Fernando Machado

Blog

Tag Economia

Notícias da Alemanha

O Governo Federal decidiu o formato do Projeto de Lei sobre os chamados bad banks, ou bancos podres. Ele visa livrar os bancos privados de ativos ruins e reconstruir a confiança no setor financeiro. Estima-se que os bancos alemães mantenham mais de 200 bilhões de euros em títulos podres.

O Projeto de Lei elaborado pelo ministro da Fazenda, Peer Steinbrück permitem aos bancos remover ativos tóxicos de seus balanços e atribuir-lhes a entidades criadas especificamente para recebê-los. Em contrapartida os bancos receberão garantias do Estado, pelas quais deverão pagar, assim como cobrir eventuais prejuízos.

O governo ainda está acertando detalhes para uma solução semelhante para os bancos estatais alemães, que são de propriedade do país, e dos governos regionais. Quem nos informa é Martin Mahn, do Consulado Geral da Alemanha.

Nos bastidores da política

O deputado federal André de Paula propôs a troca da Selic pela taxa de juros de longo prazo no cálculo para o parcelamento de dívidas municipais junto ao INSS. O parlamentar diz que a Selic dificulta ainda mais a situação dos municípios. Para André de Paula, esta medida minimizaria o impacto negativo no corte do governo federal no fundo de participação dos municípios.

O governador Eduardo Campos, conforme divulgamos, está em Brasilia. Às 14h assina com Makhtar Diop, diretor do Banco Mundial para o Brasil, empréstimo de US$ 154 milhões e às 15h terá uma reunião sobre o setor sucroalcooleiro com os ministros Dilma Rousseff e José Múcio Monteiro.

Notícias da Alemanha

Há 60 anos, em março de 1949, na grande sala de reuniões do Ministério da Economia da Baviera, era fundada a Sociedade Frauenhofer de Pesquisa. Após toda a destruição causada pela 2ª Guerra Mundial, uma nova estrutura para a pesquisa se fez necessária no processo de reconstrução da Alemanha e a Sociedade Frauenhofer desempenhou um papel de protagonista.

Em sua fundação, a Frauenhofer contava com apenas três institutos de pesquisas e nos primeiros anos enfrentava freqüentes dificuldades financeiras. Hoje são 57 membros, que empregam 15 mil pessoas e que, em 2008, contou com um volume de pesquisa de 1,4 bilhões de euros.

Hoje é uma das sociedades de pesquisa mais importantes do mundo, que acompanha as necessidades atuais, “contando com a criatividade e o engajamento de seus pesquisadores e pesquisadoras”, como afirmou o presidente da instituição, Prof. Hans-Jörg Bullinger. Quem nos informa é Martin Mahn, do Consulado Geral da Alemanha.