Fernando Machado

Blog

Tag kombis

PMPE & Patrulha dos Bairros II

As equipes das kombis, quando efetuavam alguma prisão, acionavam uma viatura comum, através da Central de Operações da PM (Copom), que levava os envolvidos para a delegacia mais próxima, para que a patrulha não saísse do bairro. No final no ano, as patrulhas recebiam centenas de cartões de natal dos moradores, satisfeitas com o novo serviço. Mas tinha também as gozações, porque os soldados, durante a noite-madrugada, usavam apitos, e muitos humoristas diziam que eram vendedores de cuscuz, quando, na realidade, eles ofereciam segurança.

A cerimonia da entregas das komibs para a Patrulha dos bairros (Foto: Informativo da PMPE)

Bons tempos, aqueles, quando os potenciais criminosos respeitavam o princípio da autoridade pública. Mas nem tudo foram flores e alguns políticos da oposição passaram a criticar o novo serviço, taxando-o de eletista, por atuar exclusivamente nos bairros de classe média e classe alta. A PMPE criou então os Núcleos Comunitários de Segurança Preventiva, cada um com uma viatura, fazendo rondas nos roteiros discutidos em reuniões periódicas dos comandantes dos batalhões com os moradores da área.

Patrulha dos Bairros (Final)

Com a saída do governador Roberto Magalhães e a mudança de comando da Polícia Militar de Pernambuco, o serviço foi descaracterizado. As patrulhas passaram a sair dos bairros e a atender todo tipo de ocorrência policial, além de ter seu efetivo por viatura reduzido. As kombis passaram a ser carros normais de polícia e antes de sua total extinção, os veículos estavam com problemas mecânicos e quebrando nas ruas por não terem sido substituídas por veículos novos.

Era lamentável ver as kombis com o xadrez da viatura cheia de pneus usados para substituírem os que fossem esvaziando durante o serviço. Dizer que o serviço recém-criado pela Secretaria de Defesa Social é semelhante à verdadeira Patrulha do Bairro é uma heresia política e uma violação da história.

Patrulha dos Bairros II

O que pouca gente sabe é que a Patrulha dos Bairros foi copiada integralmente da Operação Polo, lançada pela Polícia Militar de São Paulo, na época do governo Franco Montoro. As kombis daqui já estavam pintadas com o mesmo nome paulista, mas Roberto Magalhães, ao saber desse detalhe, chamou Cecília Freitas, da agência Gruponove para criar um nome local próprio diferente do São Paulo.

O pessoal da agência, ao ouvir que a operação era específica para os bairros, criou o nome Patrulha dos Bairros. Como não dava mais tempo repintar as kombis, foram confeccionados adesivos com o novo nome e colocados nos veículos. O primeiro lote foi de 35 kombis, mas o número foi ampliado, chegando a 108. A Patrulha dos Bairros atuou na Região Metropolitana e em Caruaru. Amanhã será a última matéria sobre o assunto.