Fernando Machado

Blog

Tag zero

Anotações do Cotidiano

Hoje, às 10h, no Marco Zero acontecerá a concentração da carreata geral, onde os empresários, comerciantes, motoristas de aplicativo, profissionais liberais e de todos que precisam que o Brasil volte a funcionar Já! Vamos isolar nossos idosos, tratar os enfermos, o resto precisa voltar para a guerra! #voltabrasil. O destino é Palácio do Governo e a Prefeitura do Recife. Vamos torcer para que a ditadura socialista não crie obstáculos.

O cineasta Thales Corrêa (Foto: Divulgação)

Diretor, ator e roteirista, Thales Corrêa, de 31 anos, imprimiu seu talento em todas as suas áreas de atuação em seu primeiro longa metragem Nos Becos de São Francisco, uma comédia ousada sobre o universo LGBTQ, disponível no Now, serviço de Streaming e On Demand da Net. Nascido em Minas Gerais, Thales mudou-se para Los Angeles aos 21 anos e frequentou a Escola de Cinema da UCLA.

Anotações do Cotidiano

Desde ontem que a Fundaj poderá ofertar cursos de pós-graduação por meio de uma Escola de Governo feita para aproximar conhecimento e prática. A proposta une três pilares básicos, ensino, pesquisa e projetos, apresentando a Pernambuco e ao Brasil, um modelo de escola diferente. Isso graças ao credenciamento feito pelo Ministro da Educação, Mendonça Filho.

O Marco Zero do Recife recebe hoje uma programação especial pelo Dia Mundial de Conscientização sobre Mucopolissacaridoses, o MPS DAY. O evento é promovido pelo Instituto Breno de Bloise de Doenças Raras, com objetivo de gerar conhecimento e engajamento social sobre essa doença. A ação terá os Bonecos Gigantes de Olinda e Orquestra de Frevo.

O Maior Espetáculo do Carnaval

O palco do Marco Zero, que foi inaugurado no dia 31 de janeiro de 1938, estava pronto para receber mais uma vez o momento mais bonito do Carnaval do Recife: O Encontro dos Blocos Líricos. O sol já começava seu ocaso, quando os apresentadores, mais uma vez, Matheus (Ivan) e Catirina (Brito) convidou o cantor e compositor Getúlio Cavalcanti para sua apresentação. Depois majestosamente começaram a surgir no palco os Blocos Líricos. O primeiro fazer sua evolução foi o Bloco Flor da Lira de Olinda, fundado em 1975, não nada sobre ele, pois o presidente Seronildo Guerra, disse não ter tempo para imprensa.

b-flor-da-lira

Pastoras e pastores do Bloco Flor da Lira de Olinda (Foto: Fernando Machado)

Na sequencia veio o Bloco das Ilusões, fundado por Carminha Freire, esposa do Eneas Freire do Galo da Madrugada, agora presidido pela senhora Ana Neri Meneses, filha de dona Carminha. Começou interpretando o Frevo do Galo “Acorda Recife, acorda / Que já é hora de estar de pé / Levanta, o carnaval começou / No bairro de São José / Vem, vem meninada / Vem conhecer o Galo da Madrugada / O Galo vai desfilando com beleza e harmonia / E o Enéas comandando / E mostrando a alegria de um carnaval / Que basta brincar um dia / Vem, vem meninada / Vem conhecer o Galo da Madrugada / Se você desfilar este ano / Nunca mais vai esquecer da Padre Floriano / O Galo é quem vai cantar / O Galo é quem vai mandar”.

b-ilusões

Duas pastoras ao lado de Heleno Ramalho e da presidente do Bloco das Ilusões Ana Neri Meneses (Foto: Fernando Machado)

E como sonhar não custa nada consegui ver um camarote lá no céu aplaudindo o que restou doas antigos carnavais Nelson Ferreira, Capiba, Luiz Bandeira, Raul e Edgar Moraes, Antônio Maria, Levino Ferreirs, os Irmãos Valença, Zumba, Lourival Oliveira, Mário Melo, Miro Oliveira, Romero Amorim, Aldemar Paiva, Diná e Waldemar de Oliveira, João Santiago, Luiz Boquinha, Sebastião Lopes, Gildo Branco, Maximiniano Campos, Arthur Lima Cavalcanti, José Menezes, Clarisse Lispector, Catarina Real e Dona Santa.

b-com-voce-no-coração

A flabelista do bloco Com Você no Coração (Foto: Fernando Machado)

Quando olho para o palco surge o Bloco Lírico Com Você no Coração, que homenageou Claudionor Germano, cantando “Quem tem saudade não está sozinho / tem o carinho da recordação / por isso quando estou mais isolado / estou bem acompanhado com você no coração / Um sorriso, um abraço e uma flor / tudo é você na imaginação / serpentina ou confete, carnaval de amor / tudo é você no coração / você existe como um anjo de bondade / e me acompanha nesse frevo de saudade”.

b-confete-e-serpentina

Pastor e pastoras do Bloco Confete e Serpentina (Foto: Fernando Machado)

Desta vez sobe no palco, jogando jetons, o Bloco Confete e Serpentina com o tema A Magia da Lua. A turma mexeu com o grande publico. Começou com “Todos êles estão errados / A lua é dos namorados / Lua que no céu flutua / Lua que nos dá luar / Lua , oh lua / Lua , oh lua / Querem te passar pra trás / Lua , oh lua / Querem te roubar a paz / Lua , oh lua / Não deixa ninguém te pisar” e depois arrasou com “Ontem eu sonhei que estava em Moscou / Dançando pagode russo na boate Kossaco / Parecia até um frevo / Naquele “cai e não cai” / Parecia até um frevo / Naquele “vai e não vai” / Vem cá Kossaco / Kossaco dança agora / Na dança do Kossaco / Não fica Cossaco fora”.

b-calu-mulher

As burrinhas do Calu Mulher de Limoeiro (Foto: Fernando Machado)

Veio um bloco formado somente de mulheres, o Calu Mulher de Limoeiro, que estava lindo todas vestidas de burrinhas e encerrou cantando Vassourinhas: “Se essa rua fosse minha / eu mandava ladrilhar / com pedrinhas de brilhantes / pra vassourinhas passar. / Somos nós os Vassourinhas / todos juntos em borbotão. / Vamos varrer nossa cidade / com cuidado e precisão”.

b-cordas-e-retalhos

As pastoras do bloco Cordas e Retalhos (Foto: Fernando Machado)

E agora quem vem?  É o Bloco Cordas e Retalhos, fundado no dia 15 de agosto de 1998, tendo como tema o Auto do Cavalo Marinho. Quem encerrou cantando Juventude Transviada, de Capiba. Ai aconteceu a maior falta de respeito com uma entidade e com o público, cortaram o áudio, mesmo assim um coral de 10 mil vozes  cantou : “Eu quero ver esse ano / A juventude dourada / Na rua que é do povo / Camisa aberta no peito / Fazendo o que os seus avós / Fizeram em tempos passados / Ao som do frevo bem quente / O passo sem preconceito / Estou aqui para ver / A juventude dourada / Nessa alegria de louco / Entrando na madrugada”.

b-flor-do-euclapito

Os pastores e pastoras da Flor do Eucalipto (Foto: Fernando Machado)

Apresento hoje, a primeira parte com o Bloco Flor do Eucalipto, com um tema que fiquei enlouquecido. Estava deslumbrante, apesar não ter luxo, mas nem precisava. Olha quem hmenagearam Carmen Miranda, um sonho que não acabou. E não acabou mesmo. Fundada, em Moreno, no dia 2 de setembro de 2000 e tem como presiente Maria Tereza Barreto. Formada por 45 desfilantes e uma orquestra de 20 musicos. Quando maestro Moisés Costa atacou de “Eu fiz tudo pra você gostar de mim / Ó meu bem / Não faz assim comigo não / Você tem, você tem / Que me dar seu coração”, o público foi ao delírio.

b-flor-do-euclapito4

O flabelo da Flor do Eucalipto, remetendo à Carmen Miranda (Foto: Fernando Machado)

E deixou o palco cantando também Vassourinhas:” “Se essa rua fosse minha / eu mandava ladrilhar / com pedrinhas de brilhantes / pra vassourinhas passar. / Somos nós os Vassourinhas / todos juntos em borbotão. / Vamos varrer nossa cidade / com cuidado e precisão”.

A Noite da Realeza do Carnaval

b-pierrot-de-sao-jose11

Os pastoras do Pierrot de São José (Foto: Fernando Machado)

b-pierrot-de-sao-jose

Três jovens pastores do Pierrot de São José (Foto: Fernando Machado)

Bloco das Flores, Andaluzas, Cartomantes, Camponeses, Apôis Fum, Bloco de um Dia Só, Os Corações Futuristas, Bobos em Folia, Pirilampos de Tejipió, A Flor da Magnólia, Lira do Charmion, Sem Rival, Jacarandá, Madeira da Fé, Crisântemos, Se tem Bote, Um dia Carnaval, Pavão Dourado, Camelo de Ouro, Bebé, Batutas da Boa Vista, Batutas da Boa Vista e os Turunas de São José deslumbravam os foliões dos carnavais passados.

b-batutas-de-são-jose

Os pastores do Batutas de São José (Foto: Fernando Machado)

E segunda-feira por meio dos blocos Flor da Lira de Olinda, Ilusões, Com Você no Coração, Madeira do Rosarinho, Confete e Serpentina, Cordas e Retalhos, Flor do Eucalipto, das Flores, Em Poesia, O Bonde Saudade, Batutas de São José, Pierrot de São José, Eu Quero Mais e Flabelo Encantado voltei aos velhos tempos. Estamos nos referindo ao Maior Espetáculo do Carnaval do Recife, o Encontro de Blocos Líricos.

b-batutas-de-são-jose-veleiros

Os veleiros de Batutas de São José (Foto: Fernando Machado)

E mais uma vez São Pedro mostrou que é assim com a realeza do nosso Carnaval. Chuviscou mas não choveu. E a partir das 16h começaram surgir no Marco Zero, inaugurado no dia 31 de janeiro de 1938, majestosamente e de vários pontos do centro do Recife os blocos líricos. E como sonhar não custa nada consegui ver um camarote lá no céu aplaudindo as evoluções dos nossos blocos líricos.

b-bloco-da-saudade3

Pastores e pastoras do Bloco da Saudade (Foto: Fernando Machado)

Era o top do top Clarisse Lispector, Joaquim Nabuco, Nelson Ferreira, Capiba, Edgard e Raul Moraes, Aldemar Paiva, Valdemar de Oliveira à côté dona Diná, João Santiago, Luiz de França, Luiz Boquinha, Romero Amorim, Sebastião Lopes, Levino Ferreira, José Menezes, João e Raul Valença, Gildo Moreno, Catarina Real, até a Rainha do Maracatu Dona Santa se juntou ao grupo, para aplaudir o que restou da época de outro dos nossos carnavais. E boato a favor não se desmente.

b-bloco-das-flores3

Jane Emirce de Melo do Bloco das Flores (Foto: Fernando Machado)

O primeiro a subir ao palco foi o Bloco Flor da Lira de Olinda, depois o Bloco das Ilusões, os Blocos Carnavalesco com Você no Coração, Madeira do Rosarinho, Confete e Serpentina, Cordas e Retalhos. Quando cheguei ao Marco Zero os apresentares Matheus (Ivan) e Catirina (Brito) que completam 15 anos como hostesses anunciavam o desfile do Flor do Eucalipto, tendo como destaque Heleno Ramalho.

b-bloco-das-flores-zenaid

A pastora Zenaide do Bloco das Flores (Foto: Fernando Machado)

Depois chega o Bloco das Flores, jogando para o público jetons e flores, interpretando de Raul Moraes, a Marcha da Folia: “Blocos das flores por onde passa / semeia com tal graça / ao som de lindas canções. / E os esplendores desta alegria / que as almas extasia
e apaixona os corações. / Viva a folia do carnaval / intensa alegria sem outra igual. / Que ouvidar faz a dor ferina / que nos ensina a sorrir e amar. Temos a vida só dissabores, / tristeza e amargores
e a desilusão final. / Mas de vencida o mal levemos / esqueçamos que sofremos / divertindo o carnaval”.

b-catirina-brito-matheus-ivan

Catirina e Matheus apresentadores da noite (Foto: Divulgação)

E agora lá vem O Bonde, de leds e lindo com o tema Recife de Antigamente, com direito ao mascates, e tudo que Recife de Antigamente tinha para deleite do povo, como os mascates. O vermelho e branco, arrasou cantando o Ultimo Regresso de Getúlio Cavalcanti: “Falam tanto que meu bloco está, / dando adeus pra nunca mais sair. / E depois que ele desfilar, / do seu povo vai se despedir. / Do regresso de não mais voltar, / suas pastoras vão pedir: / Não deixem não, que o bloco campeão, / guarde no peito a dor de não cantar. / É lindo ver o dia amanhecer, / ouvir ao longe pastorinhas mil, / dizendo bem, que o Recife tem, / o carnaval melhor do meu Brasil”.

b-confetes-e-serpentinas2

A flabelista do Confete e Serpentina (Foto: Fernando Machado)

Bem agora vem o meu xodó: O Bloco da Saudade, com tema homenageando o Pastoril dos Irmãos Valença (João e Raul). Começou cantando de Getúlio Cavalcanti “Você gostou de mim / Notei no seu olhar / Você gostou de mim / Na Quarta-feira quero lhe encontrar / Não tenha ciúme / Se outra pessoa / Pegar minha mão / No meio da massa / Ninguém se aproxima / Do meu coração / Porém quando a festa / Chegar ao seu fim / Nos veremos depois / Três dias se passam / E o ano todinho / Será de nós dois”.

b-confetes-e-serpentinas3

Três pastoras do Confete e Serpentina (Foto: Fernando Machado)

Agora é a vez do Bloco Carnavalesco Batutas de São José, fundado no dia 5 de junho de 1932, com 70 componentes e tendo como tema Nossa Vida é uma Palhaçada. E sua banda de pau e corda com o coral cantou seu hino de João Santiago: “Eu quero entrar na folia meu bem / Você sabe lá o que é isso / Batutas de São José / Isto é parece que tem feitiço / Batutas tem atração que / Ninguém pode resistir / Um frevo desses que faz / Demais a gente se distinguir / Deixa o frevo rolar / Eu só quero saber / Se você vai ficar / Ai meu bem sem você / Não há carnaval / Vamos cair no passo / E a vida gozar”. Foi lindo demais.

b-eu-quero-mais

O coral do Eu Quero Mais (Foto: Fernando Machado)

Então Matheus e Catirina anunica a chegada do Bloco Carnavalesco Eu Quero Mais, que homenageou o samba. Começou com A Voz do Morro de Ze Keti e encerrou com Madeira que Cupim não rói de Capiba. “Madeira do Rosarinho / Vem a cidade sua fama mostrar / E traz com seu pessoal / Seu estandarte tão original / Não vem pra fazer barulho / Vem só dizer… e com satisfação / Queiram ou não queiram os juízes / O nosso bloco é de fato campeão / E se aqui estamos, cantando esta canção / Viemos defender a nossa tradição / E dizer bem alto que a injustiça dói / Nós somos madeira de lei que cupim não rói”

b-eu-quero-mais3

A flabelista e os pastores e pastoras do Eu Quero Mais (Foto: Fernando Machado)

De repente mais do que de repente surge no palco a magia do Bloco Carnavalesco Pierrot de São José, que é de uma lindeza sem limites. Gostei muito quando a cantora deu uma bronca pois no backstage estavam passando o som para os outros shows. Realmente uma falta de respeito para os blocos líricos. E começou cantando de Romero Amorim e Mauricio Cavalcanti, Aurora de Amor: “Meu Recife eu te lembro / De Aurora à janela / Debruçada tão bela / Sobre o Capibaribe / O seu rio namorado / E a sorrir flamboyants / Em vermelhos rendados / E se amando no espelho / Eu Imperador, você Imperatriz! / E na fantasia a gente sorria feliz”.

b-flabelo-encantado2

O Flabelo Encantado quando deixava o palco (Foto: Fernando Machado)

E como tudo que é bom se acaba, surge o último bloco, exatamente o do Flabelo Encantado, com 30 componentes e a frente o cadeirante Antonio Lino e encerrou o Encontro do Blocos Líricos de 2015 cantando Evocação Nº 1, de Nelson Ferreira: “Felinto, Pedro Salgado, Guilherme, Fenelon / Cadê teus blocos famosos / Bloco das Flores, Andaluzas, Pirilampos, Apôs-Fum / Dos carnavais saudosos / Na alta madrugada / O coro entoava / Do bloco a marcha-regresso / E era o sucesso dos tempos ideais / Do velho Raul Moraes / Adeus adeus minha gente / Que já cantamos bastante / E Recife adormecia / Ficava a sonhar / Ao som da triste melodia”.

b-o-bonde3

Os clarins tocam para O Bonde passar (Foto: Fernando Machado)

b-o-bonde

O vendedor de sorvete de O Bonde (Foto: Fernando Machado)