Fernando Machado

Blog

Tag engenheiro

De volta para o passado

Há 170 anos, nascia em Sergipe, o escritor Tobias Barreto de Menezes, que morreu no dia 26 de junho de 1889.

Há 105 anos, nascia em Pernambuco, Dom João Costa, que morreu no dia 6 de janeiro de 1959.

Há 100 anos, nascia em Pernambuco, o compositor Cláudio Nigro, que morreu no dia 22 de setembro de 1982.

Há 85 anos, nascia no Pará, o engenheiro Guilherme Rossi, que morreu no dia 9 de novembro de 2004.

maria-felix-agustin-lara-efe
Há 57 anos, cantava na Rádio Tamandaré, o cantor Agustin Lara. Na foto com Maria Felix (EFE)

Há 47 anos, passava pelo Recife, a atriz francesa Mylene Demongeot.

Há 30 anos, morria em Pernambuco, o compositor Gildo Branco, que nasceu no dia 27 de julho de 1921.

nara-leao-jb
Há 20 anos, morria no Rio de Janeiro, a cantora Nara Leão, que nasceu no dia 19 de janeiro de 1942.

Há 20 anos, morria em São Paulo, o piloto Chico Landi, que nasceu no dia 17 de julho de 1907.

Parabéns

Hoje, 02, Dia dos Santos Marcelino e Pedro e a Data Nacional da Itália, aniversariam o jogador Túlio Humberto Pereira da Costa, o ator Caio Blat, a senhora Terezinha Torres, a escritora Salma Bandeira, o engenheiro Heitor Maia, a jornalista Maria Cláudia Azambuja

ida-comber
A jornalista Ida Comber (Foto: Fernando Machado)

Um nome que a história guardou

Apesar de ter vivido 32 anos no Rio de Janeiro, o poeta e dramaturgo recifense Joaquim Cardozo não é um filho ingrato de sua terra: o Nordeste, e em particular Recife, que o viu nascer e sempre presente em sua obra, funcionando muitas vezes como a própria matéria de sua poesia. Entretanto, a terra nordestina não se manifesta apenas como memória ou saudosismo, como acontece com frequência entre tantos poetas. Surge como natureza complexa e viva, como paisagem original, e do mesmo modo como contradição e miséria social. O Nordeste, no caso de Cardozo, é uma verdadeira dimensão do espírito do poeta, um local real onde ocorre o mundo.

joaquim-cardoso1
O poeta Joaquim Cardoso (Foto: Divulgação)

Atuando profissionalmente como engenheiro, inclusive como assistente de Oscar Niemeyer, tendo sido Brasília quantificada em sua prancheta de engenheiro calculista, a arquitetura também tem papel fundamental no tratamento poético de Joaquim Cardozo. O verso calculado, preciso, trabalhado sem afetação, constitui sempre um conjunto harmonioso, de marcada preocupação arquitetônica, ainda que simples e objetivo. Por outro lado, procura dar significação poética à arquitetura, deixando trabalhos teóricos importantes nessa área.

joaquim-cardoso-dicavalcanti
Joaquim Cardoso por Di Cavalcanti

São de sua autoria: Poemas (1947) – Prelúdio e Elegia de uma Despedida (1952) – O Signo Estrelado, (1960) – O Coronel de Macambira (1963) – De uma Noite de Festa (1971) – Poesias Completas (1971) – O Capataz de Selema / Antônio Conselheiro / Boi de Carro (1975), Um Livro Aceso e Nove Questões Sombrias (1981), Poemas Selecionados (1996), uma antologia organizada por César Leal. (Jornalista Ariadne Quintella)

Parabéns

Hoje, 25, Dia de São Germano, aniversariam os atores Carol Baker e Cecil Thiré, o secretário de Turismo do Conde (PB) Saulo Barreto, a jornalista Edna Nunes,

cyl-gallindo-evandro-teixeira
O poeta Cyl Gallindo (Foto: Evandro Teixeira)

gabriel-bacelar
O engenheiro Gabriel Bacellar (Foto: Divulgação)