Fernando Machado

Blog

Tag natação

Fatos Diversos

Luiz Fernando Coelho, pernambucano, tenente-coronel da PMPE, presidente da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos e presidente da Confederação Sul Americana da Natação, foi eleito em Melbourne, na Austrália, para integrar a diretoria da Federação Internacional de Natação. Ele assumiu o cargo na World Aquatics durante o campeonato mundial de piscinas curtas, que aconteceu em Melbourne.

Luiz Fernando agora está na FIN (Foto: Divulgação)

A indústria têxtil e de confecção brasileira deverá fechar o ano de 2022 com saldo positivo na criação de vagas formais, consolidando a retomada na geração de empregos observada em 2021, após dois anos de retração nesse indicador. A expectativa ocorre em meio a um cenário de aumento dos custos ao longo de 2022, e contrasta com a previsão de queda na produção. Nos doze meses encerrados em outubro, o setor gerou 7,6 mil postos de trabalho.

De Volta para o Passado

Há 185 anos, nascia em Portugal, a Condessa de Águas Belas (Maria Thereza de Jesus Oliveira), que morreu no dia 14 de janeiro de 1904.

Há 115 anos, nascia em Pernambuco, o político Vitorino Freire, que morreu no dia 27 de agosto de 1977.

Há 90 anos, nascia em Pernambuco, o senador Antônio Farias, que morreu no dia 13 de abril de 1988.

Há 60 anos, o campeão mundial de natação, 200 metros, o japonês Tsuyoshi Yamanaka, escapava da morte, em virtude de sua vinda ao Recife, para a inauguração da piscina do Náutico. Ele estava escalado para viajar pelo Boeing 707, que caiu uma semana antes no Peru. A bordo 97 pessoas.

Há 15 anos, morria em Pernambuco, o executivo Carlos Augusto Lopes do Nascimento, que nasceu no dia 26 de maio de 1941.

Fatos Diversos

O pernambucano Luiz Fernando Coelho de Oliveira foi eleito ontem, em Assunção, no Paraguai, presidente da Confederação Sul Americana de Natação, cargo que vai acumular com o de presidente da Confederação Brasileira de Esportes Aquáticos (CBDA).

Luiz Fernando de Oliveira, novo presidente da Confederação Sul Americana de Natação (Foto: Divulgação)

Lançada na Super Mix 2021, a distribuidora digital Praso completa seu primeiro ano exatamente onde foi apresentada ao mercado. A startup pernambucana está no estande na Super Mix 2022, que tem como foco a inovação e termina amanhã, no Centro de Convenções.

Nos bastidores da Política

A natação paralímpica brasileira consolidou na Ilha da Madeira, em Portugal, um rito de passagem. Oficialmente, a modalidade saltou de uma era em que super atletas concentravam muitas medalhas para uma fase em que o país conta com um time forte e consistente, capaz de subir ao pódio em diversas classes, seja no masculino ou no feminino. No Mundial encerrado sábado, o primeiro sem a presença do multimedalhista Daniel Dias no elenco, o Brasil conquistou o melhor resultado de sua história. Foram 53 medalhas e a terceira colocação geral.  Ao todo, foram 19 ouros, 10 pratas e 24 bronzes.

Levando em conta provas individuais e revezamentos, 26 dos 29 atletas subiram ao pódio (89% dos atletas). O evento reuniu cerca de 500 atletas de 59 países. À frente do Brasil no quadro oficial de medalhas, apenas a Itália, com 27 ouros, 24 pratas e 13 bronzes (64 no total), além de Estados Unidos, com 24 ouros, nove pratas e sete bronzes (40). Na contabilidade por total de medalhas, o Brasil ficou em segundo. Antes, o melhor resultado do país em número de ouros tinha sido em 2017, no México, quando o Brasil obteve 18. No quantitativo, a melhor competição registrada era em Montreal, no Canadá, em 2013, com 26 pódios.