Parabéns, Rômulo Giovannetti!

Ela localizada no antigo sítio histórico da Madalena, Rua Benfica 251, antigamente era 915, nos arredores da conhecida Passagem da Madalena. É bom lembrar que a travessia era feita por balsa em épocas passadas. Este maravilhoso solar no estilo neo-clássico, a quem garanta que foi projeto de Louis Léger Vauthier (1815/1901) por volta de 1860. Ele pertencia a Marcelino Gonçalves da Fonte, que a vendeu para Manuel Marques Amorim. Em 1919 Dona Maria Emilia Amorim e herdeiros a venderam para João Cardoso Ayres Filho, pai do pintor Lula Cardoso Ayres que nela passou sua adolescência.

Rômulo Giovonnetti e Arlindo Francisco da Silva (Foto: Fernando Machado)

Carmélia e Armindo Moura com Kátia Petribu (Foto: Fernando Machado)

Na antiga senzala ficava seu ateliê. Também morou no belo solar, por algum tempo, o ex governador de Pernambuco Carlos de Lima Cavalcante (1892/1967). Dona Dulce de Lima Cavalcanti, irmã do governador casaria nesta casa e a compraria posteriormente. Em 1930 o senhor Frederick Von Shonsten e sua esposa Dona Dulce Cavalcanti Von Schnsten a adquiriram ao ainda proprietário João Cardoso Ayres Filho. Lá nasceu a filha única do casal Frederika Cavalcanti Von Schnsten, atual proprietária.

Muciolo Ferreira, Divane Carvalho, Paulo Carvalho, Rômulo e Arlindo (Foto: Fernando Machado)

Valentina e Marcelo Silva (Foto: Fernando Machado)

A mudança do casal para nova residência coincide com o dia da morte de João Pessoa (1878/1930). Como curiosidade a família Von Schnsten manteve o vidro da porta do terraço superior, varado por bala perdida, acidente causado pelos tumultos populares daquele ano. Com receio a família abandona a casa e hospeda-se na pensão familiar na mesma rua, então Colégio São João. Este cenário de sonho, acessível antigamente somente à nobreza, está a Casa de Recepção Blue Angel. Pois foi nesta local cheio de histórias e estórias, que o executivo Rômulo Giovannetti by Monserrat, comemorou seus 60 anos de idade, sexta-feira.

Carlos Gil, Ary Santa Cruz e Sérvulo Barros (Foto: Fernando Machado)

Fernando Lisboa, Reinaldo Barros e Álvaro Ribeiro (Foto: Fernando Machado)

Foi uma festa linda e animada, aliás, bote animação nisso. Ele recebia os convidados ao lado do médico Arlindo Francisco da Silva. A decoração foi grifada pela Kato Flores, que vestiu o espaço de flores (lírios, rosas, paqueviras, e muitas folhagens. Sobre as mesas arranjos baixos e outros altos, com flores tropicais. Tudo de muito bom gosto. Às 22 horas os Garçons Cantores, do Manhattan abriram os trabalhos. Um repertório romântico e foram muito aplaudidos.

Italo Nascimento, Geovanna Rabelo, Eveline Andrade e Eduardo Saraiva (Foto: Fernando Machado)

Juliana Brandão, Pedro Pontual, Rômulo e Soraia El-Deir (Foto: Fernando Machado)

Todavia quando subiu ao palco a Orquestra Super Oara, com um setlist de arrebentar quarteirão os convidados rumaram para o dancing e foi uma loucura total. Tivemos rock, twist, samba, forró e  lambada. Quando a Orquestra cantou Era um Garoto que como eu amava os Beatles e os Rolling Stones um coral de 300 vozes respondia: “Girava o mundo / Sempre a cantar / As coisas lindas Da América… / Não era belo / Mas mesmo assim / Havia mil garotas a fim / Cantava Help / And Ticket To Ride / Oh Lady Jane, Yesterday… / Cantava viva, à liberdade / Mas uma carta sem esperar / Da sua guitarra, o separou / Fora chamado na América… / Stop! Com Rolling Stones / Stop! Com Beatles songs / Mandado foi ao Vietnã / Lutar com vietcongs… / Ratá-tá tá tá… / Tatá-rá tá tá…”

Leopoldo Perez e sua neta Maria Luisa (Foto: Fernando Machado)

Paulo Tadeu Albuquerque, Fabrizio Falangola e Saintclair Ramos (Foto: Fernando Machado)

E pensei que a turma estava satisfeita com esta música, que nada. Surge Candle In The Wind que Elton John compôs em homenagem a divina Marilyn Monroe e depois revisitada em homenagem para Lady Diana, ninguém ficou parado, no dancing ou nas suas cadeiras. E tome “Goodbye Norma Jean / Though I never knew you at all / You had the grace to hold yourself / While those around you crawled / They crawled out of the woodwork / And they whispered into your brain / They set you on the treadmill / And they made you change your name …”

Allison Pereira, Arhur Accioly e Paulo Carvalho (Foto: Fernando Machado)

Levy Peixoto e Carla Lima (Foto: Fernando Machado)

A chef Eliete Gonzaga preparou um cardápio para o jantar de se comer rezando para Nossa Senhora da Conceição: filezinho ao molho funghi, arroz de amêndoas, mini canelone de ricota com nozes, batata doce ao forno, batata sauté, salada de folhas nobres e salada Blue Angel. Claro que antes foram servidos muitos canapés e entre eles destacamos camarão crocante e trouxinha de frango. Passava das duas da manhã, quando Rômulo Giovannetti ouviu um coral de 300 vozes cantando os tradicionais parabéns para você.

Rinaldo Cabral, Paulo Henrique Ferreira e Divanilson Moura (Foto: Fernando Machado)

Inaldo Carvalho e Edinaldo Accioly (Foto: Fernando Machado)

E na sequencia ele cortou bolo de quatro andares, grifado pela boleira de Gravatá Nithalma Costa. A mesa de chocolates foi de Josué Chocolatier. E assim triunfal passou a noite, com os olhos se enchendo de beleza e a boca se fartando de gosto bom. O último convidado a deixar a Blue Angel o relógio marcava cinco horas. A tribo estava muito alegre mesmo.