio Grande do Sul e Cleide Escobar de São Paulo. Participaram 17 candidatas.

As candidatas num click especial para os jornais da época (Foto: Divulgação)

Vânia Pinto e Maria Thereza Valença Cavalcanti (Fotos: Manchete e Acervo do blog)

As candidatas foram Enilda Braga de Alagoas, Sarah Benaon do Amazonas, Gladys Browne da Bahia, Maria Luiza Fontenelli do Ceará, Vânia Pinto do Distrito Federal, Elza Fernandes do Espírito Santo, Neyde Tinoco do Estado do Rio, Azélia Barreto do Mato Grosso, Juliane Bretas de Minas Gerais, Jaira Lafite do Paraná, Marluce Simões da Paraíba, Maria Thereza Valença Cavalcanti de Pernambuco, Vera Dantas do Rio Grande do Norte, Esilda Lisboa do Rio Grande do Sul, Zenaide Baptista do Piaui, Ascendina Santos de Santa Catarina e Cleyde Escobar de São Paulo.

Catriona Gray é a Miss Universo de 2018

Aconteceu domingo, na Impact Arena, em Pak Kret, Região Metropolitana de Bangkok, na Tailândia, a escolha da Miss Universo de 2018. Venceu a filipina Catriona Gray, 24 anos, foi a quarta vez que a coroa vai para o país asiático. Antes venceram o concurso Gloria Maria Aspillera Díaz em 1969, Maria Margarita Roxas Moran em 1973 e Pia Alonzo Wurtzbach em 2015. No ranking os Estados Unidos tem oito títulos, a Venezuela sete, Porto Rico cinco e Filipinas quatro. Ela foi coroada pela Miss Universo de 2017 Demi-Leigh Nel Peters .

O Top 20 (Foto: AP)

O Top 10 (Foto: AP)

O Brasil coitado venceu apenas duas vezes nestes 66 anos de concurso, com Ieda Vargas em 1963 e Martha Vasconcellos em 1968. O deste ano apesar de 94 representantes foi ágil. O cenário estava belíssimo e a passarela em X nos fez lembrar os gloriosos concursos do Maracanãzinho, no Rio de Janeiro. Vibrei. A abertura maravilhosa mostrou a cultura tailandesa e misturada com o cantor Ne-Yo. O terno do host Steve Harvey personalizado e no interior do seu paletó os nomes dos países que disputaram o Miss Universo de 2018.

Kiara Ortega, H’Hen Niê, Catriona Gray, Tamaryn Green e Sthefany Gutierrez (Foto: AFP)

A mais bela miss do concurso, a deusa de ébano Melba Shakabozha de Zâmbia (Foto: Concurso)

O evento teve muitas inovações e injustiças. A não inclusão da Miss Zambia, Melba Shakabozha pelo menos no Top 20, foi um horror. Para mim será a Miss U e a Miss Curaçao Akisha Albert não ter ficado no Top 5 arranharam a administração do evento. Foram selecionadas cinco candidatas da África e da Ásia, cinco da Europa, cinco das Américas e cinco na Repescagem. Por uma parte foi válido mas por outra prejudicou várias candidatas.

Outra linda miss, a Miss Curaçao, Akisha Albert (Foto: Concurso)

A melhor Alegoria, ops, traje típico foi do representante de Laos, On-anong Homsombath (Foto: Reuters)

No Top 20: Tamaryn Green (África do Sul), Catriona Gray (Filipinas), Manita Devkota (Nepal), H´Hen Niê (Vietnã), Sophida Kanchanarin (Tailândia), Magdalena Swat (Polônia), Zoe Brunet (Bélgica), Dee-Ann Kentish Rogers (Grã-Bretanha), Enikő Kecskès (Hungria), Grainne Gallanagh (Irlanda), Akisha Albert (Curaçao), Natália Carvajal (Costa Rica), Marta Stepien (Canadá), Kiara Ortega (Porto Rico), Emily Maddison (Jamaica), Sarah Rose Summers (Estados Unidos), Sthefany Gutierrez (Venezuela), Sonia Citra (Indonésia), Mayra Dias (Brasil) e Francesca Hung (Austrália).

Catriona Gray sendo coroada por Demi-Leigh Nel Peters (Foto: Reuters)

Mayra Dias do Brasil e Andrea Diaz do Chile (Fotos: Concurso)

o Top 10: Tamaryn Green (África do Sul), H´Hen Niê (Vietnã),, Sthefany Gutierrez (Venezuela), Catriona Gray (Filipinas), Natália Carvajal (Costa Rica),  Akisha Albert (Curaçao),  Manita Devkota (Nepal),  Marta Stepien (Canadá), Sophida Kanchanarin (Tailândia) e Kiara Ortega (Porto Rico). No Top 5: Kiara Ortega (Porto Rico), H´Hen Niê (Vietnã), Sthefany Gutierrez (Venezuela),  Tamaryn Green (África do Sul), e Catriona Gray (Filipinas). Na classificação final ficaram 3º lugar Sthefany Gutierrez (Venezuela),  em 2º lugar Tamaryn Green (África do Sul), e em 1º lugar Catriona Gray (Filipinas), que foi coroada pela Miss Universo de 2017. O melhor Traje Típico foi o de On-anong Homsombath de Laos.

 

 

Hoje é dia do Miss Universo

Misses Brasil Mayra Dias e Canadá Marta Stepien (Fotos: Concurso)

Hoje, vamos ter na Impact Arena, em Pak Kret, Região Metropolitana de Bangkok, na Tailândia, a escolha da Miss Universo de 2018. Vão participar do festival 94 candidatas. O concurso foi fundado no dia 28 de junho de 1952, em Long Beach, na California, por William Morris Endeavor. A primeira Miss Universo foi a finlandesa Armi Kuusela. A Tailandia conquistou duas vezes o titulo em 1965 com Apasra Hongsakula e em 1968 com Porntip Nakhirunkanok.

Misses Albânia Trejsi Sejdini e Argentina Agustina Pivowarchuk (Fotos: Concurso)

Misses China Meisu Qin e Coréia Ji-Hyun Baek (Fotos: Concurso)

A atual Miss Universo é a sul-africana Demi-Leigh Nel-Peters. Esta será a quarta vez consecutiva que Steve Harvey apresentará o concurso. Os Estados Unidos conquistaram a coroa de Miss Universo 8 vezes. O Brasil foi coroado duas vezes. A primeira em 1963 com Ieda Vargas e a segunda com Martha Vasconcelos. A candidata preferida do blog é a Miss Zâmbia Melba Shakabozha.

Misses Costa Rica Natalia Carvajal e Curaçao Akisha Albert (Fotos: Concurso)

Misses Estados Unidos Sarah Rose Summers e Filipinas Catrione Gray (Fotos: Concurso)

A Miss mais alta é Aramide Oluwatobi Lopez da Nigéria, tem 1m86 de altura e a mais baixa é Angella Dalson com 1m63 de altura. A mais velha é Natalia Sancherz da Costa Rica com 28 anos e as mais novas são Sofia Marrero do Uruguai; Yulia Polyachikhin da Rússia, Nikel Kirat Reznokov de Israel, Sabine Azimbaeva do Cazaquistão, Zoé Brunet da Bélgica e Trejsi Sejdini da Albania, com 18 anos de idade.

Misses- Indonesia Sonia Citra e Nigéria Aramide Lopez (Fotos: Concurso)

Misses Rússia Yulia Polyachikhina e Tailândia Sophida Kanchannarin (Fotos: Concurso)

A comissão julgadora é formada por apenas sete pessoas, somente em Pernambuco, o jurado é um exercito, perdendo o charme dos membros. São do júri Liliana Gil Valletta, empresária colombiana; Janaye Ingram, (Miss Nova Jersey de 2004), Iman Oubou, (Miss Nova Iorque de 2015); Monique Lhullier, (estilista), Michelle McLean (Miss Universo de 1992), Porntip Nakhirunkanok Miss Universo de 1988 e Richelle Singson-Michael (empresária).

Misses Venezuela Sthefany Gutierrez e Zâmbia Melba Shakabozha (Fotos: Concurso)