Fernando Machado

Blog

Tag operação

Nos Bastidores da Política

Na data em que se comemora o Dia Mundial do Refugiado, 20 de junho, a Operação Acolhida do Governo Federal atingiu a marca de 76.398 cidadãos interiorizados até maio de 2022. Desde 2018, o programa recebe venezuelanos que atravessam a fronteira em busca de melhores condições de vida. A estratégia brasileira é realocar as pessoas que chegam a Roraima em direção a outros estados brasileiros. 

Os refugiados e imigrantes já foram interiorizados para 836 municípios. Manaus, com 5.287 venezuelanos; Curitiba, com 5.084; e São Paulo, com 4.196; foram as cidades que mais receberam cidadãos do país vizinho. Os três estados do Sul são os recordistas neste acolhimento. Para Santa Catarina foram interiorizadas 13.383 pessoas, seguida pelo Paraná (13.199) e Rio Grande do Sul (11.328) até o último mês.

A Operação Acolhida conta com o apoio do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados. Além do Alato Comissriado, o trabalho é feito em parceria com as Forças Armadas, a Polícia Federal; a Receita Federal; a Defensoria Pública da União; o Tribunal de Justiça de Roraima; a Organização Internacional para as Migrações; o Fundo das Nações Unidas para a Infância; o Fundo de População das Nações Unidas; e o Comitê Internacional da Cruz Vermelha.

Nos Bastidores da Política

A Operação Acolhida, a estratégia do Governo Federal para interiorização de refugiados e migrantes venezuelanos, encerrou o ano de 2021 com 66.257 pessoas beneficiadas. Ao todo, 788 municípios nos 26 estados e no Distrito Federal já foram o destino de venezuelanos em busca de melhores condições sociais e econômicas, desde 2018 quanto teve início a estratégia. Desse total, mais de 61 mil (92%) foram interiorizados a partir de janeiro de 2019, na atual gestão do Governo Federal. A interiorização tem como objetivo oferecer maiores oportunidades de inserção social e econômica aos venezuelanos e reduzir a pressão sobre os serviços públicos do estado de Roraima.

Do total de interiorizados, 88% viajam em grupos familiares e 12%, sozinhos. O perfil inclui 63% de maiores de 18 anos e 37% de crianças e adolescentes, conforme informações do Subcomitê Federal para Acolhimento e Interiorização, coordenado pelo Ministério da Cidadania. Na contabilidade por estados, o Paraná lidera o ranking de acolhimento de venezuelanos, com 11.218 interiorizações, seguido por Santa Catarina (10.540), Rio Grande do Sul (9.506), São Paulo (9.370) e Amazonas (5.268). Na divisão por municípios, Manaus (AM) é o que mais recebeu venezuelanos. São 5.223 registros na capital amazonense. Na sequência aparecem Curitiba (4.437), São Paulo (3.774), Dourados (MS), com 2.993, e Porto Alegre (2.251).

Nos Bastidores da Política

O Presidente Jair Bolsonaro participou da terceira etapa do Circuito de Negócios Agro, iniciativa do Banco do Brasil que visa potencializar negócios e reforçar a presença da instituição pública junto ao segmento. A cerimônia de lançamento do Circuito Agro – Etapa 2022 – Carreta Agro BB ocorreu segunda-feira, no Centro Cultural Banco do Brasil, em Brasília. O Circuito prevê a divulgação de produtos, serviços e inovações tecnológicas ao setor, além de levar assessoria aos produtores rurais. Três carretas adaptadas para atuar como agências móveis do Banco do Brasil vão percorrer 60 mil quilômetros, entre janeiro e dezembro de 2022, visitando as principais praças do agronegócio no país em quase 600 cidades e facilitando a geração de negócios para o setor. A expectativa é que o Circuito gere negócios da ordem de R$ 1,5 bilhão.

Jair Bolsonaro quando falava no Circuito de Negócios Agro (Foto: Alan Santos

A Operação Acolhida já regularizou mais de 280 mil migrantes e refugiados venezuelanos e mais de 66 mil foram interiorizados para mais de 700 municípios. A atuação humanitária foi reconhecida pela Organização das Nações Unidas (ONU) como um trabalho pioneiro e efetivo na prestação de assistência e integração das pessoas venezuelanas, além de garantir e preservar a dignidade dos refugiados. Neste contexto, cerca de 7,2 mil militares das Forças Armadas brasileiras foram empregados para atuarem na Operação e, de acordo com a Casa Civil, mais de 1,9 milhão de atendimentos foram realizados na fronteira do Brasil com a Venezuela.

Lançamento Múltiplos de Foguetes

Terça-feira, pela manhã, foi realizada o tiro de Lançadores Múltiplos de Foguetes (ASTROS II), no Campo Instrução Marechal Newton Cavalcanti, em Paudalho, como parte da Operação Guararapes. Os lançadores são equipamentos compostos de foguetes, de tecnologia de ponta, 100% nacional, de elevado poder de combate, com capacidade para disparar 190 foguetes em 16 segundos. É um sistema de apoio de fogo de longo alcance e alta precisão que faz parte do Projeto Estratégico do Exército.

Os generais Martinelli e Richard (Foto: Fernando Machado)

O sistema é formado por viaturas mecanizadas com tecnologia avançada que incluem radares, computadores, navegação por GPS, sistemas de comunicação por rádio digital, estações meteorológicas e sistemas mecânicos e hidráulicos. O Sistema Astros devido ao seu grande alcance e volume de fogos, em um reduzido tempo de resposta, proporciona ao Exército Brasileiro uma maior operacionalidade intensificando o poder de dissuasão extrarregional da Força na garantia da Soberania Nacional.

Uma viatura mecanizada em ação (Foto: CMNE)

A Operação Guararapes está ocorrendo desde segunda-feira e vai até o dia 5 de novembro em Alagoas, Bahia, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe. Os objetivos da atividade são: manter a operacionalidade das tropas do Nordeste para a garantia da Soberania Nacional e integridade territorial; e desencadear ações de Defesa Externa, Operações Interagências e Ajuda Humanitária. Tivemos duas falas a do general Richard Fernandes Nunes (Comandante Militar do Nordeste) e do general Marco Antônio Freire Gomes (Comandante de Operações Terrestres).

Sheila Wanderley diante de uma viatura (Foto: Fernando Machado)

Também participaram da ação os generais Vinicius Ferreira Martinelli, Francisco Carlos Machado Silva, Gustavo Henrique Dutra de Menezes, Danilo Mota Alencar e Marcelo Pereira Lima de Carvalho, do brigadeiro César Faria Guimarães dos desembargadores Fernando Cerqueira Norberto dos Santos e Eurico de Barros Correia Filho (Presidente e Vice do TJPE), entre outras autoridades.