Fernando Machado

Blog

Tag ponte

De Volta para o Passado

Há 115 anos, nascia no Rio Grande do Sul, o poeta Mário Quintana, que morreu no dia 5 de maio de 1994.

Há 110 anos, nascia em Pernambuco, o escritor Hilton Sette, que morreu no dia 20 de dezembro de 1997.

Há 95 anos, nascia em São Paulo, a escritora Adelaide Carraro, que morreu no dia 7 de janeiro de 1992.

Há 80 anos, nascia no Rio de Janeiro, a cantor Rosinha Valente, que morreu no dia 10 de junho de 2004.

Há 50 anos, era inaugurada a Ponte de Limoeiro, que interliga a Avenida Norte ao Cais do Apolo. (Foto: Peu Ricardo/DP)

Há 35 anos, morria no Rio Grande do Norte, o antropólogo Luiz da Câmara Cascudo, que nasceu no dia 30 de dezembro de 1898.

Há 25 anos, morria nos Estados Unidos, a atriz Claudette Colbert, que nasceu no dia 13 de setembro de 1905.

Nos bastidores da política

Presidente da República, Jair Bolsonaro, inaugurou no Amazonas, uma ponte em uma estrada de terra sobre um igarapé, no quilômetro 91 da BR-307. A obra, que leva o nome Rodrigo e Cibele, faz uma ligação terrestre entre a Comunidade Indígena Balaio e o município de São Gabriel da Cachoeira (AM). A Ponte Rodrigo e Cibele foi construída pela primeira vez em 1978 pelo Exército Brasileiro. Mas estava sem manutenção e, agora, foi totalmente reconstruída em uma parceria do Exército com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT). A ponte tem 18 metros de comprimento e atende quem vive na região.

Bolsonaro inaugura ponte no Amazonas (Foto: Marcos Correa)

O governo brasileiro, por sua boa atuação na Operação Acolhida, foi convidado pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados a integrar a Conferência de doadores da Plataforma R4V – Resposta a Venezuelanos e Venezuelanas. Com o tema Pessoas refugiadas e migrantes invisíveis da Covid-19: impactos desproporcionais em grupos de proteção especial, o evento ocorreu semana passada. O Ministério da Cidadania participou de dois painéis, representado pela secretária nacional de Assistência Social, Maria Yvelonia, e pela assessora especial para assuntos de migração da Secretaria Nacional de Assistência Social, Niusarete Lima.

Flashes

A Missa de 7º Dia do artista plástico Newton Alves será na próxima quarta-feira, às 19h, no Mosteiro de São Bento, em Olinda.

O secretário de Turismo de São José da Coroa Grande, Sérgio Aroucha, avisa que o prefeito Pel Lages inaugurou a estrada de acesso à praia de Gravatá.

Jonnathan Neto está recebendo convidados agendados para sua exposição Meu Olhar Sobre Pernambuco, até a próxima quarta-feira, em Boa Viagem.

Jonnathan Neto (Foto: Divulgação)

Ricardo Couceiro (Foto: Divulgação)

Faleceu quinta-feira, o ex-presidente da URB, o arquiteto Ricardo Couceiro, irmão da ex-primeira dama de Pernambuco, Silvia Couceiro Cavalcanti.

Quem foi muito cumprimentada, ontem, Dia das Mães, foi a senhora Fernanda Nejaim Calado. Filha da amiga Maria Fernanda Nejaim.

O tricampeão mundial de Fórmula 1, Nelson Piquet, prestigiou a inauguração da Ponte do Abunã. Fez questão cumprimentar o presidente Bolsonaro.

Bolsonaro inaugura a Ponte do Abunã

O presidente Jair Bolsonaro entregou sexta-feira a Ponte do Abunã, na BR-364/RO, uma reivindicação histórica da população de Rondônia e do Acre. A obra passa a ligar os dois estados e será fundamental para integração com o resto do Brasil. No futuro, a ponte também fará parte do caminho que vai interligar o Brasil ao Oceano Pacífico. Localizada no encontro dos rios Madeira e Abunã, no distrito de Vista Alegre do Abunã (RO), região pertencente ao município de Porto Velho, a ponte tem 1.517 metros de extensão e recebeu investimentos de mais de R$ 160 milhões.

Bolsonaro posa com as autoridades locais e os funcionários da obra (Foto: Anderson Riedel/PR)

Essa ponte tem 1.527 metros de extensão (Foto: Divulgação)

O ministro Tarcisio de Freitas, do Ministério da Infraestrutura, lembrou que a previsão é que mais de 2 mil veículos cruzem a ponte todos os dias. Desde a abertura da BR-364/RO, entre Rio Branco e Porto Velho, na década de 1980, a travessia sobre o Rio Madeira é feita por balsas, sendo que o trajeto entre as margens do rio leva, em média, duas horas (entre a espera e a travessia). Com a conclusão da obra, será possível cruzar o Madeira em menos de cinco minutos. Até a inauguração da obra os caminhoneiros desembolsavam até R$ 200 para ir de uma margem à outra do rio.