Fernando Machado

Blog

Categoria literatura

A Realeza segundo Fernando Torquatto

O maquiador e fotógrafo, Fernando Torquatto lançou no dia 20 de setembro, seu novo livro, intitulado Realeza, que enaltece a beleza negra brasileira. O evento que aconteceu na galeria Taller Zaragoza contou com projeções de suas fotografias expostas por todo o espaço, assim como trechos do prefácio assinado por Djamila Ribeiro.

Fernando Torquatto em noite de autógrafos (Foto: Divulgação)

A noite ainda foi regada a boa música, por conta do DJ Rafa Reis, além de um coquetel especial para os convidados. A nova obra do artista publicada, pela Luste Editores, tem direção de arte por Clayton Carneiro e traz mais de 180 cliques fotografados pelo artista exclusivamente para esse projeto.

A última pauta negada

Elpídio Câmara e sua esposa, a atriz Lourdes Monteiro (Foto: Acervo da família)

Quais razões fariam um homem com mais de 40 anos dedicados ao teatro, amado pelo publico e pela imprensa de sua época, ter sua última pauta negada? O livro de O Teatro do Mendigo Milionário fala sobre um dos grandes nomes do teatro pernambucano do século XX, um homem que respirava arte, e viveu sua vida inteira pelos palcos do Brasil. Estamos nos referindo ao Elpidio de Arruda Câmara (1895/1965).

Laurentino Gomes e Sam Castro (Foto: Divulgação)

Pois amanhã, o sobrinho neto do homenageado, Sam Castro, fará noite de autógrafos para O Teatro do Mendigo Milionário, amanhã, às 18h, na Livraria da Praça, em Casa Forte, com direito a uma apresentação teatral pelo ator Adriano Cabral. Depois de 15 anos de pesquisa e 57 anos da sua morte, Sam Castro, lançou a obra e no dia 9 de junho, numa homenagem póstuma, no Teatro de Santa Isabel, onde Elpídio gostaria de ter sido velado.

A capa do livro e o convite (Foto: Divulgação)

Os novos Imortais da APLJ

Quinta-feira, às 19h, tivemos as posses da Defensora Pública Marta Maria de Brito Alves Freire, cuja patronesse é a professora doutora Maria Bernadete Neves Pedrosa, dos professores doutores Antônio Carlos Palhares Moreira Reis que tem como patrono doutor Luiz Pinto Ferreira e Roberto Carlos do Vale Ferreira, que tem como patrono doutor José Cavalcanti Neves. Os novos imortais foram saudados pela a acadêmica Margarida de Oliveira Cantarelli.

Marta Freire, Palhares Moreira Reis e Margarida Cantarelli (Foto: Fernando Machado)

A cerimônia aconteceu na Academia Pernambucana de Letras, na Avenida Ruy Barbosa. O palacete pertenceu ao barão João José Rodrigues Mendes (1827/1893), localizado no Sitio da Jaqueira, em Ponte Uchoa. Ele o adquiriu, em 1863, da viúva do Barão de Casa Forte, Dona Maria Francisca Marques de Amorim. E como todo comerciante português bem sucedido, fez uma repaginação que deixou a sociedade da época deslumbrada. É bom frisar que a Ponte Uchoa era o mais aristocrático dos subúrbios recifenses.

Inah e seu esposo Palhares Moreira Reis (Foto: Fernando Machado)

As paredes do casarão foram revestidas de azulejos vindos de Portugal, talvez de sua terra natal Braga. No piso foram colocados retângulos de mosaico inglês, e o teto ganhou lustres de Bacarat. O mobiliário de carvalho veio todo da Áustria e essa tarefa, de embelezar o palacete no estilo neoclássico, coube ao artista plástico francês que vivia perambulando pelas ruas do Recife, Eugene Lassailly.

Marcos e Marta Freire com os filhos Antonio e Gustavo (Foto: Fernando Machado)

Até 1966 aquele complexo pertencia aos herdeiros do Barão, quando foi desapropriado pelo governador Paulo Guerra. Pois bem, nesse cenário deslumbrante e histórico, para ser mais preciso, no Auditório Mauro Mota, lotado, que aconteceu a cerimônia. O mestre de cerimônia Eduardo Vaz que anunciou um momento de música erudita com o pianista Levi Guedes, o tenor Isaac Pedro, a contralto Keila Souza e a soprano Josi Emanuele. Antes tivemos a execução do Hino Nacional.

A advogada Eliane Andrade Neves Baptista (Foto: Fernando Machado)

No programa Um Hino À Arte da Música de Franz Schubert, uma ária da ópera La Bohème de Giacomo Puccini, uma ária da ópera Gianni Schichi de Giacomo Puccini, o coro da ópera La Traviata de Giuseppe Verdi e o coro do oratório de O Messias de Hanedel.  Na sequência foi composta a mesa com o presidente da APLJ, Luiz Andrade Oliveira, o vice-presidente do TJPE desembargador Frederico de Almeida Neves, o presidente da APL Lourival Holanda, o subprocurador geral da Republica Joaquim de Barros Dias, o secretário da APLJ Fernando Araujo, e os novos acadêmicos Palhares Moreira Reis e Marta Freire.

Lúcia e o marido Gabriel Bacelar (Foto: Fernando Machado)

Falaram o presidente da APLJ, Luiz Andrade Oliveira, os novos imortais Palhares Moreira Reis cujo discurso foi curto, e Marta Freire, que estava irrepreensível by Elie Tahari. Seu discurso foi magnífico. Foi um passeio pela história da patronesse Maria Bernadete Neves Pedrosa e da APLJ. Não esquecer que seu avô José Britto Alves, seu pai Antônio Britto Alves e seu tio Roque de Brito Alves pertenceram à APLJ. Lembrou os fundadores da Academia. Roberto Carlos do Vale Ferreira mandou uma mensagem via vídeo. Para encerrar a cerimônia foi executado o Hino de Pernambuco.

Leila Queiroz à côté João Lyra Neto (Foto: Fernando Machado)

Na seqüência aconteceu um coquetel by Casa Branca, nos jardins da Casa Carneiro Vilela. O cardápio sob o comando de Jorge Tomás e Lais Paula constou de folhado de frango com catupiri, massa filo de Filadélfia e damasco, mini quiche de alho poró, vol-au-vent com bacalhau, espeto capesa ao molho pesti, espeto de queijo do reino com tomate, folhados de salaminho, folhagem de gorgonzola com amoras, massa crocante com salpicão, entre outros itens.

O presidente da APLJ Luiz Andrade de Oliveira (Foto: Fernando Machado)

Impossível citar presenças, mesmo assim, lembraríamos Gina e José de Brito Alves, o clã Freire Marco Antonio e Tamise, Antonio Carlos e Manoella, Gustavo Henrique e Isabelle, Eliane Andrade Neves Baptista, Geralda Farias, Carmen Peixoto, Luciano e Nadja Dumaresq, Eliane Souto Carvalho, Sonia Freyre Pimentel, Diana Bezerra de Souza, Creusa Aragão, Eunice Couto, Nita Coutinho, Maria Clara Dubeux, Raimundo Barros e Rosa Grinberg, Maria Clara Dubeux,  os desembargadores Eurico de Barros Correia Filho, Jones Figueiredo Alves, e José Fernandes Lemos, Isis e Joaquim de Almeida NetoAna Pedulla e a filha Aufonella, Giselinha Maranhão Burle e Valéria Gesteira. Defensora Publica Geral da União Ana Cristina Erhard, o Defensor Publico Geral de Pernambuco Henrique da Costa Seixas, Presidente da OAB-PE Fernando Lins, Conselheiro Federal da OAB Bruno Batista, Ângela e Eustácio Vieira, Cinthya e Romero Maranhão, Cláudia e Gerson Lucena, Marcela e André Maranhão, Ângela e Armando Peixoto, Juliana e Romero Maranhão FilhoAna Maria César, Cecilia Brennand, cerimonialista Carlos Henrique Barbosa.

Marta Freire será Imortal

O presidente da Academia Pernambucana de Letras Jurídicas, o professor Luiz Andrade Oliveira, nos convida para a sessão solene de posse da Defensora Pública Marta Maria de Brito Alves Freire, no próximo dia 18, às 19h, na cadeira numero 52, da APLJ, que acontecerá na Academia Pernambucana de Letras, cuja patronesse é a professora Doutora Maria Bernadete Neves Pedrosa.

A defensora Pública Marta Freire (Foto: Fernando Machado)

Também serão empossados, na ocasião, os professores doutores Antônio Carlos Palhares Moreira Reis e Roberto Carlos do Vale Ferreira, nas cadeiras números 51 e 53 cujos patronos são Dr. Luiz Pinto Ferreira e Dr. José Cavalcanti Neves. Todos serão saudados pela acadêmica Margarida de Oliveira Cantarelli.

  • 1 2 7