Fernando Machado

Blog

Tag palace

Anotações do Cotidiano

Pela primeira vez na história de seus 97 anos, o Belmond Copacabana Palace hasteou as bandeiras dos 26 estados do Brasil e do Distrito Federal nos 27 mastros dispostos em sua fachada como forma de homenagear os brasileiros. A cerimônia idealizada e conduzida pela diretora-geral do hotel, Andréa Natal, ocorreu no sábado, e contou com a presença de hóspedes representantes de pelo menos nove estados do país, entre eles: Ceará, Espírito Santo, Minas Gerais, Pernambuco, Paraná, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e São Paulo.

A diretora-geral Andrea Natal hasteando da bandeira do Rio (Foto: Miguel Sá)

O Desfile da Primavera é uma ação voluntária da qual professores e alunos dos cursos de Moda (Design e Negócios), da Universidade Anhembi Morumbi, integrante da rede internacional de universidades Laureate, colaboram desde 2011. Esta ação também está inserida no projeto de extensão universitária Moda e Resiliência e é voltada para uma melhora na autoestima e qualidade de vida das pacientes com câncer de mama do hospital Perola Byington. Amanhã estreia o mini documentário, produzido pelos profissionais dos cursos de Moda da Instituição, para lembrar a primeira década da parceria que transformou pacientes em modelos.

Yolanda Pereira venceu o Miss Universo de 1930

Há 90 anos a gaucha Yolanda Pereira (1910/2001) era a primeira brasileira ser eleita Miss Universo. O concurso aconteceu na pérgula da piscina do Copacabana Palace, no Rio de Janeiro, num dia de muito sol, e contou com a participação de 25 candidatas. As candidatas ao titulo de Miss Universo de 1930 se hospedaram no Hotel Glória. Elas desfilaram a bordo de carros abertos que saíram da sede do jornal O Dia, na Praça Mauá e terminou no Copacabana Palace, onde aconteceu a escolha da Miss Universo de 1930.

Mubedgel Namik, Milada Dostalova, Mafalda Mariottino, Beatrice Lee, Mercedes Ignez Perdomo, Zoica Doná, Fernanda Gonçalves, Rie Van Der Resta, Yolanda Pereira e Irene Wentzell (Foto: A Noite)

Este ano tivemos dois concursos de Miss Universo. O outro foi realizado no dia 4 de agosto, na cidade de Galveston, nos Estados Unidos e a vitoriosa foi Dorothy Delgoff (New Orleans). O do Brasil foi promovido pelo jornal A Noite. A eleita foi a Miss Brasil Yolanda Pereira, em segundo lugar ficaram empatadas Fernanda Gonçalves (Portugal), e Alice Diplarakou (Grécia) e em terceiro Beatrice Lee (Estados Unidos).

Yvette Labrousse,  Lily Lenders, Laila Zoghbi, Dorrit Nityowski, Stephanie Drolmsky, Ingeborg von Grienberg, Benie Dick, Counka Tchoutanova, Eve  Slaplonzai e Elena Plá (Foto: A Noite)

A comissão julgadora presidida pelo Conde Pereira Carneiro, teve ainda os artistas plásticos Navarro Costa e Torquato Tarquinio (Itália), Gonfaliere (Argentina) e Petrus Verclier (França), os jornalistas Pedro Bordalho (Portugal), Maurice Wallefe (França), Power (Estados Unidos), o poeta Villaespeso (Espanha) e José Augusto Prestes (Presidente do Vasco da Gama).

Yolanda Pereira em três looks: o longo é de Jean Patou (Fotos: Divulgação)

Participaram do Miss Universo de 1930, realizado no Rio de Janeiro, Dorrit Nityowski (Alemanha), Yvonne Pampelone

(Antilhas), Celia Basavilbaso (Argentina), Ingeborg von Grienberg (Austria), Lily Lenders (Belgica), Counka Tchoutanova (Bulgária), Iolanda Pereira (Brasil), Mercedes Ignez Perdomo (Cuba), Beatrice Lee (Estados Unidos), Elena Plá (Espanha), Yvette Labrousse (França), Alice Diplarakou (Grécia).

Mercedes Perdomo, Yvette Labrousse, Mafalda Dostalova, a poetisa Anna Amélia e Irene Wentzell (Foto: Divulgação)

Ainda Rie Van Der Resta (Holanda), Benie Dicks (Inglaterra), Eve  Slaplonzai (Hungria), Mafalda Mariottino (Itália), Stephanie Drolmsky (Iugoslávia), Laila Zoghbi (Líbano), Fernanda Gonçalves (Portugal), Henriqueta Burgos Ávila (Perú), Irene Wentzell (Rússia), Zoica Doná (Romênia), Milada Dostalova (Republica Tcheca), Mubedgel Namik (Túrquia) e Alicia Gomez (Uruguai).

Fernanda Gonçalves, Alice Diplarakou e Beatrice Lee (Fotos: Ilustração e Iba Mendes)

O Réveillon do Copacabana Palace

O réveillon do Belmond Copacabana Palace. Os convidados se dividiram entre jantar nos restaurantes Cipriani ou Pérgula, sob o comando do chef João Melo. Não esquecer que muitos curtiram a virada da década nos salões de festa: Golden Room, Nobre e Frontais. À meia-noite, viram a tradicional queima de fogos. À 1h, a área da piscina contou com uma pista de dança ao som do DJ Guga Weigert.

A diretora do Copa: Andrea Natal (Foto: Miguel Sá)

Pedro Nelson de Senna, Márcia Veríssimo e Yuri-Antigo (Foto: Miguel Sá)

A decoração remetendo a floresta brasileira foi grifada por Daniel Cruz. Noitada regada a Veuve Clicquot. O Copa é sem dúvida um camarote para os fogos, com bufês ótimos, gente do mundo todo. A diretora do hotel, Andrea Natal, no final recebeu muitos parabéns dos que foram ao réveillon do Copacabana Palace. Este ano, a festa no Copacabana Palace foi mais familiar, como é a do Sheraton Reserva do Paiva.

Vale à pena ler de novo

Quinta-feira aconteceu no Copacabana Palace, no Rio de Janeiro, tivemos uma palestra para 25 convidados com o economista e comentarista do Manhattan Connection, Ricardo Amorim, sobre o momento econômico atual. O encontro era para o lançamento do relógio Reverso edição especial de 85 anos.

ricardo-amorim-david-rafael-zeilbermnj-vera-donato

Ricardo Amorim, David e Rafael Zeilberman no Copa (Foto: Vera Donato)

A Casa Edison fundada por Frederico Figner, no inicio do século passado, vai livrar livro graças a Haroldo Costa. Foi lá que foi gravado em janeiro de 1917, o primeiro samba Pelo Telefone, de Donga. O tcheco Finger era um filantropo e doou o terreno em Jacarepaguá para a construção do Retiro dos Artistas. Estas duas notas eu pincei de Anna Ramalho.

  • 1 2