Fernando Machado

Blog

Tag delegação

Nos Bastidores da Política

Os melhores nadadores paralímpicos do planeta mudaram o CEP temporariamente. Estão todos na Ilha da Madeira, em Portugal, para a principal competição do esporte paralímpico internacional em 2022. O Mundial de natação será de 12 a 18 de junho e reúne mais de 600 atletas, de 70 países. É o primeiro evento de grande porte da modalidade no ciclo para os Jogos Paralímpicos de Paris, na França, em 2024.

O Brasil enviou a Portugal uma delegação de 29 atletas, e 100% deles são integrantes do Bolsa Atleta, programa de patrocínio direto executado pela Secretaria Especial do Esporte do Ministério da Cidadania. Dos 29 convocados, 26 pertencem à categoria Pódio, a principal do programa, voltada para atletas que se qualificam entre os 20 melhores do ranking mundial. Informa o ministro da Cidadania, Ronaldo Bento.

Viva o Bolsa Atleta

Martine Grael e Kahena Kunze (Foto: Reuters)

O Brasil conquistou 21 medalhas durante os Jogos Olímpicos de Tóquio. Na melhor campanha do País na história do evento, foram 13 modalidades diferentes, com sete ouros, seis pratas e oito bronzes, um resultado que significou a 12ª colocação no quadro de medalhas. Em 19 desses pódios, receberam medalhas competidores brasileiros bolsistas integrantes do programa Bolsa Atleta. Ao todo, são seis ouros, cinco pratas e oito bronzes com a presença de atletas contemplados pelo programa do Governo Federal, executado pela Secretaria Especial do Esporte do Ministério da Cidadania.

Herbert da Conceição (Foto: COB)

Outro destaque foi à intensa presença feminina, com três desses seis ouros, conquistados por quatro medalhistas: Ana Marcela Cunha (maratonas aquáticas), Martine Grael e Kahena Kunze (vela) e Rebeca Andrade (ginástica artística). A campanha seria suficiente para transformar a Nação Bolsa Atleta na 15ª no quadro de medalhas, à frente de todos os países da América do Sul (com exceção do Brasil) e de países como Coreia do Sul, Noruega, Suécia, Bélgica e Jamaica (país com grande tradição nas provas de velocidade do atletismo).

Rebeca Andrade (Foto: EFE)

A delegação brasileira como um todo em Tóquio contou com 302 titulares, inscritos em 35 modalidades. Desses 302, 242 são atualmente integrantes do Bolsa Atleta, ou 80% da delegação. Se o futebol masculino, que não integra o programa, for retirado da conta, o percentual sobe para 86%. Em 19 das 35 modalidades com representantes nacionais em Tóquio, 100% dos atletas pertencem ao Bolsa Atleta. Além da seleção de futebol masculino, a outra exceção foi à prata de Rayssa Leal, no skate street. A jovem de 13 anos ainda não tem idade suficiente para integrar o programa, que é de 14 anos.

Ana Marcela Cunha (Foto: Divulgação)

Nos bastidores da Política

A maior delegação brasileira já convocada para disputar uma edição de Jogos Paralímpicos fora de casa tem a digital onipresente do Bolsa Atleta. O programa de patrocínio individual do Governo Federal contempla 222 dos 232 atletas (95,7%) anunciados pelo Comitê Paralímpico Brasileiro para representar o país na capital japonesa. A delegação nacional como um todo terá ao todo 253 integrantes, levando em conta os guias para atletas com deficiência visual e os calheiros (auxiliam atletas da bocha). O Brasil vai participar em 20 dos 22 esportes previstos no programa. As exceções são o rúgbi e o basquete em cadeira de rodas. Em 15 das 20 modalidades com presença nacional, 100% dos atletas são bolsistas.

A tenista de mesa Daniele Rauen (Foto: Miriam Jeske)

Os interessados em concorrer a uma bolsa do Prouni do Ministério da Educação já podem consultar as opções disponíveis na página do Prouni. O prazo para as inscrições começa amanhã e segue até a próxima sexta-feira. Para Pernambuco serão oferecidas 2.332 Bolsas Integrais e 2.554 Parciais. Para concorrer às bolsas integrais, o estudante deve comprovar renda familiar bruta mensal, por pessoa, de até 1,5 salário mínimo. Para as bolsas parciais (50%), a renda familiar bruta mensal, por pessoa da família, deve ser de até 3 salários mínimos. O candidato também precisa ter realizado o último Enem e ter alcançado, no mínimo, 450 pontos de média nas notas. O estudante não pode ter tirado zero na redação ou ter feito o Enem na condição de treineiro.

De Volta para o Passado

Há 95 anos, nascia no Rio de Janeiro, o jornalista Carlos Heitor Cony, que morreu no dia 5 de janeiro de 2018.

Há 80 anos, chegava ao Recife a bordo do vapor Baependy, a delegação do America do Rio de Janeiro, formado por Mozart, Villa e Gritta; Dedão, Aziz e Alcebiades; Nelsinho, Carola, Placido, Baleiro e Esquerdinha.

Há 60 anos, morria nos Estados Unidos, a atriz Belinda Lee, que nasceu no dia 15 de junho de 1935.

Há 45 anos, morria nos Estados Unidos, o coreografo Busby Berkeley, que nasceu no dia 29 de novembro de 1895.

Há 40 anos, morria em Pernambuco, o deputado Joaquim Coutinho, que nasceu no dia 30 de janeiro de 1936.

Há 25 anos, morria em São Paulo, o cantor Cascatinha (Francisco dos Santos), que nasceu no dia 20 de abril de 1919.

Há cinco anos, morria em Pernambuco, a professora Zilah Barbosa Torres, que nasceu no dia 30 de abril de 1937.

  • 1 2 8