Luiz Aureliano pede exoneração do Comando da PMPE

Conforme antecipado com exclusividade por esta coluna, o coronel Luiz Aureliano de Barros Correia pediu exoneração do cargo de comandante geral da Polícia Militar e será substituído pelo coronel Carlos Pereira, que dirigia a Diretoria Integrada de Policia do Interior, em Petrolina. A solenidade de passagem de comando será realizada às 17h de hoje, na frente do quartel do Derby, sede do comando geral da PMPE.

Quem também deixa o cargo é o chefe do Estado-Maior, coronel Eden Vespaziano, que será substituído pelo coronel Paulo Cabral. Vespeziano deve ser transferido para a reserva e a assumir o cargo de Consultor Técnico da Secretria da Criança e da Juventude, a convite do secretário Pedro Eurico. O novo comandante da PMPE foi ajudante de ordens do vice-governador Mendonça Filho, durante os oito anos do governo Jarbas/Mendonça. Nas horas vagas é cantor, no estilo música de barzinho.

Com menos de um ano no cargo (ele assumiu em 4 de julho do ano passado), Luiz Aureliano já tinha anunciado a amigos que pretendia deixar o comando por não concordar com o estilo de gestão do secretário Wilson Damázio. Ele teria colocado o cargo à disposição desde o dia 4 de abril, mas a saída só foi formalizada sexta-feira, quando ele teve uma audiência com o governador Eduardo Campos, para expor sua insatisfação e pedir exoneração.

Além do esvaziamento do cargo (foi retirada a autoridade do comandante até para transferir um soldado), Luiz Aureliano se queixou do fato de não ter participado da assinatura dos atos de promoção em março e da mudança de vários comandos subordinados sem  seu conhecimento. Sem citar nomes, ele teria se posicionado contra a ingerência exagerada do secretário executivo de planejamento nos assuntos de segurança.