Fernando Machado

Blog

Tag terraço

Sabores do Amor e do Afeto by Beth Ithamar

a-ana-helena-passos-robson-chagas-beth-ithamar-claudio-manoel

Ana Helena Passos, Robson Chagas, Beth Ithamar e Claudio Manoel (Foto: Fernando Machado)

O Bistrot La Comedie, localizado na Aliança Francesa, no Derby, recebe até hoje, o Festival Sabores do Amor e Afeto pela chef Beth Ithamar, inspirada na teoria de sua filha Ana Helena Passos, que reside em São Paulo, de onde veio especialmente para o evento. O local é uma graça e na noite de quinta-feira, estava mais bonito ainda, graças a decoração de Robson Chagas, que nos levava para duas cores: lilás e amarelo.

a-ana-clara-toninho-monteiro

Ana Clara e Toninho Monteiro (Foto: Fernando Machado)

No terraço caiam do teto lustres de lamparina, envolvidos em dracena baby. Sobre as muretas repousavam lanternas com velas brancas. No salão principal tínhamos uma mesa com arranjos belíssimos de flores. Sobre as mesas repousavam arranjos de açafrão, dracena baby, Queen e bambu. Não esquecer os arremedos envolvendo tecidos lilases e amarelos. Tudo muito bem posicionado.

a-nadja-jose-dos-santos-rita

Nadja e José dos Santos com Rita Pena (Foto: Fernando Machado)

Antes de ser servido o jantar, dos deuses, o chef Claudio Manoel e Beth Ithamar disseram algumas palavras. Depois Ana Helena Passos explicou o que significava aquele momento, tão especial, onde a parceria com sua mãe era um dos seus sonhos. Deu uma pequena aula sobre o racismo e o machismo. No final foi muito aplaudida. Quando terminou o jantar o professor Armando Vasconcelos saudou Ana Helena, Beth Ithamar e Claudio Manoel.

a-leonardo-coutinho-lucia-medeiros-carlos-augusto-lira

Leonardo Coutinho, Lúcia Medeiros e Carlos Augusto Lira (Foto: Fernando Machado)

No cardápio estava escrito “A culinária é a primeira e única língua universal. É preciso não ter vergonha de onde viemos e cozinhar da melhor maneira possível”, uma pausa poética da chef Beth Ithamar. Primeiro foi servido um consome de cogumelos da serra com mini beiju. A entrada foi servida o prato O Amargor sem desafeto, que para a criadora se resumiu em camarões com gergelim, involtine de Parma com damasco, jiló grelhado e mel de pimenta.

a-armando-anne-vasconbcelos

Armando e Anne Vasconcelos (Foto: Fernando Machado)

Assim como pastéis recheados com codorna ao garam masala, involtine de Parma com damasco, jiló grelhado e geléia de pimenta. Como prato principal, que ela batizou de Amor sem preconceito, podíamos optar por medalhões de mignon ao molho de três pimentas e batata rústica gratinada ou papillote de pescada amarela com legumes coloridos no azeite, ervas e arroz de marisco. E preferi a segunda opção e estava de comer rezando para Santa Elizabeth.

a-edgard-homem-leo-peixoto

Edgard Homem e Leo Peixoto (Foto: Fernando Machado)

A sobremesa recebeu o titulo de Com açúcar e com afeto, ou seja, onde tínhamos banana crioula com mel de engenho e especiarias acompanhada com sorvete de canela. Tudo isso regado por espumante Salton. O menu fechado custa 70 reais por pessoa. Eu saí de lá com gostinho de quero mais. De parabéns estão Beth Ithamar e Claudio Manoel por uma noite onde o amor foi o prato de resistência.

a-melise-medeiros

Melise Medeiros (Foto: Fernando Machado)

Em tempo de bolos especiais

Sempre que um pernambucano convida alguém para uma visita, a primeira e mais atenciosa providência é confeccionar um bolo. A Fabbricato Gourmet surgiu desse conceito de delicadeza e esmero. A empresa de gastronomia valoriza o bolo como elemento de destaque na gastronomia. O chef André Palma e o sócio, Bruno Perrelli Filho, escolheram Fabbricato para o nome porque, em italiano, é a tradução ideal para aquilo que se faz com cuidado.

h-chef-andre-palma-bruno-perrelli-filho

O chef André Palma e Buno Perrelli Filho (Foto: Fernando Machado)

Ao invés do trigo, entram na massa as farinhas de castanha, amêndoa, aveia. O uso de lactose é reduzido. Só ingredientes de alta qualidade entram na cozinha: nozes, damascos, ovos orgânicos. Até os utensílios e equipamentos remetem ao fazer de antigamente. As batedeiras industriais foram substituídas por batedores manuais. André Palma fez releituras de alguns sabores tradicionais que remetem à memória afetiva de todo mundo.

h-bilro

O bolo de Bilro onde o componente principal é a macaxeira (Foto: Divulgação)

Ao longo dos nove meses de gestação da Fabbricato, além da tradição, veio a ideia inovadora de apresentar uma linha de bolos gourmet em coleções. Esses bolos especiais serão lançados a cada seis meses, sempre apresentando o melhor da cultura e da gastronomia brasileira. A primeira safra, intitulada Bolo Rendado, chega com dez das principais rendas do Nordeste Brasileiro transformadas em guloseimas.

h-chitão

Neste bolo chamado Chitão o rei da receita é o abacaxi (Foto: Divulgação)

Nessas receitas, o coco fresco ralado e a farofa de cocada são usados na cobertura como um Richelieu sofisticado, alvíssimo, igual ao bordado famoso no Ceará. O Renascença, por exemplo, leva queijo do reino e farinha de amêndoa na massa. O Filé traz coco seco queimado, farinha de castanha de caju, ameixa e castanha do Pará picados. Nessa lista, tem ainda o Crochê, com morangos picados, baunilha, açúcar demerara.

h-filé

No Filé as castanhas foram o campinho para compor a receita (Foto: Divulgação)

A Juta é representada com uma junção de farinha de amendoim, de rosca e açúcar demerara. A alquimia do Rendeira é conseguida com passas claras e escuras, ameixa seca e damascos picados. No Chitão, um toque de cenoura ralada, nozes, abacaxi em calda e farinha de rosca. No Bilro, massa de mandioca e coco seco queimado. Para fabricar o Labirinto, André Palma usa maçã e nozes picadas, gengibre ralado e canela em pó na massa. E, por último, o Ponto Cruz, com o sabor inusitado da beterraba e das passas. No nosso cardápio há ainda os bolos especiais: o Red Velvet, receita tradicional dos Estados Unidos, nossa aposta para a mesa natalina.

h-chef-andre-palma

O Chef André Palma e seus bolos rendados (Foto: Fernando Machado)

Seguindo o passeio pelo mundo, o Bolo Indiano tem o perfume de especiarias (cardamomo, noz moscada, anis estrelado e canela). A sobremesa tipicamente pernambucana, a cartola foi recriada em forma de bolo que leva queijo manteiga, banana frita e uma massa composta com farinhas de vários tipos de castanha. Esse último foi batizado de César Santos, chef e embaixador da cultura local. Além dos produtos, a empresa também oferece os serviços de personal chef, criando cardápios exclusivos para momentos especiais, e ainda tem um projeto para 2016, o Terraço 623 para encontros gastronômicos com pequenos grupos nos jardins da casa onde fica a Fabbricato, na Rua Coronel Waldemar Basgal, 623, em Piedade.

Parabéns, Marina Paiva!

Foi ao som da música de Roberto Carlos “Cubra-me com seu manto de amor / Guarda-me na paz desse olhar / Cura-me as feridas e a dor me faz suportar / Que as pedras do meu caminho / Meus pés suportem pisar / Mesmo ferido de espinhos me ajude a passar / Se ficaram mágoas em mim / Mãe tira do meu coração / E aqueles que eu fiz sofrer peço perdão / Se eu curvar meu corpo na dor / Me alivia o peso da cruz / Interceda por mim minha mãe junto a Jesus / Nossa Senhora me de a mão / Cuida do meu coração / Da minha vida do meu destino”, que a diva Marina Paiva cortou o bolo.

b-marina-paiva-bolo

Marina Paiva ao lado do bolo onde repousa a imagem de N. S. da Conceição (Foto: Fernando Machado)

b-cremilda-martins

A arquiteta Cremilda Martins diante da Ilha das fitinhas e dos sachés de N. S. da Conceição (Foto: Fernando Machado)

Fazia dois anos que Marina não comemorava seu aniversário reunindo muitas amigas. A do ano passado foi en petit comité, mas este ano as amigas cobraram tanto que Marina não resistiu, pois as festa dela são de arrasarem quarteirão. E a deste ano superou todas as outras. A festona aconteceu na La Cuisine Petit Comité, onde morou o imortal Marcos Vilaça, tendo como tema Nossa Senhora da Conceição. Afinal de contas Marina nasceu no dia 8 de dezembro.

b-nanie-lobo-maria-thereza-paula-paiva

Nanie Lobo, Maria Thereza e Paula Paiva (Foto: Fernando Machado)

b-socorro-leite-lana-bandeira2

Socorro Almeida e Lana Bandeira diante da ilha de docinhos (Foto: Fernando Machado)

Como sempre faz, a diva pediu as amigas que levassem brinquedos (meninos e meninas) para doar a AACD. E Lourdinha Maciel levou para a entidade cerca de 200 presentes. Marina também pediu que elas fossem de azul ou branco. E todas atenderam a convocação e lá estavam elas de branco ou azul ou ainda nas duas cores. Marina usava um modelo de renda branca criado por Ricardo de Castro.

b-lourdinha-maciel

Lourdinha Maciel (Foto: Fernando Machado)

b-cibelle-estrella-marion-maranhão

Cybelle Estrela e Marion Maranhão (Foto: Fernando Machado)

A decoração, da dupla Fabiano Reis e Silvio Medeiros, estava linda nas cores branca e azul. Sobre as mesas localizadas no terraço, onde aconteceu o show de Roberto Carlos Cover, repousavam arranjos de hortênsias azuis. Nos salões de entrada tínhamos uma ilha onde estavam sachês com retratos de Nossa Senhora da Conceição e uma jarra com fitas, azuis e brancas, de Nossa Senhora da Conceição. Marina fez questão de comprá-las no Morro da Conceição.

b-erika-penna

Erika Penna (Foto: Fernando Machado)

b-cristina-meira-lins-lais-monte

Cristina Meira Lins e Lais Monte Teixeira (Foto: Fernando Machado)

Noutra outra ilha, as de doces, somente itens de Lana Bandeira. nele estava o bolo de três andares by Cecilia Chaves. Onde um coral de 100 vozes ou seria 120?, cantou os tradicionais parabéns para você. O show de Roberto Carlos Cover foi muito elogiado. Enquanto ele cantava as convidadas comiam risoto de camarão ao molho de laranja. Uma delicia! Todas as musicas foram muito aplaudidas, mas quando ele cantou Esse Cara Sou Eu, o salão veio à loucura.

b-isis-santini

Isis Santini (Foto: Fernando Machado)

b-maria-eduarda-paiva-anna-karenina

Maria Eduarda Paiva e Anna Karenina (Foto: Fernando Machado)

Terminado o show, realizado no terraço coberto, como já frisei, todas deixaram suas mesas e foram para o salão principal onde o DJ Thiago fez com que elas se lançassem no dancing. Pareciam elas estavam dançando como se fosse pela última vez. Depois subiu ao palco a banda Sambada e foi aquele fuzuê. Magnólia Maranhão pegou o microfone cantou musicas Beth Carvalho. Aliás ela cantou muito bem.

b-marina-paiva-mary-queiroz

Marina Paiva e Marizinha Queiroz (Foto: Fernando Machado)

b-silvia-wanderley-miguel-henrique-vanilde-nobrega

Silvia Wanderley, Miguel Henriques e Vanilde Nóbrega (Foto: Fernando Machado)

O bufê era de se comer rezando. No coquetel volante podia-se degustar ervilha torta com peito de peru e flor de Pepperoni ao molho de mostarda, camarão ao natural compimenta de bico ao molho de pitanga, nouvelle capresse, cestinha de parmesão maçaricado com geleia de maçãs e gengibre, mini batatinhas com recheio de roquefort quente e crisps de carne seca, folhado de para, queijo brie e figos ao molho de iogurte e mostarda Dijon, camarão empanado em fainha oriental com mix de queijos e molho agridoce, primavera de salmão defumado e cream cheese ao molho teriaky, além de mini bruschettas de tomates frescos, manjericão e lascas de parmesão.

b-sydia-amaral-dilmamarques-vitoria-aleixo-katia-polezel-renata-braga

Sydia Amaral, Dilma Marques, Vitória Aleixo, Katia Polezel e Renata Braga (Foto: Fernando Machado)

b-valdirene-moraes

Valdejane de Moraes leia-se Academia Santé (Foto: Fernando Machado)

Na ilha de frios camponata ao pesto, laminas de berinjelas com tomate seco, manjericão e mussarela de búfala, salada de legumes nobres com camarões grelhados e ervas frescas, brie gigante com melo trufado e pistache, tábuas de queijos (prima Dona, camembert com geleia de damasco, ementhal, Edam, provolone, reino, gorgonzola, parmesão, brie), quiche de peito de frango e fios de ovos maçaricados, pernil suino temperado com vinho do porto, acompahado de farofa rica, salada de lagosta com maçãs e molho de iogurte.

  • 1 3 4