Fernando Machado

Blog

Tag Hino

Brasil: O Povo quer voto Limpo

A esquerda está enlouquecida porque o Brasil está lutando pelo voto impresso e auditável. Nosso está mudando e hoje tivemos o mairo exemplo disso, com passeatas ordeiras. Idosos, jovens e crianças estavam vestidos de verde amarelo. Foi um momento deslumbrante que o brasileiro já viu. O voto impresso é uma realidade.

Um mar de manifestantes na Avenida Boa Viagem (Foto: Arthur Souza/Blog Roberta Jungmann)

Quando o Hino Nacional é executado a multidão enlouquece. Antigamente o brasileiro somente segurava uma bandeira, na Copa do Mundo, agora é diariamente. As famílias precisam lutar para o futuro dos filhos. E é isso que os petistas, socialistas e comunistas não querem, mas Deus está vigilante. Viva Bolsonaro!

 

Parabéns

Hoje, 13, Dia de Nossa Senhora das Dores e Santo Hermenegildo, do Hino Nacional Brasileiro e da Imprensa, aniversariam o advogado Heraclito Cavalcanti, os executivos Gilberto Carneiro Junior, José Carlos Oliveira e Suely Rossiter, as jornalistas Daliana Martins, Evelise Buarque e Vanessa Lins, a chef Lucinha Cascão,

A procuradora Rosa Mineiro Dias (Foto: Fernando Machado)

O médico Diego Pascaretta (Foto: Divulgação)

A graphic designer Marcela Machado Vanegue (Foto: Face)

 

De Volta para o Passado

Há 180 anos, era tocado, pela primeira vez, o Hino Nacional do Brasll, cuja letra é de Joaquim Osório Duque-Estrada e a música de Francisco Manuel da Silva. Em 1917 o cantor Vicente Celestino foi quem primeiro gravou o Hino Nacional, sendo acompanhado pela Banda do Batalhão Naval.

Há 135 anos, nascia na Alemanha, o artista plástico Henrique Moser, que morreu no dia 21 de agosto de 1947.

Há 100 anos, acontecia concerto com o tenor Elias Reis e Silva, com o barítono Astrubal Lins e com a pianista Fausta Lobo.

Há 85 anos, morria na Inglaterra, o poeta Rudyard Kipling, que nasceu no dia 30 de dezembro de 1865.

Há 85 anos, acontecia à Festa dos Solteiros, no Olinda Cassino Club, com o Bando Acadêmico. Na ocasião os compositores Homero Freire, Plácido Souza e Capiba apresentaram os frevos-canções vitoriosos. O traje foi rigor.

Há 70 anos, morria em São Paulo, o político Euvaldo Lodi, que nasceu no dia 9 de março de 1896.

Há 55 anos, o escritor Marcos Vilaça tomava posse na cadeira 35, da Academia Pernambucana de Letras, cujo presidente era Luiz Delgado. A cerimônia aconteceu no Instituto Arqueológico Histórico e Geográfico Pernambucano. Ele foi saudado pelo acadêmico Mauro Mota.

Há 25 anos, morria no Rio Grande do Sul, o cineasta Alberto Ruschel, que nasceu o dia 21 de fevereiro de 1918.

De Volta para o Passado

Há 160 anos nascia no Rio de Janeiro, o artista plástico Antônio Parreiras, que morreu no dia 18 de outubro de 1937.

Francisco Manuel da Silva e Joaquim Osório Duque de Estrada (Fotos: Internet)

Há 130 anos, era oficializado o Hino Nacional do Brasil, composto por Joaquim Osório Duque de Estrada e Francisco Manuel da Silva.

Há 100 anos, nascia na Itália, o cineasta Federico Fellini, que morreu no dia 31 de outubro de 1993.

Há 100 anos, Alfredo Botelho fundava no Recife, o Club Carteiros em Folia.

Há 75 anos, no Santa Isabel a peça Qué matá Papai, Oião? com a Cia Brasileira de teatro Musical. No elenco Hilda Fernandes.

Há 65 anos, passava, via Alitalia, a atriz Silvana Pampanini. Ia participar do Festival Internacional de Cinema em Punta del Este. Ela recebeu um disco da Rosenblit de Carnaval, entregue por José Kreime.

Há 30 anos, morria nos Estados Unidos, a atriz Bárbara Stanwyck, que nasceu no dia 16 de julho de 1917.

Há 65 anos, chegava ao Recife o escritor Malba Tahan.

  • 1 2 9