Fernando Machado

Blog

Notícias da Alemanha

Antigamente, tapetes de Quaresma cobriam o espaço do altar nas igrejas no período antes da Páscoa. Durante os 40 dias entre a Quarta-Feira de Cinzas e a Sexta-Feira Santa, os fiéis não deviam apenas praticar abstinência, mas também fazer penitência. A cidade de Zittau ainda possui dois desses tecidos sagrados. Eles são únicos em toda a Alemanha e atraem todos os anos cerca de 35 mil visitantes para a cidade situada no ponto onde se encontram três países: Alemanha, República Tcheca e Polônia. Há muito tempo, a apreciação dos dois preciosos tapetes da Idade Média não é apenas possível na Quaresma. O Grande Tapete de Quaresma de 1472 está exposto permanentemente, desde 1999, na Igreja-Museu da Santa Cruz. O Pequeno Tapete de Quaresma de 1573 encontrou seu lugar definitivo em 2005 no antigo Convento Franciscano.

Este ano, um terceiro tapete passou a fazer parte da coleção. A paróquia católica de Zittau adquiriu uma cópia do Santo Sudário de Turino para ressaltar a função dos tapetes de Quaresma. O original em Turino é venerado por muitos fiéis, visto que Jesus de Nazaré teria sido sepultado com ele após a crucificação. De fato podem ser reconhecidos no Sudário vestígios de sangue e impressões de um ser humano. A cópia de Zittau está exposta, desde 1º de março, na Igreja de Nossa Senhora e pode ser visitada até 10 de abril. Futuramente o Tapete deverá sempre vedar o altar durante a Quaresma. Quem nos informa é Martin Mahn, do Consulado Geral da Alemanha.

0

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.