Fernando Machado

Blog

Tag preta

Viva o Cordão do Bola Preta

Eu tinha um grande sonho assistir a saída do Cordão do Bola Preta, que sai pelas ruas do Rio de Janeiro, no Sábado Gordo. E somente consegui realizá-lo em março de 2017. E ele sai da Avenida Rio Branco e cantando “Quem não chora não mama / Segura meu bem a chupeta / Lugar quente é na cama / Ou então no Bola Preta / Vem pro Bola meu bem / Com alegria infernal / Todos são de coração / Todos são de coração / Foliões do carnaval (Sensacional!)”.

Caveirinha está do lado direito da porta estandarte (Foto: Portal do Cordão)

Uma multidão incalculável fazia peregrinação na frente e atrás dos quatro carros alegóricos. Nesse bloco já saíram Virginia Lane, Elisete Cardoso, Emilinha Borba, Marlene, Dalva de Oliveira, Noel Rosa, Pixinguinha, Blecaute, para citar apenas estes nomes. Não esquecer que os travestis também marcam presença no Bola Preta. Muitas alas, principalmente as dos jovens, fantasiados fazem a beleza da agremiação. Muitos foliões, leia-se os travecos, trocam o estribilho do hino “quem não chora não mama / Segura meu bem a chupeta (genitália)”.

Esse quarteto causou na Avenida Rio Branco (Foto: Fernando Machado)

O Cordão da Bola Preta foi fundado em 13 de dezembro de 1918, na Rua da Gloria, 88, no Rio de Janeiro, por Álvaro Gomes de Oliveira (Caverinha) e Francisco Carlos Bricio, Francisco Brício Filho (Chico Brício), Eugênio Ferreira, João Torres e os três irmãos Jair e Joel Oliveira Roxo além de Arquimedes Guimarães. O nome surgiu porque Caverinha ao ver uma mulher linda de preto denominou o bloco com esse nome.

Os palhaços arrebentaram no Cordão do Bola Preta (Foto: Fernando Machado)

E para encerrar todos cantam Cidade Maravilhosa: “Cidade maravilhosa / Cheia de encantos mil / Cidade maravilhosa / Coração do meu Brasil / Berço do samba e de lindas canções / Que vivem n’alma da gente / És o altar dos nossos corações / Que cantam alegremente”. É lindo demais. No próximo ano quero fazer parte dos festejos os seus 100 anos.

Esquinas do Mundo

Aconteceu segunda e terça, na Casa Bernardes, em São Paulo, o Eyewear Premium Preview, evento da GO Eyewear para apresentar os lançamentos das marcas do portfólio do Grupo. O coquetel de abertura contou com a presença das irmãs Isabel e Ana Hickmann, que assina linha homônima de óculos, e o empresário Alexandre Corrêa. Já no segundo dia, a GO lançou a IV Revista Fashion Eyes, com a presença de Costanza Pascolato, embaixadora da GO Eyewear e colunista, e Wanessa Camargo, parceira de longa data do grupo.

Ana e Isabel Hickmann no GO Eyewear (Foto: Divulgação)

A embaixadora da GO Eyewear Costanza Pascolato (Foto: Divulgação)

Festival Feira Preta 2019, maior evento de cultura negra da América Latina, já tem data marcada: será de 19/11 a 8/12, em São Paulo. Com aprovação no Programa de Apoio à Cultura da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, o evento busca patrocínio junto à iniciativa privada, por meio de cotas para patrocínio master, co-patrocínio e apoio, com valores entre R$ 50 mil e R$ 600 mil. A presidente Feira Preta é Adriana Barbosa.

Confetes e Serpentinas

O Casarão Recife Antigo leia-se Carla Bensoussan, diretora da Lead!Hub e Relações Públicas abre as portas hoje às 20h, com direito a uma vista fantástica do Marco Zero, vários lounges, dancing, bar, praça de alimentação, salão de beleza e área de customização. Há 12 anos Casarão movimenta este projeto em parceria com a TV Jornal. As atrações desta noite são Citrus Club, Tuca Barros e Agremiações.

Caveirinha está do lado direito da porta estandarte (Foto: Portal do Cordão)

“Quem não chora não mama! / Segura, meu bem, a chupeta / Lugar quente é na cama / Ou então no Bola Preta”. O Cordão da Bola Preta foi fundado em 13 de dezembro de 1918, na Rua da Gloria, 88, no Rio de Janeiro, por Álvaro Gomes de Oliveira (Caverinha) e Francisco Carlos Bricio,  Chico Brício, Eugênio Ferreira, João Torres e os três irmãos Jair e Joel Oliveira Roxo e Arquimedes Guimarães. O nome surgiu porque Caverinha ao ver uma mulher linda de preto denominou o bloco com esse nome.

Parabéns, Cristina Vita!

Monica Rios Rodrigues, Cristina Vita e Eliane Neves Baptista (Foto: Fernando Machado)

Dos mais prestigiados o almoço de adesão que as amigas de Cristina Vita promoveram ontem, no The Black Anus, em Boa Viagem. Na coordenação Mônica Rios Rodrigues. Cristina by Victor Dzenk ouviu um coral de 50 vozes cantar o tradicional parabéns para você. Depois tivemos corte grifado pela filha Marina Vita. O DJ Thiago Carvalho apresentou um set-list começando pelas musicas que fizeram sucesso nos anos 70 até 80, mas incluiu os novos hits.

Sonia Fernandes e Tinane Almeida (Foto: Fernando Machado)

Jussara Lemos, Márcia Carneiro e Alizete Maynard (Foto: Fernando Machado)

No repertório o Hino do Cordão do Bola Preta “Ô Abre Alas, / Que eu quero passar / Eu sou da Lira / Não posso negar / Ô Abre Alas, / Que eu quero passar. / Rosas de Ouro é quem vai ganhar”; Máscara Negra, as famosas marchinhas de carnaval “Mamãe eu quero, mamãe eu quero, / Mamãe eu quero mamar! / Dá a chupeta! Dá a chupeta! Dá a chupeta / Dá a chupeta pro bebê não chorar! / Eu tenho uma irmã que se chama Ana: / De tanto piscar o olho já ficou sem a pestana”.

Ângela Maciel e Lucia de Fátima Acioli (Foto: Fernando Machado)

Cristina Vita e Marcos Nascimento (Foto: Fernando Machado)

Ainda o Frevo Nº 1 de Antonio Maria “Ô ô ô saudade / Saudade tão grande / Saudade que eu sinto / Do Clube das Pás, do Vassouras / Passistas traçando tesouras / Nas ruas repletas de lá / Batidas de bombos / São maracatus retardados / Chegando à cidade, cansados, / Com seus estandartes no ar. / Que adianta se o Recife está longe / E a saudade é tão grande / Que eu até me embaraço / Parece que eu vejo / Valfrido Cebola no passo / Haroldo Fatias, Colaço”.

Eliane Pompeu e Eliana Lapenda Guerra (Foto: Fernando Machado)

Fátima Guerra e Lídia Lopes (Foto: Fernando Machado)

E o Mestre Capiba não foi esquecido com Madeira que Cupim não Rói: “Madeira do rosarinho / Vem a cidade sua fama mostrar / E traz com seu pessoal / Seu estandarte tão original / Não vem pra fazer barulho / Vem só dizer… e com satisfação / Queiram ou não queiram os juízes / O nosso bloco é de fato campeão / E se aqui estamos, cantando esta canção / Viemos defender a nossa tradição / E dizer bem alto que a injustiça dói / Nós somos madeira de lei que cupim não rói”.

Germana Monteiro de Carvalho, Alice Souza Leão, Cristina Vita e Rosa Peres (Foto: Fernando Machado)

Paula Freire, Tinane Almeida e Cristina Novaes (Foto: Fernando Machado)

Claro que Nelson Ferreira foi revivido com Evocação Nº 1, as sofrências de Reginaldo Rossi, Despacito e Dançando com Ivete Sangalo: “Mamãe vai fazer, papai vai fazer / só falta você / Dançando, dançando, / dançando, dançando / Dançando, dançando, dançando, / Dançando, dançando, dançando, / Dançando, dançando, dançando, dan dan dan dan, dan, dançando / Dance comigo”.

O DJ Thiago Carvalho nas picapes (Foto: Fernando Machado)

  • 1 2