Fernando Machado

Blog

Reabertura da Basílica da Penha

A Basílica de Nossa Senhora da Penha, no Recife, é de uma  beleza excepcional. Foi construída pelo frades capuchinhos italianos. As suas obras começaram em 1856 e foram concluídas em1872. Seu projeto, no estilo neorenascentista, é de autoria do frade e arquiteto Francesco Maria de Vicenza. Situada na Praça do Mercado de São José, virou um point religioso popular pela tradicional bênção de São Félix e por ter sido a base missionária de Frei Damião de Bozzano, em fase de beatificação.

b-altar

Dom Fernando Saburido consagrando ao altar (Foto: Fernando Machado)

Muitos consideram a igreja mais bonita da região, pela sua imponência devido as suas características clássicas que refletem sua origem renascentista. No alto da Basílica podemos admirar a imagem dourada de Nossa Senhora da Penha. A basílica apresenta vínculos com a região de Veneto, situada no norte da Itália, com por exemplo II Redentore e San Giorgio Magiore, ambas em Veneza. Frei Francesco, é natural de Vicenza.

b-consagração

Dom Fernando Saburido incensando o altar (Foto: Fernando Machado)

A configuração da planta baixa da Basílica apresenta uma cruz latina com uma nave central e duas laterais por onde repousam seis altares de cada lado. Por toda a extensão do altar-mor ao coro, podemos encontrar obras de entalhes e de pinturas do artista Domenico Botazzi (três afrescos; Adoração de Maria, Assunção de Maria ao céu e a Coroação de Maria). Também oito afrescos na cúpula retratam os quatro evangelistas e quatro anjos de autoria do notável artista plástico Murilo LaGreca.

b-consagração8

Dom Pepeu e Dom Fernando começando a cerimonia de incesso do altar (Foto: Fernando Machado)

Do escultor Valentino Besarel temos, no altar mor, o grande trono, duas imagens (Santo Antônio e São Francisco), além de um painel retratando a procissão de Nossa Senhora da Penha do porto do Recife para a Basílica. Também são dele os dois púlpitos, o coro alto e as portas da entrada da Basílica. A imagem de Nossa Senhora da Penha, que fica localizada no alta mor é de origem francesa. A autoria ainda não foi descoberta.  O professor Jorge Eduardo Lucena Tinoco lembra que “Juntamente com o Teatro de Santa Isabel, a Basílica da Penha codivide uma etapa da arquitetura neoclássica”.

b-geraldo-julio-cristina-iracy-de-frança-frei-frança-ana-luiza-paulo-camara-roberto-pereira

Geraldo Julio e Cristina, Iracy de França, Frei França, Ana Luiza e Paulo Câmara (Foto: Roberto Pereira)

Depois desse preâmbulo da historia da Basílica, vamos descrever o que foi a belíssima cerimônia da consagração ao altar na sua reabertura. Às 17h30, com público estimado em cinco mil fieis, o reitor da Basílica de Nossa Senhora da Penha, frei Luiz de França Fernandes, autorizou que a procissão composta de 50 frades e padres, além dos arcebispos de Olinda e Recife Dom Fernando Saburido e o de Vitória da Conquista (BA) Dom Luiz Gonzaga Pepeu, entrasse pela nave central até alcançar o alta mor.

b-ana-lucia-joão-miugel-renata-jose-frei-frança-roberto-pereira

Ana Lucia Arraes, João Henrique, Renata com Miguel no colo, Pedro Henrique e José Henrique Campos com Frei França (Foto: Roberto Pereira)

Ao som Eu vi, eu vi, vi foi a água a manar, / Do lado direito do templo jorrar: / Amém, amém, amém, aleluia”, cantado pelo Coro de 30 vozes, da Basílica, cuja regente é Laienne Kaly Ribeiro, Dom Fernando iniciou o ritual da benção da água. Na sequencia tivemos a consagração da Sédia, do Ambão e do altar. Sem dúvida o momento mais solene da Santa Missa, presidida por Dom Fernando e concelebrada por Dom Pepeu.

b-dom-luiz-gonzaga-pepeu

O arcebispo de Vitória da Conquista Frei Luiz Gonzaga Pepeu (Foto: Fernando Machado)

Então tivemos inicio a unção com óleo da Santa Crisma do novo altar de mármore de Carrara importado da Itália, assim como a Sedia e o Ambão, grifados pelo padre e arquiteto Silvano Onofre. Outro momento indescritível foi quando Dom Fernando incensou o altar, uma maneira de elevar o louvor de gratidão a Deus. Depois Fátima Mergulhão, à côté a sua mãe dona Marieta Xavier e da mãe do reitor, dona Iracy de França, chegaram ao altar para cobri-lo. A peça é de uma riqueza fantástica nos detalhes, em renda by Fátima Rendas.

b-frei-luiz-defrança-fernandes-fundarpe

O reitor da Basilica Frei França e a presidente da Fundarpe Márcia Souto (Foto: Fernando Machado)

Depois que o espaço sagrado, altar, sedia e ambão, foram consagrados, os sinos repicaram e começou a Santa Missa. As leituras foram de Freis Marcelo e Vinicius. O salmo foi cantado por Maria da Glória de Oliveira. O Evangelho foi feito pelo diácono Jurandir e a homilia por Dom Fernando Saburido. Encerrando a solenidade Frei Luiz de França Fernandes, cantou De lá do Interior do Padre Zezinho. É bom lembrar que a iluminação cênica foi assinada por Frei França.

b-frei-bosco

Frei Bosco que assinou a bonita decoração da Basílica da Penha (Foto: Fernando Machado)

No final tivemos uma homenagem para o Clã Campos (Ana Lucia Arraes, Renata, João, Pedro, José e Miguel). Renata recebeu de Frei França uma imagem de São Miguel, do artista plástico potiguar Ambrósio Cordula. E agradeceu ao ex governador Eduardo Campos, pois ele ajudou muito no restauro da Basílica de Nossa Senhora da Penha, assim como ao atual Paulo Câmara e ao prefeito Geraldo Júlio de Mello Filho.

0

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.