Fernando Machado

Blog

Festival de Cinema da Diversidade Sexual

O I Festival de Cinema da Diversidade Sexual terminou tendo como principais premiados o curta cearense O melhor amigo, de Allan Deberton que recebeu o troféu do procurador Adalberto Vieira,  e o pernambucano Tubarão, de Leo Tabosa, que recebeu o troféu de Maria do Céu Vasconcelos. O resultado foi revelado durante cerimônia de premiação que aconteceu sábado, à noite, no Cinema São Luiz. O júri foi presidido pela cineasta Kátia Mesel.

c-realizadores-produtores

Realizadores e produtores no palco do Cinema São Luiz (Foto: Take  28)

Foram cinco dias de evento, cujo saldo positivo pode ser medido pela grande presença de público, entre eles, artistas de lideranças do movimento LGBT. A mãe de Rutílio de Oliveira (1959-2012), idealizador do festival, recebeu o troféu confeccionado por Xuruca Pacheco da atriz Suzana Costa. Em tempo: A partir de agora se chamará Troféu Rutílio de Oliveira.

c-maria-do-céu-leo-tabosa

Maria do Céu Vasconcelos depois de entregar o troféu para Léo Tabosa (Foto: Take 28)

Clara Angélica, que dirige o festival ao lado de Rosinha Assis, estava radiante com o sucesso do festival. No próximo ano Clara pensa em criar um espaço específico para a produção documental televisiva, nacional e internacional. Alexander Melo, diretor da Mostra Diversidade em Animação, que acontece no Rio de Janeiro, confessou o Recifest levou mais público do que o carioca.

0

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.