Fernando Machado

Blog

Tag Biblia

De Volta para o Passado

Há 555 anos, Gutenberg terminava a impressão da Bíblia, o primeiro livro impresso tipograficamente.

Há 400 anos, arrebentava em Pernambuco, a Guerra dos Mascates.

Há 100 anos, nascia em São Paulo, o jurista Miguel Reale, que morreu no dia 14 de abril de 2006.

Há 75 anos, morria no Rio Grande do Sul, o goleiro Eurico Lara, que nasceu no dia 24 de fevereiro de 1897.

osorio-borba
Há 50 anos, morria no Rio de Janeiro, o jornalista Osório Borba, que nasceu no dia 16 de janeiro de 1900.

Há 40 anos, morria no México, o cantor Agustin Lara, que nasceu no dia 20 de outubro de 1900.

vicente-feola
Há 35 anos, morria em São Paulo, o técnico Vicente Feola, que nasceu no dia 1 de novembro de 1909.

Há um ano, morria em Pernambuco, o empresário José Adolfo Pessoa de Queiroz, que nasceu no dia 26 de outubro de 1907.

Nos bastidores da Política

Tony Blair, ex-primeiro-ministro da Grã Bretanha, ministrará palestra, na próxima terça-feira, às 11h, na Universidade Ahembi Morumbi em São Paulo. Falará sobre a Importância da Educação no Novo Cenário Brasileiro. O encontro será transmitido ao vivo por meio de videoconferência para a Faculdade dos Guararapes, integrante da Laureate Universities. Informações pelo telefone 3461-5555.

Não consigo entender a preocupação do comitê de Dilma Rousseff em relação as eleições do próximo dia 31. As pesquisas a indicam na frente. Sei não, mas acho que essas pesquisas não refletem a realidade. No primeiro turno a diferença entre Dilma e Serra era apontada em 30 pontos no final foi de apenas 10 pontos.

A propósito: Quatrocentos pastores venderam Jesus Cristo, quarta-feira, para Dilma, durante reunião Brasília. Dilma Rousseff apesar de desmentir, mas a Veja e Maria Claire, não nos deixam mentir, é contra a vida defendida pela Bíblia. Esses religiosos não temem os castigos divino, mas Ele está atento. Gabriel Chalita que agora é amigo de Dilma desde criança devia antes dormir refletir já que se passa por bom samariano.

O deputado Pedro Eurico, do PSDB, afirmou, terça, que acredita na vitória da oposição no segundo turno das eleições presidenciais. Segundo o parlamentar, a sociedade mostrou com seu voto que ainda precisava conhecer melhor os candidatos. O deputado ainda destacou que os governistas se iludiram ao achar que iriam ganhar facilmente.

Um mês sem o Crucifixo

Faz um mês hoje que o novo comandante geral da Policia Militar de Pernambuco, coronel Tavares Lira, retirou o Crucifixo que estava no gabinete desde 1825. Ele antecipou-se a PNDH – 3 e não quer cumprir o decreto 7.177, assinado pelo Presidente Lula, datado de 12 de maio de 2010, que modifica a Lei dos Direitos Humanos, proíbindo a retirada de símbolos religiosos de logradouros públicos.

crucifixo-pmpe1
O Crucifixo que foi cassado pelo comandante geral da PMPE (Foto: Fernando Machado)

Uma pena que o governador Eduardo Campos,como comandante em chefe da Policia Militar, esteja calado diante dessa desobediência. Agora em junho da PMPE vai completar 185 anos de fundação e sem o Crucifixo. Na programação tem um Culto Ecumênico onde será distribuído o Novo Testamento. A Bíblia (Antigo e Novo Testamentos) não convém aos irmãos Protestantes.

Momento de Reflexão

Em sete textos do Novo Testamento são mencionados os “irmãos” de Jesus (cf. Mc 6,3; Mc 3,31-35; Jo 2,12; Jo 7,2-10; At 1,14; Gl 1,19; 1 Cor 9,5). Segundo Mc 6,3 eles chamavam-se Simão, Tiago, José e Judas. O episódio da peregrinação, aos doze anos, quando os pais não deixariam o lar por quinze dias com filhos pequenos (cf Lc 2,41-42) e o episódio da entrega da mãe a João aos pés da cruz, seriam incompreensiveis se Jesus tivesse outros irmãos em casa (cf Jo 19,26s).

O termo irmão supõe um contexto linguistico pobre de palavras: a palavra aramaica “irmão” podia indicar não somente os filhos dos mesmos pais, mas também os primos ou parentes mais distantes. Com efeito, Tiago e José, “irmãos de Jesus” (Mt 13,55), são filhos de outra Maria, discípula de Jesus (cf. Mt 28,1). Que eles sejam chamados de irmãos não é uma novidade do Novo Testamento; a expressão indicadora de um parentesco próximo já se encontra no Antigo Testamento (cf. Gn 13,8; 14,16;29,15).

A partir destes dados, a Igreja sempre entendeu que Maria não teve outros filhos. Jesus o Filho único de Maria, nela concebido pelo poder do Espírito Santo (cf. Mt 1,20).