Fernando Machado

Blog

Tag nadador

De Volta ao Passado

Há 115 anos, morria na Bahia, a escritora Ignêz Sabino Pinho Maia, que nasceu no dia 31 de julho de 1853.

Há 90 anos, nascia em São Paulo, o jornalista Zé Italiano (Luiz Fernando Bindi), que morreu no dia 30 de setembro de 1986.

Há 90 anos, nascia em São Paulo, o jogador Walter Marciano (Walter Marciano de Queiroz), que morreu no dia 21 de junho de 1961.

Há 70 anos, se apresentava no Teatro de Santa Isabel, o violoncelista francês Pierre Fournier.

Há 70 anos, nascia em Minas Gerais, o ponta direita e vereador  Tarciso (José Tarciso de Souza) que morreu no dia 5 de dezembro de 2018.

Dalva de Oliveira e Fernando Castelão (Fotos: O Cruzeiro/Divulgação)

Há 65 anos, a cantora Dalva de Oliveira e a Orquestra Cassino de Sevilla, se apresentava no programa Variedades de Fernando Castelão, na Radio Tamandaré.

Há 30 anos, morria em São Paulo, o figurinista Ney Galvão, que nasceu no dia 11 de janeiro de 1952.

Há 15 anos, morria em São Paulo, o nadador Harry Forssell, que nasceu em 1 outubro de 1907.

Parabéns

Hoje, 25, Dia de São Luís, do Exercito Brasileiro, do Soldado e do Feirante, aniversariam os executivos Mário Vieira, Alice Gibson e Gláubia Lima Gil Rodrigues, a advogada Vera Berenguer,

A executiva Ione Paiva (Foto: Fernando Machado)

O nadador Otávio Cardoso (Foto: Fernando Machado)

De volta para o passado

Há 95 anos, nascia no Rio de Janeiro, o colunista social Ibrahim Sued, que morreu no dia 1 de outubro de 1995.

Há 90 anos, nascia na França, o estilista Ted Lapidus, que morreu no dia 29 de dezembro de 2008.

Há 85 anos, chegava ao Recife a banda norte-americana The Black Stars. Daqui seguiu até a Europa.

Há 55 anos, a jovem Joan Serrano era lançada como Miss Clube Internacional do Recife de 1964.

Há 25 anos, o nadador pernambucano Otavio Cardoso era campeão Mundial Máster em Montreal, no Canadá.

Há cinco anos, morria nos Estados Unidos, minha amiga Lourdinha Campos, que nasceu no dia 5 de maio de 1957.

Johnny Weissmuller o eterno Tarzan

O eterno Tarzan, Johnny Weissmullr (Fotos: Divulgação)

Há 115 anos, nascia na Romênia, János Weißmüller que aos sete meses sua família de origem alemã emigrou para os Estados Unidos e se tornaria uma legenda no cinema como Tarzan. , personagem de ficção do escritor Edgar Rice Burroughs. Estamos nos referindo ao Johnny Weissmuller, que morreu em Acapulco no México no dia 20 de janeiro de 1984. Seu grito mexia com os adolescente entre os anos 50 e 80.

Johnny Weissmuller quando nadador (Fotos: Divulgação)

Johnny foi um brilhante nadador e conquistou cinco medalhas de ouro nos Jogos Olímpicos de 1924 e 1928. Ele estabeleceu 67 recordes mundiais de natação e ganhou 52 campeonatos nacionais, sendo considerado um dos melhores nadadores de todos os tempos. Abandonou as piscinas e seguiu outra carreira de sucesso, quando a partir de 1934 se imortalizou como Tarzan. Weissmuller fez doze filmes como o homem macaco, celebrizando o famoso e estilizado grito da personagem.

Weissmuller em Nova York em 1922 brincando de musico (Foto: Getty Images)

Do alto dos seus 1m90 de altura a MGM que procurava um ator atlético para interpretar a figura de Tarzan na adaptação para as telas.  Em 1932 fez Tarzan the Ape Man (Tarzan, o Homem Macaco), que resultou num grande sucesso. O seu famoso rugido da selva o popularizaria enquanto batia com os punhos no peito.

No filme, Tarzan Finds a Son, rodado em 1939  (Foto: Divulgação)

Também interpretou com sucesso a personagem Jim das Selvas entre 1948 e 1955. Foram dezesseis filmes ao todo, com duração média de setenta minutos cada. Em 1955, a série transferiu-se para a TV, tendo sido feitos vinte e seis episódios de meia hora cada. Todavia a idade pesa ficou obeso, mesmo assim Johnny Weissmuller tentou dar vida a uma personagem atlética e aventureira, remetendo Tarzan. Esse final melancólico marcou sua despedida das câmaras. Com quase 50 anos, Weissmuller mudou-se para Chicago, onde fundou uma empresa de piscinas. Aposentou-se em 1965 e no ano seguinte juntou-se aos ex-Tarzans Jock Mahoney e James Pierce numa campanha publicitária de lançamento da Tarzan na televisão, estrelada por Ron Ely.

Johnny Weissmuller na meia idade e com a atriz Maureen O’Sulliivan (Fotos: Divulgação)

Em 1967 sua imagem foi imortalizada na capa do elepê Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band, dos Beatles. E finalmente em 20 de janeiro de 1984, Johnny Weissmuller faleceu por conta de um edema pulmonar em Acapulco, no México, onde vivia com a sexta esposa sete anos depois de se recuperar de uma trombose. Johnny Weissmuller ou o eterno Tarzan, encontra-se sepultado no Panteão Vale da Luz, em Acapulco. Foi casado por cinco vezes. O primeiro com a cantora Bobbe Arnst (1931/1933), depois com atriz Lupe Vélez (1933/1939), na sequencia com Beryl Scott (1939/1948), Allene Gates (1948/1962) e Maria Baum (1963 até a morte em 1984). Com Beryl teve dois filhos Johnny (23.9.1940/27.7.2006), Wendt Anne (01.06.1942) e Heidi Elizabeth (31.07.44/19.11.62).