Fernando Machado

Blog

Tag sambou

Anotações do Cotidiano

O dia em que a Morte Sambou sofreu alterações de data devido a pandemia. Mas, a trupe já retornou para estrada e amanhã, se apresentará em Ingazeira, Sertão do Pajeú. Na sexta-feira promovem uma oficina. O dia em que a Morte sambou é um show de teatro de bonecos de sombras criado a quatro mãos, pelo escritor e ator-sombrista egípcio Habib Zahra e a artista plástica e musicista espanhola Valeria Rey Soto. Conta a história de Seu Biu, um velho brincante cheio de energia, que não teme viver alegremente. Eles se apresentarão ainda em Arcoverde, Buíque, Nazaré da Mata e Brejão.

Habib Zahra e Valeria Rey Soto (Foto: Família)

A I Mostra de Cinema do Vale do Ribeira, de São Paulo, acontece entre os dias 18 a 26 de março, no formato online. Participam do evento 12 produções, sendo cinco filmes de médias-metragens e sete curtas-metragens. A programação conta ainda com outras duas mostras não competitivas de obras convidadas: a Mostra de Longas e a Mostrinha dirigida ao público infantil. Os filmes são exibidos de forma gratuita na plataforma Cultura em Casa. A homenageada é a cineasta Kátia Coelho. A idealização e a produção são de Tadeo e Tales Trigo. A direção é de Eduardo Santana, e curadoria é do ator Francisco Gaspar.

Fatos Diversos

O Dia em que a Morte Sambou é um espetáculo de teatro de bonecos de sombras concebido pelo escritor e ator-sombrista egípcio Habib Zahra e a artista plástica e musicista espanhola Valeria Rey Soto, casal que mora em Olinda. O show que já foi apresentado no Sul, Norte e além-mar, será encenado, pela primeira vez, no interior de Pernambuco. A turnê começa no próximo sábado, em Curiquinha dos Negros, no Brejão e no domingo, segue para Garanhuns. A entrada é gratuita.

Habib Zahra manipulando os bonecos (Foto: Divulgação)

Galeria Evandro Carneiro Arte, no Shopping Gávea Trade Center, realiza a  Exposição Grauben e Francisco da Silva, de hoje até o dia 15 de fevereiro. A curadoria é de Evandro Carneiro. Destaque para as obras Pássaro e a sua presa e Peixes, de Francisco da Silva, da década de 1960, período considerado como o mais importante da carreira do artista, e as obras Pássaros e borboletas na floresta e Floresta,  de Grauben. A mostra será aberta ao público sem vernissage devido à pandemia.

Christiana Asfora (Foto: Pierra Lobo)

A Christal Galeria de Christiana Asfora vai comemorar um ano de funcionamento com a realização da Semana da Arte Christal Galeria. De hoje até o próximo dia 29, a galeria apresenta uma série de atividades, entre elas um workshop de fotografia com Gustavo Maia, visita guiada à exposição Libertar do Gesto com George Barbosa, exibição de curtas-metragens com curadoria de Júlio Cavani, além de tardes e noites musicais com amplo repertório de artistas locais sob a curadoria de Clarissa Garcia.