Fernando Machado

Blog

Categoria Gastronomia

Mercado do Peixe atraca no RioMar

Os empresários Fernando Torres, Mauricio Carvalho e Carolina Moury Fernandes além do chef Liberato Pereira reuniram a imprensa, ontem, durante almoço, no Mercado do Peixe, do Shopping RioMar, para mostrar como ele vai funcionar. O Mercado do Peixe é a quinta marca do Grupo Couvert, que já detém o Couvert, o Mercado 153, o Bistrô Couvert e o Box 153. E como o nome sugere é um festival de frutos do mar.


Mauricio Carvalho, Carolina Moury Fernandes e Fernando Torres (Foto: Fernando Machado)

Apesar de trabalhar em regime de franquia com quase todas as suas unidades, o Grupo Couvert vai administrar o novo restaurante que entra em operação hoje, no Espaço Goumert. O local tem capacidade para 120 lugares numa área de 222 m². Sua decoração foi grifada pelo arquiteto Romero Duarte que o deixou como uma casa de praia sofisticada. Foram investidos no restaurante R$ 1,1 milhão.


O chef Liberato Pereira (Foto: Fernando Machado)

Na parede do lado esquerdo está coberta de fotografias tendo como tema barcos e pescadores e foram ambientados na Praia do Pina, sob o clic de Paulo Romão. Na do lado direito um painel de espelho toma conta de todo o espaço. Do teto caem vários lustres de vimes que dá um toque todo especial ao ambiente. Os garçons estão vestidos de marinheiros cujos trajes foram criados por Maria Betania Milhomens. As mesas lúdicas têm três tipos de coberturas: pedra, madeira e vidro remetendo às cores azul bic e marfim.


Romero Duarte e Maria Betania Milhomens (Foto: Fernando Machado)

A press degustou carpaccio de salmão, pastelzinho de feijoadas, prancha de conchas do mar, como entrada. Como pratos quentes tivemos camarão graúdo recheado de cream cheese com arroz de legumes, posta de robalho com molho de frutos do mar, risoto de chitake e purê de mandioquinha. Para sobremesa bolo de rolo com sorvete de apioca, mix de sorvetes exóticos e abacaxi com gelo triturado, raspa de limão siciliano e licor marrasquim.

A Gastronomia começa em Olinda

Dona Maria Rosa que mandou construir em Olinda nos idos de 1577, um prédio primitivo que em 1585 foi doado aos Franciscanos, que 1596 virou uma escola dos Cursos Superiores do Estado e que em 1631 foi destruído por um incêndio que devastou Olinda, e depois reconstruido, nunca pensou que ali se transformaria na Meca da Gastronomia.


Márcio Sena, Ana Lins e Cesar Santos (Foto: Fernando Machado)

Pois bem foi no Convento de São Francisco, com uma vista do Recife deslumbrante, tendo por testemunha uma lua cheia e os azulejos datados do século XVIII que vieram de Portugal e reproduzem cenas encontradas nas obras de artistas italianos, que aconteceu a abertura do XI Festival Gastronômico de Pernambuco, garimpado pelo trio Ana Lins, Cesar Santos e Marcio Sena, que é em homenagem ao centenário do Rei do Baião, Luiz Gonzaga.


Renildo Calheiros à côté Eveline (Foto: Fernando Machado)

A decoração de Robson Chagas estava linda, um pouco rústica e com recheio de religiosidade. O claustro lembrava um lounge com mesas e bancos rústicos. Sobre elas tubos imensos de vidros e noutras vasos de bronze. Em alguns podíamos ver maçãs e noutros uvas. Em torno deles muitos pães que no final os convidados levaram para casa para dar sorte. Para quem não sabe as terças-feiras os devotos de Santo Antônio dão pães para os pobres.


A diva Tinane Almeida num close especial para o blog (Foto: Fernando Machado)

A festa foi dividida entre o claustro e o terraço que tem uma vista, conforme já frisei de a gente ficar de queixo caído. Foram utilizados no décor 2.800 pães franceses, 150 quilos de maçãs e 100 quilos de uvas. No terraço aconteceram os discursos e a apresentação do Trio do Mestre Nazaré de Nazaré da Mata e do Grupo Cultural Maracatudo Camaleão de Olinda.


O diretor da Rio Sol, João Santos e o secretario Alberto Feitosa (Foto: Fernando Machado)

Depois subiram ao tablado montado o prefeito de Olinda Renildo Calheiros, o secretário de Turismo do Estado Alberto Feitosa, o chef Cesar Santos e a jornalista Ana Lins que falaram sobre o projeto. Renildo brincando disse que o evento acontecido pela primeira vez naquele cenário não poderia ser feito noutro, nunca mais. Tem razão prefeito o local é deslumbrante e a gente pisa na história de Olinda e de Pernambuco.


O presidente da Empetur André Correia e Cecilia com Cesar Santos (Foto: Fernando Machado)

Apesar de Pernambuco está em plena temporada de gastronomia tenho uma bombinha para os leitores: O secretário Alberto Feitosa e o presidente da Empetur André Correia seguem amanhã até Miami para uma reunião com o vice-presidente da American Airlines, Peter Victory. No cardápio a troca de aeronave do trecho Recife-Miami-Recife, a partir de abril de 2013. Tirer Le Chapeau para eles.


O chef portugues José Julio Vintém é consultor gastronomico da TAP (Foto: Fernando Machado)

E como o encontro era de comidinhas o bufê da Arcádia foi de se comer rezando. Os 20 chefs, usavando na cintura sobre o dolman um cinto de couro à Luiz Gonzaga, que participam do festival devem ter adorado o cardápio. No coquetel volante, entre outros itens, camarão com Nori e molho oriental, camarão tailandês com molho de coco ao rum, flor de carne de sol com queijo de coalho, melão com Parma e vinho do Porto e agulha fritas.


Demazinho Gomes e Alisson Magno Monte (Foto: Fernando Machado)

Houve uma peregrinação às mesas onde repousavam panelas de barros e dentro delas bobó de camarão, Baião de Dois e Sururu. Tudo isso regado espumante rosée (medalha de ouro em Bruxelas) e Moscatel ambos da Rio Sol, além de uísque Ballantine’s. Entre os 600 convidados que circularam pelos salões destacamos um grupo de frades franciscanos que reside no Convento de São Francisco. Enquanto a história passeava diante dos nossos olhos a noite se passava com os olhos se enchendo de bom gosto e a boca se fartando de gosto bom.

Parabéns, Oficina do Sabor!

O Restaurante Oficina do Sabor, leia-se o chef Cesar Santos, festejou ontem à noite seus 20 anos de instalação. Aberto no dia 19 de novembro de 1992, na Rua do Amparo, em Olnda, nos arredores da igreja de Nossa Senhora do Amparo, padroeira do bairro, e com direito aos fiéis da santa comemorando com procissão e queima fogos de artifícios. Ontem não foi diferente. Os fiéis estavam também em festa e vai se prolongar até domingo em louvor a Nossa Senhora do Amparo.


Os chefs Biba Fernandes, Joca Pontes, Cesar Santos, Leandro Ricardo e Claudemir Barros (Foto: Fernando Machado)

Nas duas décadas o restaurante que é um ponto turístico passou por quatro reformas grifadas pelos arquitetos Carlos Augusto Lira, Tereza Bandeira, Fábio Benevides e Carlos Queiroz. No estilo colonial, o Oficina do Sabor que tem uma vista cinematográfica do Recife, já foi residência de João Valença e padaria. Em 1992 o restaurante tinha capacidade para 40 lugares, na segunda reforma cresceu para 80 na terceira para 150 e na quarta diminuiu para 120.


Arnaldo Duarte e Dirce Camargo (Foto: Fernando Machado)

Nas paredes muitas telas de vários artistas chamam atenção dos freqüentadores. E num cantinho está a imagem de Santo Antonio o xodó de Cesar, afinal de contas ele é devoto do santo casamenteiro. E para festejar os 20 anos da casa, Cesar Santos abriu ontem o Festival Arretados da Cozinha que vai até o próximo dia 27. Para tal convidou quatro chefs Claudemir Barros, Joca Pontes, Biba Fernandes e Leandro Ricardo para preparar o menu.


Os jornalistas Bruno Albertim, Marcelo Pereira e Flávia de Gusmão (Foto: Fernando Machado)

Para entrada o chef Claudemir Barros preparou o Caju Arretado (caju fresco, servido com creme de camarão e molho bisque. A harmonização foi com Terrazas Chardonnay). O primeiro prato principal foi grifado por Biba Fernandes batizado de Peruano Arretado (lagosta grelhada com camarões e anéis de lula, servido sobre purê de macaxeira com aji, quiabo e fava verde refogadas na manteiga de garrafa. Para harmonização Chandon Brut).


Edineide Cesar Santos e o irmão César Santos (Foto: Fernando Machado)

O outro prato principal foi preparado pelo chef Joca Pontes que o chamou de Cordeiro Xerém (Costeletas de cordeiro grelhadas aomolho de tamarindo, limão galego e gengibre, acompanhada de xerém com tomate cereja, brócolis e poeira de bacon. Para harmonização Tezzadas Malbec).


O chef Rivando França e a jornalista Ana Cláudia Lins (Foto: Fernando Machado)

A sobremesa foi assinada pelo chef Leandro Ricardo que colocou o nome de Talismã (petir gateau de jerimum, com lâminas de abóbora, especiarias como cravo da Índia e calda de chocolate com sorvete de gengibre. A harmonização foi com Chandon Brut Rosé). Todos quatro chefs convidados explicaram seus pratos.


Marcos Vidal, Cesar Santos e Valeria Vidal (Foto: Fernando Machado)

Entre as presenças, como jornalistas especializados e chefs paulistas em gastrô, estavam Valéria e Marcos Vidal que desde sua inauguração freqüenta o local. Eles não esqueceram o prato que pediram na primeira vez que foram lá: Jerimum recheado ao creme de manga e para sobremesa pavê de goiaba.


Os jornalistas Alexandre Saut de São Paulo e Marcelo Pereira (Foto: Fernando Machado)

O chef Cesar Santos confessou para mim estava faltando na ocasião uma cliente muito especial que esteve na inauguração do Oficina: a eterna cônsul dos Estados Unidos, Maria Sanchez-Carlo, que não pôde comparecer, pois reside atualmente em Washington DC, mas em fevereiro a diplomta estará no Recife e prometeu que vai carimbar seu passaporte no Oficina do Sabor.

Beleza põe mesa

Os empresários Fernando Torres, Maurício Carvalho e Carolina Moury inauguram no próximo dia 30, no RioMar, o restaurante Mercado do Peixe. O projeto de ambientação da casa é do arquiteto Romero Duarte. No cardápio, o chef Liberato Pereira reserva boas surpresas.


O chef Liberato Pereira de olho no RioMar (Foto: Fernando Machado)

O jornalista Rogério Almeida da Paraiba será homenageado no Chez Georges, de Georges Thevoz, com prato Camarão à Maré Alta Rogério Almeida. Ele trará vários casais e colunistas sociais de João Pessoa para degustar o prato, cujo lançamento que será próximo dia 27.