Fernando Machado

Blog

Tag aérea

Um Concerto para o Aviador

A Banda de Música da Base Aérea do Recife voltou a se apresentar ao público quinta-feira, num concerto em homenagem ao Dia do Aviador e da Força Aérea Brasileira, celebrado anualmente em 23 de outubro. O evento aconteceu no Teatro Luiz Mendonça, em Boa Viagem, a capacidade de espectadores foi reduzida em razão das medidas preventivas para o enfrentamento do novo Coronavírus. Foram seguidos todos os protocolos de segurança e distanciamento social previsto.

Brigadeiro Cesar e coronel Isaac tocando MPB (Foto: COMAR)

Os militares músicos apresentaram um programa que transitou entre a música erudita, clássicos da música popular brasileira e canções que representam a cultura do Nordeste do Brasil e Pernambuco, como Ai que Saudade D’ocê, de Vital Farias e Accioly Neto, apresentada pelo cantor Cezzinha do Acordeon. Além dele, tivemos a participação dos cantores Diel Rodrigues e Rebeka Casado e dos maestros João da Banda e o Capitão Moisés da Paixão, que fez parte da Banda de Música da BARF em décadas anteriores. Além deles, uma surpresa: para a apresentação de Canta Brasil, de Rogério Leitum, subiram ao palco o Brigadeiro Cesar e o Comandante da BARF, Coronel Isaac Cordeiro da Fonseca Neto, tocando instrumentos típicos do samba carioca.

Os maestros Luiz Carlos Santos da Rosa na regência e Josué Francisco das Neves vestido de gaúcho (Foto: COMAR)

A noite também marcou a última apresentação da Banda sob a regência do Capitão Músico Luiz Carlos Santos da Rosa, que se despediu do grupo após se dedicar por 46 anos à FAB. Durante o concerto, também, ele apresentou canções do folclore do Rio Grande do Sul, de onde ele é originário, e encerrou a carreira “puxando” uma orquestra de frevo, com a participação de passistas e porta-estandartes do Galo da Madrugada. Informalmente, ele passou a batuta ao Suboficial Josué Francisco das Neves, agora maestro da Banda de Música da Base Aérea do Recife.

Os passistas caindo no frevo rasgado (Foto: COMAR)

Entre as presenças destacamos Brigadeiro Cesar Faria Guimarães, os generais Richard Fernandez Nunes, Vinicius Ferreira Martinelli, Nilson Caldas Ananias, José Luiz Jaborandy Rodrigues e Danilo Mota Alencar; o deputado Estadual José Eriberto Medeiros de Oliveira, o Consultor Jurídico Luciano Cavalcanti Batista, o presidente do Galo da Madrugada Rômulo Guerra de Meneses. Queremos parabenizar o tenente e jornalista Felipe Bueno  de Andrade, chefe da Assessoria de Comunicação e Cerimonial do Comando Aéreo Nordeste.

Cerimônia do Dia da FAB e do Aviador

Taciana Moury e Cesar Faria Guimarães (Foto: Fernando Machado)

General Vinicius Martinelli e Cinthia (Foto: Fernando Machado)

General Nilson Ananias e Glaucia (Foto: Fernando Machado)

Aconteceu, sexta-feira, no Pátio do II COMAR, a Cerimônia Militar Alusiva ao Dia da Força Aérea Brasileira, ao Dia do Aviador e de Imposição da Ordem do Mérito Aeronáutico, que foi presidida pelo brigadeiro Cesar Faria Guimarães, comandante do II COMAR. Foram prestadas as honras militares para o general Vinicius Ferreira Martinelli, comandante da 7ª Divisão de Exército. Tivemos a leitura da Ordem do Dia do Comandante da Aeronáutica brigadeiro Carlos de Almeida Baptista Junior.

General Carlos Machado e o colunista social João Alberto (Foto: Fernando Machado)

Os comandantes Rogério Alves Ribeiro, Marcio Rebello de Oliveira e Cassio Souza Guerra (Foto: Fernando Machado)

Tivemos a execução do Hino dos Aviadores, letra de Brigadeiro Armando Serra de Menezes e composto pelo capitão musico João Nascimento. A banda de música, sob a regência do maestro Luiz Carlos Santa Rosa, executou o Hino à Bandeira durante o deslocamento da Porta-Bandeira. Na sequencia aconteceu a entrega da Ordem do Mérito Aeronáutico. Os agraciados foram como comendador recebeu o general Carlos José Rocha Lima, na Ordem de Oficial o Coronel PMPE José Roberto de Santana, o Coronel BMPE Rogério Antônio Coutinho da Costal.

A elegante senhora Sandra Magalhães de Mattos (Foto: Fernando Machado)

Generais Geraldo Gomes de Mattos André Ribeiro (Foto: Fernando Machado)

Na Ordem de Cavaleiro receberam os coronéis Isaac Cordeiro da Fonseca Neto, Rogério Ayres Vasconcellos, Marcus Cesar de Oliveira Janotti e Jeferson Howard Paiva de Azevedo, os capitães Valmir Gonzaga Ferreira e Ana Lúcia da Silva, os suboficiais Ecivanio Cruz Cardoso, Michel Robson Monteiro da Silva, Marcos Aurélio Mendonça Marçal, Gilson Manoel de Oliveira e Eviane Brito de Assis Dias. No final a tropa desfilou em continência ao general Vinicius Ferreira Martinelli, ao som de Fibra de Herói, letra é de Barros Filho e musica de Cesar Guerra Peixe, e a Canção dos Bandeirantes.

Os coronéis Roberto Santana, Carlos José Viana e Rogerio Coutinho (Foto: Fernando Machado)

O secretário de Turismo Gilberto Freyre Neto e o brigadeiro César Faria Guimarães (Foto: Fernando Machado)

Depois da solenidade foi servido um coquetel com canapés de carne, de ricota com morango e chia, mouse de abóbora, dadinho de tapioca com geleia de pimenta, tomatilho recheado com mussarela, parmesão e orégano, caprese pops, baquinha de salpicão, canapé de queijo com goiabada, ceviche de manda, penne ao sugo com manjericão, gravata ao molho pesto e caldo de camarão. Não esquecer a mesa de docinhos (brigadeiro, beijinho, olho de sobra, ouriço, bem casa e uvinha recheda), além do bolo emblemático.

O advogado Guilherme Lima e o brigadeiro César Faria Guimarães (Foto: Fernando Machado)

Os executivos Romero Souza e Roberto Moliterno (Foto: Fernando Machado)

De Volta para o Passado

Há 95 anos, chegava ao Recife, pelo Itapuhy, a pianista italiana Maria Carreras e ficou hospedada no Hotel do Parque.

Há 90 anos, nascia em Pernambuco, o maestro José Nunes, que morreu no dia 14 de setembro de 2016.

Há 85 anos, era inaugurada a linha aérea internacional Panair do Brasil. Chegava num Clipper procedente Trinidad & Tobago. A Companhia aérea fechou no dia 10 de fevereiro de 1965.

Há 40 anos, morria em Israel, o pernambucano Cory Castanha Braga Jr, 22 anos, que servia ao Exercito de Israel, e foi vitima de um ataque no Líbano. Foi enterrado no Cemitério Parque das Flores.

Há 35 anos, morria em São Paulo, a cantora Elza Laranjeiras, que nasceu no dia 16 de junho de 1925.

Há 15 anos, morria em São Paulo, o ator Gianfrancesco Guarnieri, que nasceu no dia 6 de agosto de 1934.

Morre estrela infantil e é enterrada na indigência

Ele morreu no dia primeiro de abril, após sofrer um acidente vascular, mas somente 13 dias depois foi revelada sua morte, pois sem documentos e sem ninguém para reconhecer o seu corpo foi enterrado no Arizona como indigente. Estamos falando do ator Lee Aaker (1943/2021) que povoou as crianças dos anos 50 e 60. Ele brilhou nos anos 50 na série As Aventuras de Rin-Tin-Tin (1954/1959), exibida no Brasil pela Record e depois pela Tupi.

Lee Aaker e Rin-Tin-Tin (Foto: Divulgação)

Que fim triste o ator infantil de Hollywood que teve problemas com drogas e álcool na idade adulta. Além de vivido o Cabo Rusty, ao lado do tenente Ripley Masters (James E. Brown) e, é claro, do cachorro Rin Tin Tin, interpretado por vários pastores alemães. Antes completar dez anos, contracenou com John Wayne, Geraldine Page Marilyn Monroe, Ann-Margret, Lucille Ball, Barbara Stanwyck, entre outros. O seu descobridor foi Fred Zinnemann e deu-lhe o protagonismo de Benjy (1951), que ganharia o Oscar de Melhor Documentário de Curta-Metragem.

Lee Aaker adulto e jovem (Foto: Divulgação)

Lee William Aaker nasceu em Los Angeles no dia 25 de setembro de 1943 A notícia triste foi dada pelo ex-ator infantil e ativista Paul Petersen. “Aaker faleceu no Arizona em 1º de abril, sozinho e ninguém reclamou, e listado como indigente”, lembrou Paul. Ao sair das telas, Aaker entrou na Força Aérea dos Estados Unidos da América, e Paul Petersen indicou nas redes sociais que estava lutando para dar-lhe um enterro adequado, que o ator teria direito por seu tempo de serviço militar.