Fernando Machado

Blog

Tag delegação

Viva o Bolsa Atleta

Martine Grael e Kahena Kunze (Foto: Reuters)

O Brasil conquistou 21 medalhas durante os Jogos Olímpicos de Tóquio. Na melhor campanha do País na história do evento, foram 13 modalidades diferentes, com sete ouros, seis pratas e oito bronzes, um resultado que significou a 12ª colocação no quadro de medalhas. Em 19 desses pódios, receberam medalhas competidores brasileiros bolsistas integrantes do programa Bolsa Atleta. Ao todo, são seis ouros, cinco pratas e oito bronzes com a presença de atletas contemplados pelo programa do Governo Federal, executado pela Secretaria Especial do Esporte do Ministério da Cidadania.

Herbert da Conceição (Foto: COB)

Outro destaque foi à intensa presença feminina, com três desses seis ouros, conquistados por quatro medalhistas: Ana Marcela Cunha (maratonas aquáticas), Martine Grael e Kahena Kunze (vela) e Rebeca Andrade (ginástica artística). A campanha seria suficiente para transformar a Nação Bolsa Atleta na 15ª no quadro de medalhas, à frente de todos os países da América do Sul (com exceção do Brasil) e de países como Coreia do Sul, Noruega, Suécia, Bélgica e Jamaica (país com grande tradição nas provas de velocidade do atletismo).

Rebeca Andrade (Foto: EFE)

A delegação brasileira como um todo em Tóquio contou com 302 titulares, inscritos em 35 modalidades. Desses 302, 242 são atualmente integrantes do Bolsa Atleta, ou 80% da delegação. Se o futebol masculino, que não integra o programa, for retirado da conta, o percentual sobe para 86%. Em 19 das 35 modalidades com representantes nacionais em Tóquio, 100% dos atletas pertencem ao Bolsa Atleta. Além da seleção de futebol masculino, a outra exceção foi à prata de Rayssa Leal, no skate street. A jovem de 13 anos ainda não tem idade suficiente para integrar o programa, que é de 14 anos.

Ana Marcela Cunha (Foto: Divulgação)

Nos bastidores da Política

A maior delegação brasileira já convocada para disputar uma edição de Jogos Paralímpicos fora de casa tem a digital onipresente do Bolsa Atleta. O programa de patrocínio individual do Governo Federal contempla 222 dos 232 atletas (95,7%) anunciados pelo Comitê Paralímpico Brasileiro para representar o país na capital japonesa. A delegação nacional como um todo terá ao todo 253 integrantes, levando em conta os guias para atletas com deficiência visual e os calheiros (auxiliam atletas da bocha). O Brasil vai participar em 20 dos 22 esportes previstos no programa. As exceções são o rúgbi e o basquete em cadeira de rodas. Em 15 das 20 modalidades com presença nacional, 100% dos atletas são bolsistas.

A tenista de mesa Daniele Rauen (Foto: Miriam Jeske)

Os interessados em concorrer a uma bolsa do Prouni do Ministério da Educação já podem consultar as opções disponíveis na página do Prouni. O prazo para as inscrições começa amanhã e segue até a próxima sexta-feira. Para Pernambuco serão oferecidas 2.332 Bolsas Integrais e 2.554 Parciais. Para concorrer às bolsas integrais, o estudante deve comprovar renda familiar bruta mensal, por pessoa, de até 1,5 salário mínimo. Para as bolsas parciais (50%), a renda familiar bruta mensal, por pessoa da família, deve ser de até 3 salários mínimos. O candidato também precisa ter realizado o último Enem e ter alcançado, no mínimo, 450 pontos de média nas notas. O estudante não pode ter tirado zero na redação ou ter feito o Enem na condição de treineiro.

De Volta para o Passado

Há 95 anos, nascia no Rio de Janeiro, o jornalista Carlos Heitor Cony, que morreu no dia 5 de janeiro de 2018.

Há 80 anos, chegava ao Recife a bordo do vapor Baependy, a delegação do America do Rio de Janeiro, formado por Mozart, Villa e Gritta; Dedão, Aziz e Alcebiades; Nelsinho, Carola, Placido, Baleiro e Esquerdinha.

Há 60 anos, morria nos Estados Unidos, a atriz Belinda Lee, que nasceu no dia 15 de junho de 1935.

Há 45 anos, morria nos Estados Unidos, o coreografo Busby Berkeley, que nasceu no dia 29 de novembro de 1895.

Há 40 anos, morria em Pernambuco, o deputado Joaquim Coutinho, que nasceu no dia 30 de janeiro de 1936.

Há 25 anos, morria em São Paulo, o cantor Cascatinha (Francisco dos Santos), que nasceu no dia 20 de abril de 1919.

Há cinco anos, morria em Pernambuco, a professora Zilah Barbosa Torres, que nasceu no dia 30 de abril de 1937.

De Volta para o Passado

Há 100 anos, era inaugurada a Escola Municipal Manoel Borba, no Pátio de Santa Cruz. O primeiro diretor foi Candido Duarte.

Há 100 anos, nascia no Rio de Janeiro, a notável cantora Carmen Costa, que morreu no dia 25 de abril de 2007.

Há 70 anos morria o pintor Álvaro Amorim, morava na Estrada do Arraial, 3078, que nasceu no dia 12 de novembro.

Há 60 anos passava pelo Recife a delegação do Real Madrid, com Ferenc Puskas.

Há 55 anos, morria na França, o diplomata Porfírio Rubirosa, que nasceu no dia 21 de janeiro de 1909.

Há 45 anos, a seleção pernambucana feminina de vôlei-juvenil, era campeã brasileira ao vencer no Geraldão, São Paulo por 3 x 0. O técnico era Edmilton Vasconcelos. Atletas Glória, Nara Souza, Margarida Reis, Rosa Bezerra, Inácia Queiroz, Ilma Kruse, Ana Isabel Lobo, Fulvia Mesquita, Ana Lucia Gomes, Nadja Thompson, Vera Lucia Gomes, Edite Nunes e Marilda Leal.

Há 35 anos, morria em Pernambuco, o artista plástico Murilo Lagreca, que nasceu no dia 8 de agosto de 1889.

  • 1 2 8