Paixão de Cristo de Gravatá

Há 28 anos que Carlão, Carlos de Lima Alves, dirige a Paixão de Cristo de Gravatá. Em 2012 ele conseguiu um apoio do prefeito Ozano Brito e do Governador Eduardo Campos, via Fundarpe, para a encenação, orçada em 50 mil reais. E como sempre o espetáculo emociona o público, estimado em três mil pessoas por noite. O ator Antonio Santos interpreta Cristo desde a primeira apresentação em 1984.

gp-carlos-de-lima-alves-carlao
Carlão ao lado dos soldados romanos da encenção (Fotos: Fernando Machado)

O relógio marcava 21h, em ponto, quando os cerca de 160 atores ingressaram, Sexta-Feira da Paixão, no Pátio de Eventos para sua segunda apresentação. A primeira aconteceu na noite anterior. Um dos destaques, sem dúvida, foi o fundo musical. Carlão a garimpou na trilha sonora do filme Rei dos Reis e no long-play Paz na Luz da Oração. A emoção tomou conta da platéia quando ao som da Ave Maria de Gounod Maria encontra Jesus desfigurado a caminho do calvário. Foi demais.

gp-niedja-paula-daconceicao-antonio-santos-aline-chagas
Niedja Paula (Madalena) da Conceição, Antonio (Jesus) Santos e Aline (Maria) Chagas

O cenário by Carlão não é cinematográfico, como o de Nova Jerusalém, mas é tão importante quando o de lá. O figurino tem uma beleza plástica maravilhosa e foi também de Carlão e de sua esposa Ana Kelly Alves. O blog estende o tapis rouge para o prefeito Ozano Brito e o secretário de Turismo, Ricardo Guerra pelo apoio dado aos que fazem a Paixão de Cristo de Gravatá. Parabens!