Fernando Machado

Blog

Tag originalidade

Morre o rei das passarelas

O blog chora. Encerrou-se, ontem à noite, uma das mais belas páginas da história do Carnaval pernambucano, com a morte do Rei das passarelas Almir José da Paixão. Foi um mito nesta área. Sua incursão pelas passarelas começou aos 14 anos e somente parou quando uma diabetes o atacou. Amputou uma perna mas, sempre estava feliz da vida. Era um artista. Nunca reclamou do crepúsculo que o atingia. Almir da Paixão que nasceu no dia 10 de setembro de 1953.

almir-da-paixão3

Almir da Paixão em dois tempos (Fotos: Divulgação e Fernando Machado)

Portanto ia fazer 62 anos. Era uma das grandes vedetes do Municipal e do Bal Masqué. Domingo passado Almir pediu a sua amiga June Mattoso para dar uma voltinha por Olinda e Recife. E ela o levou até Olinda, do Alto da Sé, deve ter cantado baixinho: “Manda embora essa tristeza, manda por favor / Mas por isso eu não vou me privar de dançar / Só faço isso pelo carnaval”. A última vez que estivemos juntos foi para ver o documentário dos 50 anos do Baile Municipal, no Museu da Cidade do Recife.

a-almir-tzer

Almir com O Egito no Nordeste e O Czar Nordestino (Fotos: Museu da Cidade do Recife)

De sua cadeira de rodas Almir era só alegria. Tem um ditado que diz: Quem foi rei sempre será majestade”. E é verdade. E esse monstro sagrado das passarelas, foi o precursor do uso de estopas em fantasias. “Morte e Vida de um Caramujo” foi sua primeira fantasia no seu vasto currículo de sucesso. Ela ganhou o primeiro lugar no Bal Masqué. A partir dai Almir ganhou notoriedade e esteve na linha de frente dos desfiles de fantasias em Pernambuco.

a-almir-viva-recife

Almir sua Viva o Recife (Foto: Museu da Cidade do Recife)

O campeão das fantasias, na categoria originalidade, um verdadeiro artesão, agora, só na memória. Suas fantasias brilhavam tanto, que somente para olhar, tínhamos que colocar óculos escuros. Usava palha, estopa (jutas), agave e garfos de madeira com muita propriedade. Todavia Almir da Paixão foi um dos melhores maquiadores e cabeleireiros  da nossa sociedade. Almir da Paixão deu um ippon na concorrência, agora está no céu sempre de alto astral.

almir-da-paixão-almir-jovem

Almira da Paixão de cadeira de rodas o admira na tela do Museu da Cidade do Recife (Foto: Fernando Machado)

E encerro cantando Frevo Nº 2 de Antonio Maria: “Ai, ai, saudade / Saudade tão grande / Saudade que eu sinto / Do Clube dos Pás, dos Vassouras / Passistas traçando tesouras / Nas ruas repletos de lá / Batidas de bumbo / São maracatus retardados / Que voltam pra casa cansados / Com seus estandartes pro ar / Quando eu me lembro / O Recife tá longe / A saudade é tão grande / Eu até me embaraço / Parece que eu vejo / O Haroldo Matias no passo / Valfrido e Cebola, Colasso”. Eu acrescentaria Parece que vejo Almir da Paixão nas passarelas do Municipal ou do Bal Masqué.

Concurso de Fantasias  

Estão abertas até o próximo dia 23 as inscrições para o II Concurso de Fantasias da Cidade do Recife. Podem inscrever-se carnavalescos maiores de 18 anos, que devem optar pelas categorias Originalidade ou Luxo. As inscrições serão realizadas no Núcleo de Cultura Cidadã,  na Casa 39, do Pátio de São Pedro, de 9h às 17h. De parabéns a notável primeira dama Cristina Quirino de Mello pelo respeito aos carnavalescos.

Foto: Sérgio Bernardo/PCR

Nicole dos Santos é originalidade (Foto: Sérgio Bernardo)

Foto: Sérgio Bernardo/PCR

João Bosco Mendonça é luxo (Foto: Sérgio Benardo)

O  II Concurso de Fantasias do Carnaval da Cidade do Recife acontecerá nos salões do Chevrolet Hall, no dia 4 de fevereiro de 2015. O primeiro lugar na Categoria Luxo receberá R$ 10 mil, o segundo, R$ 8 mil e o terceiro R$ 6 mil. Na categoria Originalidade a premiação é de R$ 8 mil para o campeão, R$ 6 mil para o vice e R$ 5 mil para o terceiro colocado. Os vencedores deverão desfilar no Baile Municipal do Recife.

Fantasias & Municipal

Devemos sempre incentivar nossos desfilantes de fantasias. Temos que evitar que essa tribo entre em extinção. Pelo que conversei com a primeira dama do Recife Cristina de Mello no próximo ano os desfiles vão continuar como atração do Baile Municipal. O que Roberto Lessa tem que fazer é marcar uma reunião com eles e definir que fantasia não é alegoria. E quem insistir será desclassificado.


Nycolle Wellen Santana (Foto: Fernando Machado)

Ontem o blog postou os vencedores do Municipal, em originalidade e luxo. Hoje vamos postar as fantasias de Nycolle Santana com De Onde vem o Baião criado e confeccionado por Ana Paula Santana, que ficou no segundo lugar, em originalidade. Ela conta a história de um trio de bonecos de massapé que dança ao som do baião que embala as festas nordestinas, em homenagem ao mestre Vitalino e Luiz Gonzaga.


Marcos Antonio Silva (Foto: Fernando Machado)

O terceiro lugar em originalidade foi para Marcos Antonio da Silva com Quero bumbá em Pernambuco a cultura popular. Criada pelo próprio desfilante embalado pela música de Jackson do Pandeiro, ela mostra a grandeza da cultura popular nordestina por meio da festa do boi, que aparece com denominações diferentes em diversos estados da região.


Sandro Farias (Foto: Fernando Machado)

Em segundo lugar, luxo, ficou Sandro Farias, com Galaticu’s – A invasão ao Universo, criada e confeccionada pelo próprio Sandro. Ela mostra via sua imaginação as inúmeras lendas emitos do universo. Uma delas conta que há muito tempo, extraterrestres conquistaram quase o universo, enfrentando muitos deuses.


Humberto Ferreira Marques (Foto: Fernando Machado)

A Rainha Alexandrina criada e confeccionada por Humberto Ferreira Marques conquistou o terceiro lugar. Segundo ele, descoberta na Papua, na Nova Guiné, a Rainha Alexandra é a maior borboleta do mundo. Recebeu este nome em homenagem à Rainha Alexandra, esposa do Rei Eduardo VII.

  • 1 2