Fernando Machado

Blog

Tag bailes

Os Bailes de Carnaval do Copa

Almir da Paixão desfilando no Copa Copacabana Palace em 1978 (Foto: O Cruzeiro)

Os bailes do Copacabana Palace nos carnavais eram icônicos. Os desfiles de fantasias eram memoráveis. O tempo acabou todo esse glamour, todavia parece que no próximo ano, o Copa que vai comemorar seu centenário poderá reeditar aqueles famosos bailes carnavalesco. Não sei se com desfile de fantasias. Vamos torcer, pois assim o high society poderá brilhar como antigamente. Vamos aguardar. Por lá passaram grandes nomes de Hollywood, como Rita Hayworth, Dorothy Lamour,  Kim Novak, Gina Lolobrigida, Rock Hudson,  entre outros.

A atriz Dorothy Lamour arrasando no Copa em 1953 (Foto: O Cruzeiro)

Celebridades como Martha Rocha, Martha Vasconcelos, Adalgisa Colombo, Theresinha Morango Pittigiliani, Carmen Miranda, Carmen Mayrink Veiga, Lourdes Catão. E alguns desfilantes como Almir da Paixão, Mucio Catão, Violeta Botelho, Denise Zelaquette, Clóvis Bornay, Zacharias do Rego Monteiro, Evandro Castro Lima, Margaroni Vidal, Ana Maria Ramiro Costa, Eutalia Figueiredo, Jesus Henriques, Mauro Rosas.

Clóvis Bornay e Evandro de Castro Lima no Copa em 1972 (Foto: O Cruzeiro)

De Volta para o Passado

Clube Alemão (Foto: Diário da Manhã)

Jockey Clube (Foto: Diário da Manhã)

Há 85 anos, começava o Carnaval. Com os bailes do Clube Alemão e do Jockey Clube. O traje era rigor, branco ou fantasia.

Há 85 anos, nascia no Rio Grande do Sul, o radialista Renato Canini (Zé Carioca), que morreu no dia 30 de setembro de 2013.

O general Mascarenhas de Moraes e o interventor Agamenon Magalhães no Carnaval do Internacional em 1941 (Foto: Diário da Manhã)

O Bal Masqué do Internacional no sábado gordo no Carnaval de 1941 (Foto: Diário da Manhã

Há 80 anos, começava o Carnaval. O do Clube Internacional teve decoração de Lula Cardoso Ayres e o tema foi Rainha do Maracatu. Orquestra da PRA 8, regida por Nelson Ferreira e Ulysses e seu Bando. O do Português, o tema foi Reino da Alegria, decoração de Benoni e Petrus Camara.

Há 60 anos, morria em Pernambuco, o sargento da PMPE Antonio Cajueiro de Albuquerque (Velho Cajueiro), que lutou contra o cangaço, e nasceu em 1876.

 

O Carnaval Inesquecível de Zezita Barbosa

Apesar de ter casado com um grande compositor de frevo, Capiba (1904/1997), a viúva Zezita Barbosa não é foliona. Todavia relembra que os melhores carnavais de sua vida foram aqueles da do governador Nilo Coelho, entre 1967 e 1971. “Maria Teresa e Nilo nos apanhavam em casa para curtir o Carnaval. Ele era um grande folião. Íamos para a Avenida assistir aos desfiles de blocos e escolas de samba. Nilo gostava da Escola de Samba Estudantes de São José”.

Capiba e Zezita Barbosa (Foto: Divulgação)

Zezita prossegue: “depois íamos jantar e em seguida nos deslocávamos para os bailes dos Clubes Internacional e Português. Estes foram para mim meus carnavais inesquecíveis. Tinha corso que era uma maravilha. Era permitido lança perfume e mela-mela. Como os jornais da época criticavam o jogar água nos foliões, escreviam que o Pronto Socorro, lotado de pessoas quase cegas por conta da água suja que os marginais jogavam nos olhos das pessoas.

Zezita Barbosa uma figura humana maravilhosa (Foto: Fernando Machado)

Então Nilo Coelho foi até o Pronto Socorro para testemunhar essa maldade. Ao chegar lá não encontrou nenhuma vitima cega e sim muita gente esfaqueada, outras vitimas de tiros. “Os carnavais de antigamente eram lindos demais e com uma violência muito pequena, confessa. E encerra lembrando a musica de Capiba: “Quando a vida é boa / Não precisa ter pressa / Até quarta-feira / A pisada é essa / Pra que vida melhor / Fale quem tiver boca / Eu nunca ví coisa assim / Oh! Que gente tão louca”.

Parabéns, Banda de Musica da PMPE!

Capitão Zuzinha, José Lourenço da Silva (Foto: Divulgação)

Hoje, a Banda de Música da PMPE completa 144 anos de fundação. Ela foi instituída oficialmente em 5 de novembro de 1873, com o objetivo de atender as solenidades da Corporação. Em 1892 surgia a figura de Mestre de Musica e de Corneteiro-mor no I Batalhão de Infantaria Estadual. No fim do ano de 1900 havia uma Banda para cada Corpo de Policia. Atualmente é intitulada Banda de Música Capitão Zuzinha em homenagem a um dos melhores – se não o melhor – regentes da sua história.

Capitão Zuzinha e a banda da PMPE (Foto: Livro de Marilourdes Ferraz sobre a Banda)

A Banda de Música da PMPE é fator preponderante de comunicação social entre a Corporação e a sociedade civil, dados aos seus relevantes serviços de abrilhantamento às solenidades militares e às diversas festas culturais do nosso Estado, onde se destacam as procissões, as retretas, os desfiles cívicos e militares dentre tantos outros. A Banda de Musica da Policia Militar também cumpre uma agenda bastante cheia, quando lembramos solicitações para bailes.

Capitão Zuzinha dirigindo o Orfeão da Brigada em agosto de 1937 (Foto: Diário da Manhã)

  • 1 2 4