Fernando Machado

Blog

No Cantinho da Dalva

Sexta-feira mergulhei no mundo kitsch, e às vezes o kitsch é chique, mas nunca ao contrário. É que a viúva de Capiba, Zezita Barbosa, foi homenageada no Cantinho da Dalva, em Beberibe, de Mário Francelino. Nem a chuva torrencial esfriou o ambiente e não podia, pois é um point para não ser esquecido. A grande atração da casa é Elza Show, um transformista que há 28 anos arrasa por lá.

c-zezita-barbosa-elza-show-jonas-silva
Zezita Barbosa, Elza Show e Jonas Silva (Fotos: Fernando Machado)

As paredes do bar são cobertas de fotos de Dalva de Oliveira, que faleceu no dia 23 de março de 1972, quando o local foi batizado com seu nome. A casa foi fundada, no dia 6 de agosto de 1955, com o nome de Barraca Pio XII. Por tanto sexta-feira a festa era para comemorar seus 55 anos. A primeira vez que Dalva de Oliveira visitou o bar foi no dia 24 de maio de 1969 e a última, seis meses antes de sua morte.

c-pedro-luis-mario-frnacelino
Pedro Luiz recebendo o diploma de Mário Francelino, que fazia sua aparição depois de um AVC

Sob o olhar de uma imagem de Nossa Senhora da Conceição dos Militares aconteceram as homenagens para Zezita Barbosa, para o radialista Pedro Luiz e para o presidente da Federação Pernambucana de Futebol, Carlos Alberto Oliveira à côtê Sonia, quando foram entregues por Mário Francelino o Diploma Dalva de Oliveira. A cerimônia foi coordenada pelo jornalista Jonas Silva.

c-sonia-carlos-alberto-de-oliveira
Sônia e Carlos Alberto Oliveira no Cantinho da Dalva

Na seqüência surge Elza Show, usando um longo vermelho “cheguei” e super maquiada e bote maquiagem nisso. Ela, mesmo afônica, e acompanhada por J. Felipe do Teclado cantou e encantou Ângela Maria, Amália Rodrigues e Dalva de Oliveira. O público ia ao delírio ao finalizar Elza atacou de Garota Solitária, de Adelino Moreira. Saiu consagrada.

c-amaro-francisco-costa-anisia
O luthier Amaro Francelino da Costa e sua Anisia

“Esta noite eu chorei tanto / Sozinha, sem um bem / Por amor todo mundo chora / Um amor todo mundo tem / Eu, porém, vivo sozinha / Muito triste sem ninguém.” Quando Elza perguntava “Será que eu sou feia?”, a turma respondia “Não é, não senhor.” Depois se apresentaram os cantores Lourdinha Oliveira, Elias de Aguiar e Ed Carlos que homenageou Zezita interpretando Madeira que Cupim não Rói. Entre outros anotamos Rejane Coutinho, Anisia e Amaro Francelino da Costa Costa, Eugênia Braz, Sebastião da Mota Barbosa e Pedro de Paula Barreto.

0

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.