Fernando Machado

Blog

Tag reforma

Anotações do Cotidiano

No próximo dia 30, vai acontecer novamente Vem Pra Rua, desta vez em defesa da Lava Jato, do Pacote Anticrime e da Reforma da Previdência. Vamos mostrar aos parlamentares o que o povo brasileiro quer. No Recife a ação acontecerá, às 10h, em frente à Padaria Boa Viagem.

O cineasta Nuri Bilge Ceylan (Foto: Ebru Ceylan)

Distribuidora Fênix Filmes divulga o novo trailer de A Árvore dos Frutos Selvagens, de Nuri Bilge Ceylan, diretor várias vezes premiado em Cannes. O filme, que participou da seleção oficial do Festival de Cannes 2018 e da Perspectiva Internacional da 42ª Mostra SP, chega aos cinemas no dia 4 de julho.

Momento de Reflexão

Os fiéis estão muito trites com as mudanças na administração da Paróquia de Casa Forte. Padre Deyvson Soares à frente da Paróquia desde setembro de 2016 substituindo padre Edwaldo Gomes que morreu em julho daquele ano será transferido para paroquia de Nossa Senhora Aparecida, no Janga. Nesse período como administrador da Igreja de Casa Forte, padre Deyvson, 41 anos, tocou as obras de reforma da Igreja que se encontra na fase final com a pintura da fachada e que tem o custo acima de R$ 500 mil.

Padre Deyvson Soares (Foto: Divulgação)

Padre Paulo Dutra e sua mãe, Maria do Rosário Dutra (Foto: Instagram)

Padre Deyvson conseguiu aumentar a participação litúrgica nas comunidades que fazem parte da Paróquia de Casa Forte como Santana, Poço da Panela, Bananal, Vila Vintém, Cabocó e Lemos Torres, além de ter criado o bloco carnavalesco O Suspensório é Nosso eternizando a figura do padre Edwaldo. E o vigário auxiliar padre Paulo Dutra que também faz parte dessa história será o pároco da Igreja de São João, em Aldeia, Camaragibe. São duas grandes figuras.

Esquinas do Mundo

Rocco Forte Hotels comemora o “renascimento” do Hotel Savoy com a inauguração do seu maravilhoso hotel florentino na imponente Piazza della Republica. Depois de seis meses de uma extensiva reforma, o hotel, construído há 125 anos, reabre oficialmente suas portas. Diretora de Design, Olga Polizzi aperfeiçoou a elegância atemporal do Savoy, usando temas contemporâneos, elementos da Renaissance, moda florentina e os melhores artesãos de Florença.

Um panorama abrangente da arte brasileira, com trabalhos dos mais importantes artistas nacionais. Com esse mote, a Fundação Marcos Amaro inaugura a exposição permanente O tridimensional na coleção Marcos Amaro: frente,fundo, em cima, embaixo, lados. Volume, forma e cor,em sua sede, na Fábrica de Arte Marcos Amaro, em Itu, a partir de 23 de junho. A curadoria é de Ricardo Resende.

Pedro Augusto, comenta a Reforma trabalhista

Pedro Augusto Almeida ao lado da mãe, Tinane e da irmã Lelê da Fonte (Foto: Fernando Machado)

Quinta-feira, na Livraria Imperatriz, no Shopping Recife, o advogado Pedro Augusto Almeida Neto, lançou seu livro Comentários à Reforma Trabalhista. À tarde que entrou noite adentro de autografo foi muito concorrida e prestigiada. O livro nasceu das primeiras anotações que ele fez quando começou a estudar a Reforma Trabalhista, a partir do início de agosto passado. Em seguida, ele sentiu a vontade de preparar um pequeno manual, que servisse de orientação aos departamentos de pessoal, RH e contábil das empresas que são minhas clientes.

Marilda Maliconico e Suely Miranda (Foto: Fernando Machado)

“E continuei escrevendo. Em sequência, verifiquei que a matéria era muito vasta, e que o manual ultrapassaria em muito a quantidade de páginas pretendida, que seria em torno de 50. Comecei com 80 e terminei com 140, enfim, estava me deparando com uma infinidade de informações que julgava necessárias, e ainda longe de chegar ao final. Por fim, optei por fazer um tipo de apostila, que a esta altura seria distribuída entre os amigos e advogados mais próximos. Fiz então uma correlação entre os artigos da lei da Reforma Trabalhista, e a jurisprudência do Tribunal Superior do Trabalho, que seria atingida de alguma forma pela mesma”.

Pedro Augusto Almeida Neto e Roberto Maia (Foto: Fernando Machado)

– Engrossei mais o número de páginas, e vi que havia escrito um livro, e não mais um manual como pretendido. Mas continuei com o propósito de distribuí-lo entre as empresas clientes e os advogados mais próximos. Fui então incentivado por várias pessoas a publicar a obra. No início refutei a idéia. Até porque não julguei que o conteúdo escrito fosse merecedor de publicação. Não passava pela minha cabeça. Mas a insistência dos amigos foi grande, inclusive por parte dos meus colegas da OAB/PE, sub seccional de Jaboatão dos Guararapes e Moreno, onde sou Conselheiro.

Pedro Augusto Almeida e Giovani Oliveira (Foto: Fernando Machado)

E prossegue: “Diante de tanta insistência, resolvi distribuir alguns volumes, aos advogados mais próximos, tanto na forma impressa, como na forma eletrônica em PDF. Apenas pedi a opinião sincera de todos em relação à qualidade do que estava escrito, e se seria merecedor de uma publicação. Para minha surpresa, a receptividade foi unânime, e a partir daí, o número de pessoas a me instigar a publicar cresceu de forma absurda. Resolvi então publicar a obra, mas mesmo assim, com um pé atrás, pois jamais me olhei como autor de algum livro, e muito menos de um livro técnico, sobre uma matéria tão nova, relevante e polêmica como é a Reforma Trabalhista”.

Tinane Almeida, Monica Rios Rodrigues, Eliane Pompeu e Thereza Bitu Canuto (Foto: Fernando Machado)

E conclui: “Elogiada por muitos, e odiada por tantos outros. Enfim, enviei para a editora e mandei produzir o livro. Ficaram prontos na editora no dia 21 de dezembro de 2017, e já no início de janeiro recebi as caixas com os livros impressos. Marquei o lançamento da obra, a dedo, pois completou, neste mesmo dia, 33 anos de casado com a minha esposa Penha. Seria (e foi) uma dupla comemoração. E por fim, senti-me muito honrado com a presença maciça dos meus familiares, amigos e clientes, que pacientemente esperam em longas filas para levarem a obra autografada por mim. A todos, serei eternamente grato, por ter tornado uma simples sessão de autógrafos quase em uma festa. E como diria o velho Chicó, de Ariano Suassuna, “não sei, só sei que foi assim”.

Penha e Pedro Augusto ao lado dos filhos Felipe e Letícia (Foto: Fernando Machado)