Fernando Machado

Blog

Pausa poética

“Mulher, deixaste tua moradia, / Pra viver de boemia, / E beber nos cabarés, / E eu, pra não morrer de tristeza, / Me sento na mesma mesa, / Mesmo sabendo quem és.” João Silva e Caboclinho

0

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.