Fernando Machado

Blog

Tag cronista

De volta para o passado

Há 140 anos, Maria Rita de Medeiros inaugurava a primeira Casa de Banhos do Recife.

Há 105 anos, nascia no Rio de Janeiro, o cantor Gilberto Alves, que morreu no dia 4 de abril de 1992.

Há 85 anos, morria em Pernambuco, o jornalista Manoel Caetano de Albuquerque Mello, de A Província, que nasceu no dia 16 de fevereiro de 1868.

Há 13 anos, este cronista Fernando Machado lançava o seu blog.

Fatos Diversos

O cronista Joca Souza Leão vai lançar no próximo mês, livro: A Primeira Vez. Crônicas e 101 Diálogos (Im)prováveis, sua quarta publicação editada pela Cepe, com projeto gráfico assinado por Ricardo Melo. A obra já se encontra em pré-venda pela internet, no site www.cepe.com.br/lojacepe. O repertório das crônicas é variado, indo de política a pequenos dramas e comédias do cotidiano, passando por futebol, cultura, entre outros temas.

Joca Souza Leão em tempo de lançamento (Foto: Divulgação)

O chef César Santos vai brindar os 27 anos do Oficina do Sabor com um jantar especial. A refeição, aliás, será comandada pela vencedora do Masterchef 2015 Izabel Alvares e pela chef Cris Barros. O evento acontece no próprio restaurante, em Olinda, no dia 21 de novembro. Quem participar do jantar também levará para casa o Prato da Boa Lembrança comemorativo, assinado pelo artista plástico Nilson Floro.

Parabéns, Jornal do Commercio!

Fiquei muito triste que o Jornal do Commercio na sua edição comemorativa de 100 anos não fez uma referencia ao ícone do jornalismo pernambucano Alex. Começou sua vitoriosa carreira em 30 de julho de 1958, fazendo uma coluna social aos domingos e a partir do dia 14 de setembro de 1958 passou a escrever diariamente, substituindo Nelbe Souza. No dia 27 de fevereiro de 1997 Alex foi demitido.

Alex no inicio de sua carreira (Foto: Acervo do blog)

Alex brilhou no auge, na decadência e na retomada. A coluna social está dividida entre antes e depois de Alex. Dos anos 50 até 70, ele reinou como cronista social. Foi até imortal da Academia Pernambucana de Letras. Suas listas de mulheres elegantes mexiam com a sociedade. Não esquecer suas crônicas sobre cinema. Na época que o JC estava falido a sociedade pernambucana comprava o jornal por conta da sua coluna social.

Alex na noite de autógrafos do livro Cadeira Vazia em 1968 (Foto: Acervo do blog)

Alex era imagem do Jornal do Commercio e vice versa. Lembro que certa vez a direção da empresa comunicou que não tinha dinheiro para pagar os funcionários da oficina. Ele não teve dúvida conseguiu a importância. Alex, você foi um monstro sagrado no jornalismo pernambucano. E encerro plagiando a música Naquela Mesa de Sergio Bittencourt: naquela edição está faltando ele.

De Volta para o Passado

Há 210 anos, nascia nos Estados Unidos, o jornalista Edgar Allan Poe, que morreu no dia 7 de outubro de 1849.

Há 180 anos, nascia na França, o artista plástico Paul Cézanne, que morreu no dia 22 de outubro de 1906.

Há 100 anos, Floripes Correia Lima e Severino do Miúdo fundavam no Recife, o bloco Amantes das Flores.

Há 70 anos, Luiza Gonzaga de Melo Mafra, era eleita Rainha do Passo de 1949, no auditório da Radio Jornal do Commercio. O rei era Zezinho.

Alex e Lucila Pessoa de Queiroz (Fotos: Acervo do blog)

Há 55 anos, o cronista social Alex do Jornal do Commercio, apresentava às senhoras mais elegantes de 1964: Maria José Supra, Lucila Pessoa de Queiroz, Cristina Villareal, Rosa Baptista da Silva, Tereza Cristina Santos Dias Rocha, Ester Souto Carvalho, Berta Navarro, Silvia Ramos Carvalho, Vera Monte e Maria do Carmo Vilaça.