Fernando Machado

Blog

Categoria música

Brasil perde a voz Agnaldo Timóteo

A MPB está mais pobre desde ontem, com a morte de Agnaldo Timóteo. O cantor nasceu em Caratinga, em Minas Gerais, na terra da Miss Brasil de 1961, Staël Abelha. Já deve ter se reunido com Ângela Maria e quem sabe não cantaram Mamãe, de Davi Nasser e Erivelto Martins. Agnaldo começou sua vida trabalhando num circo. Em Belo Horizonte teve a alegria conhecer sua musa Ângela Maria.

Agnaldo Timoteo sua voz nunca será esquecida (Foto: Divulgação)

Foi ela quem lhe deu o conselho para Agnaldo ir para o Rio de Janeiro, em busca de oportunidades. Na década de 60, já no Rio, pediu trabalho para Ângela Maria, que tinha um automóvel e não sabia dirigir. Em 1967 finalmente a felicidade bateu na sua porta com a canção Meu Grito de Roberto Carlos, seu conhecido quando recém-chegado ao Rio de Janeiro consolidou a sua carreira. Alem de cantor, foi compositor, escritor e político.

Quem tem saudade não está sozinho

Hoje é o Dia da Saudade e para evoca-la vamos recordar duas belas musicas. A primeira é o frevo composto por Nelson Ferreira (1902/1976) e Aldemar Paiva (1925/2014), Frevo da Saudade e a segunda é o samba Chega de Saudade, de Vinicius de Moraes (1913/1980) e Antônio Carlos Jobim (1927/1994). Claro que tem outras lindas que evocam a saudade, mas estas duas tem um pouco da saudade que trago dentro de mim. Ouça a musica pelo Bloco da Saudade: https://www.youtube.com/watch?v=9Rdr4YaYB9A.

Nelson Ferreira e Aldemar Paiva (Fotos: Divulgação)

Frevo da Saudade: “Quem tem saudade não está sozinho / tem o carinho da recordação / por isso quando estou mais isolado / estou bem acompanhado com você no coração / Um sorriso, / um abraço e uma flor / tudo é você na imaginação / serpentina ou confete, carnaval de amor / tudo é você no coração / você existe como um anjo de bondade / e me acompanha nesse frevo de saudade”.

Vinicius de Moraes e Tom Jobim (Foto: Divulgação)

Chega de Saudade: “Vai minha tristeza e diz a ela / Que sem ela não pode ser / Diz-lhe numa prece que ela regresse / Porque eu não posso mais sofrer / Chega de saudade, a realidade é que sem ela / Não há paz, não há beleza, é só / Tristeza e a melancolia / Que não sai de mim, não sai de mim, não sai / Mas se ela voltar, se ela voltar / Que coisa linda, que coisa louca / Pois há menos peixinhos a nadar no mar / Do que os beijinhos que eu darei na sua boca”. Ouça esse hino por Elizeth Cardoso: https://www.letras.mus.br/elisete-cardoso/868120/.

Carmen Miranda: A Pequena Notável

“Taí, eu fiz tudo prá você gostar de mim / Oh! meu bem, não faz assim comigo não! / Você tem você tem que me dar seu coração! / Meu amor não posso esquecer / Se dá alegria faz também sofrer / A minha vida foi sempre assim / Só chorando as mágoas que não têm fim / Essa história de gostar de alguém / Já é mania que as pessoas têm / Se me ajudasse Nosso Senhor / Eu não pensaria mais no amor”. Hoje, faz 60 anos, que morria em Beverly Hills, Hollywood, a cantora e atriz. Estamos nos referindo a Carmen Miranda, que nasceu no dia 9 de fevereiro de 1909, em Portugal e com 10 meses veio morar no Brasil. Entre 1930 e 1950 Carmen Miranda reinou primeiramente em nosso país e depois nos Estados Unidos. Apelidada de Brazilian Bombshell, com seu figurino e chapéu com frutas foram sua marca registrada.

Carmen Miranda em 1943 (Foto: Internet)

Quando adolescente aprendeu a fazer chapéus. Seu primeiro álbum com o compositor Josué de Barros em 1929, resultou num sucesso colossal. A música Taí (Pra Você Gostar De Mim), de Joubert de Carvalho, a levou ao estrelato no Brasil como a principal intérprete do samba. Carmen participou de cinco musicais carnavalescos. Em 1939, ela apareceu pela primeira vez caracterizada de baiana, personagem que a lançou internacionalmente, no filme Banana da Terra, dirigido por Ruy Costa.

Carmen é madrinha da turma alegre (Foto: Internet)

Neste mesmo ano, o produtor da Broadway, Lee Shubert, ofereceu para a diva um contrato de oito semanas no The Streets of Paris depois de vê-la no Cassino da Urca, no Rio de Janeiro. No ano seguinte, a fez sua estreia no cinema norte-americano com o filme Serenata Tropical, ao lado de Don Ameche e Betty Grable. Naquele ano, a Pequena Notável, ela tinha 1m52 de altura, foi eleita a terceira personalidade mais popular nos Estados Unidos, e por conta disso foi convidada para se apresentar com seu grupo, o  Bando da Lua, para o presidente Franklin Roosevelt, na Casa Branca. Carmen Miranda de acordo com o Departamento do Tesouro dos States a ser a mulher mais bem paga dos Estados Unidos.

Tico Tico no Fubá: https://www.youtube.com/watch?v=oFw9HWUdYF4 

Carmen Miranda foi a primeira artista latino-americana a ser convidada a imprimir suas mãos e pés no pátio do Grauman’s Chinese Theater, em 1941. Ela também se tornou a primeira sul-americana a ser homenageada com uma estrela na Calçada da Fama, em Hollywood. Até hoje, nenhum artista brasileiro teve tanta projeção internacional como ela.

Carmen Miranda e  Dennis O’Keefe

https://www.youtube.com/watch?v=9f01BkrntYE

Um instante Maestro

Amanhã, às 18h, o BTG Pactual, maior banco de investimentos da América Latina, transmitirá a Live Baile do Simonal para arrecadar fundos para o Retiro dos Artistas. O show virtual contará com um repertório de canções que marcaram gerações, interpretadas por artistas da nova e da velha guarda, como Simoninha e Max de Castro, que lideram o show, e seus convidados são Seu Jorge, Rogério Flausino, Erasmo Carlos e Alcione. Além de patrocinar a live, o BTG Pactual realizará a primeira doação da transmissão, no valor de R﹩ 80 mil. A transmissão acontecerá pelo canal do BTG Pactual digital no Youtube .

Os irmãos Simoninha e Max de Castro (Foto: Divulgação)

O Make Music Day, celebrado no mundo e na terceira edição no Brasil, vai conectar músicos de todo o planeta e fazê-los superar as expectativas do evento que sempre foi presencial e uni-los através da internet. A iniciativa, realizada desde 1982, sempre gratuita, será totalmente virtual em 2020, o que faz do Make Music Day o maior evento online de música já organizado. As apresentações serão transmitidas no próximo domingo, envolvendo mais de 900 cidades e 120 países. Somente no Brasil serão mil horas de música em transmissão aberta. O evento é promovido pela Associação Brasileira da Indústria da Música.

  • 1 2 5