Fernando Machado

Blog

Tag Noite

Anotações do Cotidiano

Aos poucos a vida noturna da Boa Vista vai ganhando espaço. Amanhã, entre 18h e 22h, acontecerá a Noite da Boemia, no restaurante Tempero da Rosa, que funciona no térreo do Hotel Central. O veterano Luiz Pessoa e Gutto César, filho do cantor Augusto César, farão shows para quem ama sem vergonha de amar. A chef Rosa Maria assina o cardápio de petiscos. Horário: das 18h às 22h.

O cantor Gutto César (Foto: Betto Sabino)

Os desafios do marketing e vendas na hotelaria serão foco de duas palestras com os especialistas Daniel Mourão, Jeferson Munhoz e Alex-Sandro de Souza durante o Fórum de Hospedagem e Alimentação do Nordeste, iniciativa da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis em Pernambuco com curadoria do Hotelier News e da Escola para Resultados. O evento acontece durante a Hotel & Food Nordeste, de 3 a 5 de novembro no Centro de Convenções de Pernambuco.

Varo Vargas vence o Mister Supranational de 2021

Os candidatos de calções no palco (Foto: Concurso)

Aconteceu, ontem, no anfiteatro do Strzelecki Park, em Nowy Sach, na Polônia, a escolha do Mister Supranacional de 2021. Como sempre os melhores candidatos são prejudicados como os misteres da Spyros Nikolaidis da Grécia, Waild Chakir de Marrocos, Luis José Baloyes do Panamá, Mario Iglesias do Equador e Marek Jastráb da Eslováquia. Os apresentadores foram Ivan Podrez e Anna Matlewska.

Mário Iglesias do Equador (Fotos: Concurso e Miss Pawee)

Marek Jastráb da Eslováquia  (Fotos: Concurso e Miss Pawee)

Participaram do evento 34 rapazes, que depois do desfile calções, por sinal demodée, foi selecionado o top 20: Derrel Lampe (Aruba), Manuel Molano (Colômbia), David Kremen da Republica Tcheca, Ivan Oleaga da Republica Dominicana, Fabien Mounoussamy da França, Spyros Nikolaidis da Grécia, Theodore Bien-Aime (Haiti), Rahul Rajasekharan da Índia, Raffael Fiedler de Malta.

Spyros Nikolaidis da Grécia era lindo demais (Fotos: Concurso e Miss Pawee)

Walid Chakir do Marrocos (Fotos: Concurso e Miss Pawee)

Ainda Gustavo Adolfo Rosas González do México, Santosh Upadhyaya do Nepal, Varo Vargas do Peru, John Adajar das Filipinas, Daniel Borzewski da Polônia, Francisco Vergara de Porto Rico,  Marek Jastráb da Eslováquia, Lucas Muñoz-Alonso da Espanha, Abdel Kacem Tefridj  de Togo, Okky Alparessi da Indonésia e William Badell da Venezuela. Outro momento emocionante foi quando os candidatos aclamaram como Mister Simpatia Young Dong Cho da Coreia do Sul. Os bofes saíram da posição para cumprimentá-lo. Um rebu.

Young Dong Cho era somente emoção (Foto: Concurso)

Luis Baloyes era bonito e malavilhoso (Fotos: Concurso)

Depois do desfile de traje de noite foi anunciado o Top 10: México, Malta, Indonésia, Índia Republica Domicana, Espanha Nepal, Venezuela, Togo e Peru. Depois da entrevista foi anunciado que no 5º lugar ficou Lucas Muñoz-Alonso da Espanha, no 4º lugar ficou Santosh Upadhyaya do Nepal, no 3º lugar William Badell da Venezuela, no 2º lugar ficou Abdel Kacem Tefridj  do Togo, que sem dúvida alguma melhor do que o vencedor Varo Vargas do Peru, que recebeu a faixa do antecessor Nate Crnkovich.

Nate Crnkovich passando a faixa para o emocionado Varo Vargas (Foto: Concurso)

De Volta para o Passado

Há 110 anos, nascia em São Paulo, o cantor Adoniran Barbosa, que morreu no dia 23 de novembro de 1982.

Há 75 anos, os Estados Unidos jogavam a primeira Bomba Atômica em Hiroshima, no Japão.

Há 70 anos, acontecia o jogo de vôlei entre o Jet 2×1 Atlético (15×8, 17×17 e 15×8). O Atlético jogou com Carlos, Aroldo, Divanilton, Ilsone, Veronésio e Rodolfo. O Jet com Julio, Quincas, Olavo, Amarilio, Jorge e Orlando.

Há 70 anos, o menino de 11 anos, Ferrucio Burco regia, no Teatro de Santa Isabel, a Orquestra Sinfônica do Recife.

Há 65 anos, Mário Francelin, abria em Beberibe, a Barraca Pio XII, que virou o Cantinho da Dalva de Oliveira.

Luiz Geraldo e Barbosa Filho (Foto: Internet)

Há 60 anos, estreava na TV Jornal do Commmercio, o programa Noite de Black Tie, com Barbosa Filho e Luiz Geraldo. O cenário foi de Walter Ribeiro, e a direção de Amarilio Niceas.

Há 55 anos, passava pelo nosso Aeroporto, a atriz Claudia Cardinale, ia participar no Rio de Janeiro do Festival de Filmes.

Há 40 anos, chegava ao Recife, o cientista Albert Sabin, para a inauguração do Hospital que recebeu o seu nome.

Teresinha Morango vence o Miss Brasil de 1957.

Na foto oficial temos 16 misses no prédio da Revista Manchete (Foto: Manchete)

Domingo, fez 63 anos, que acontecia no Hotel Quitandinha, em Petrópolis, no Rio de Janeiro, a eleição de Miss Brasil 1957, e a vencedora foi Teresinha Gonçalves Morango, Miss Amazonas,  irrepreensível num modelo da Casa Canadá, que foi coroada pela Miss Brasil de 1956, a gaucha Maria José Cardoso (1935/2019).  Teresinha tinha 1m67 de altura, 90 cm de busto, 63 cm de cintura, 93 cm de quadris, 56 cm de coxa, 21 cm de tornozelo e 59kg de peso. Os apresentadores do concurso foram Paulo Roberto e Lourdes Mayer, ambos da Radio Nacional.

Teresinha Morango de traje de noite e banho, e Maria Dorothea Antunes de maiô (Fotos: O Cruzeiro)

O palco do Quitandinha com as misses de traje de noite (Foto: O Cruzeiro)

Comissão julgadora foi formada por Clóvis Salgado (Ministro da Educação), Herbert Moses (presidente da ABI), Accioly Neto (teatrólogo), pelas senhoras Maria Helena Raja Gabaglia e Mena FialaFrancisco Olympio de Oliveira (diretor do laboratório Leite de Rosas), Carlos Machado (empresário da noite), Alfred Bluhm (representantes dos maiôs Catalina), Harry Stone   (embaixador  de Hollywood o Brasil), Jacinto de Thormes (cronista social) e Reinaldo Reis (chefe de gabinete do prefeito  do DF).

Misses Goiás, São Paulo e Santa Catarina (Fotos: O Cruzeiro)

Misses Pará, Maranhão e Piauí (Fotos: O Cruzeiro)

Participaram do concurso 20 candidatas: Rosa Lucia Pacheco (Alagoas), Teresinha Gonçalves Morango (Amazonas), Sonia Rocha (Bahia), Lia Guimarães de Castro (Ceará), Eloisa Oliveira de Menezes (Distrito Federal), Lygia Maria Bonfim (Espírito Santo), Cylis Pires Rocha (Estado do Rio), Marta Leão Pincowska (Goiás), Malvina Maria Martins de Melo e Alvim   (Maranhão), Maria Dorothea Antunes Neto (Minas Gerais), Tereza Catarina Morais e Castro (Pará).

Misses Rio Grande do Norte, Paraíba e Pernambuco (Fotos: O Cruzeiro)

Misses Alagoas, Sergipe e Bahia (Fotos: O Cruzeiro)

Ainda Maria Zélia de Almeida Cardoso (Paraíba), Karin Japp (Paraná), Zayra Moreira Pimentel (Pernambuco), Chloris Maria Guimarães Fontenelle (Piauí), Maria do Socorro Gurgel (Rio Grande do Norte), Sandra Hervê (Rio Grande do Sul), Terezinha Dutra (Santa Catarina), Lucia de Carvalho (São Paulo), e Maria Helena Morais e Silva (Sergipe).

Misses Espírito Santo, Estado do Rio e Distrito Federal (Fotos: O Cruzeiro)

Misses Rio Grande Sul, Ceará e Paraná (Fotos: O Cruzeiro)

Após desfilarem em traje de noite e de maiôs Catalina, o júri definiu o Top 5: Terezinha Gonçalves Morango (AM), Maria Dorothea Antunes Neto (MG), Karin Japp (PR), Lia Pires de Castro (CE) e Sandra Hervê (RS). E finalmente foi anunciado que o 5º lugar foi para Karin Japp (PR), o 4º para Lia Pires de Castro (CE), o 3º para Sandra Hervê (RS), o 2º para Maria Dorothea Antunes Neto (MG) e a nova Miss Brasil, era Terezinha Gonçalves Morango (AM).

Os perfis de Teresinha Morango e Maria José Cardoso, Miss Brasil de 1956 (Fotos: O Cruzeiro)

Também receberam votos da comissão julgadora as misses Tereza Morais e Castro do Pará, Terezinha Dutra de Santa Catarina, Marta Pincowsky de Goiás, Chloris Fontenelle do Piauí, Lygia Bonfim do Espírito Santo, Eloisa de Oliveira Menezes do Distrito Federal, Cylis Pires Rocha do Estado do Rio, Sonia Rocha da Bahia e Zayra Pimentel de Pernambuco. Em tempo: Foi a última vez que o Miss Brasil aconteceu no Hotel Quitandinha.