Fernando Machado

Blog

Categoria Esportes

Voz dos Oceanos segundo os Schurmann

Raul Aragão, Wilhelm, Heloisa e Vilfredo Schurmann com Ítalo Ferreira (Foto: Voz dos Oceanos)

A convite de Kaiak, da Natura, uma das apoiadoras da expedição Voz dos Oceanos, o medalhista olímpico Ítalo Ferreira embarcou no veleiro Kat, da Família Schurmann. Durante o encontro, a velejada pela Baía de Todos os Santos, na Bahia, garantiu muita troca sobre surf, esportes aquáticos e amor aos oceanos entre o surfista e a tripulação.

Heloisa e Vilfredo Schurmann com Ítalo Ferreira (Foto: Voz dos Oceanos)

O momento também foi palco para a principal problemática das águas mundo afora: os desafios de reverter a invasão plástica nos oceanos – iniciativa também contemplada por Kaiak, marca líder na perfumaria nacional. Com um campeão mundial de windsurf na liderança da expedição, Wilhelm Schurmann, o encontro também rendeu momentos na água, quando os atletas praticaram stand up paddle.

Ítalo Ferreira, Raul Aragão e o clã Schurmann (Foto: Voz dos Oceanos)

Pernambuco é campeão Brasileiro de Hóquei de 1961

Há 60 anos, Pernambuco era campeão Brasileiro de Hóquei em Patins, ao vencer o São Paulo, por 4×3, na quadra do Clube Português do Recife. Os gols foram Heninho (2) e Breno (2) por Pernambuco e Paulo José e Mesquita (2) por São Paulo. Heninho e Breno foram convocados para a seleção brasileira.

A seleção pernambucana campeã (Foto: Acervo da família)

Participaram do campeonato as seleções da Guanabara, Pernambuco, Rio de Janeiro e São Paulo. Pernambuco foi campeão com Betinho, Breno, Claudio, Edmir, Heninho, Lula, Pig e Salatiel. O técnico era Alceu.

Heninho e Breno em pé e Calabria e Pig agachados (Foto: Acervo da Família)

A abertura do II Campeonato Brasileiro de Hóquei em Patins foi no dia 27 e terminou no dia 30 de outubro, Clube Português do Recife. Era uma época de ouro para este esporte. Temos que destacar os atletas Fernando, Bonga, Audja, Alceu, Dilson e Joaquim

Jordan Windle um vitorioso

Jordan e o pai Jerry Windle (Foto: Acervo de JW)

O atleta Jordan Pisey Windle fez parte da delegação dos Estados Unidos para o salto ornamental nas Olímpiadas de Tóquio, mas poucos sabem que ele talvez não tivesse chegado tão longe se não fosse pelo norte-americano Jerry Windle que decidiu adotá-lo em um orfanato no Camboja quando ele tinha um ano. Jordan nasceu no dia 13 de novembro de 1998. Windle fez parte da equipe olímpica dos Estados Unidos de 2021, em Tóquio, ficou no nono lugar.

Jerry Windle e o filho Jordan (Foto: Acervo de JW)

Jerry Windle sempre desejou ser pai, mas sabia que nunca conseguiria passar pelos trâmites da adoção nos Estados Unidos, já que estava na década de 1990 e ele era um homossexual e solteiro. O pequeno Jordan estava desnutrido e lutava contra uma grave infecção, mas o homem se apaixonou por ele e o adotou. Jordan aos 16 anos voltou ao Camboja para incentivar crianças órfãs e pobres na prática do esporte, e foi recebido como um grande herói da nação.

O atleta Jordan Pisey Windle sofreu muito bulling_(Foto: Divulgação)

Gabriel Bandeira é ouro nas Olimpíadas de Tóquio

O primeiro dia da natação nos Jogos Paralímpicos de Tóquio terminou com quatro brasileiros subindo ao pódio e com direito a bandeira hasteada e Hino Nacional tocado no Centro Aquático de Tóquio. O primeiro pódio do país no Japão veio com o mineiro Gabriel Geraldo, de 19 anos. Atleta da classe S2, ele disputou a prova dos 100m costas no Centro Aquático de Tóquio e faturou a prata. O ouro ficou com Alberto Abarza, do Chile, enquanto Vladimir Danilenko, do Comitê Paralímpico Russo, ganhou o bronze.

O nadador Gabriel Bandeira foi ouro (Foto: Helano Stuckert)

O paulista Gabriel Bandeira se tornou o primeiro campeão do Brasil nas Paraolimpíadas no Japão ao vencer a prova dos 100m borboleta da classe S4, para atletas com deficiência intelectual, ao levar a medalha de ouro. Reece Dunn, da Grã-Bretanha, ficou com a prata, e o australiano Benjamin Hance com o bronze. O maior atleta paraolímpico do Brasil, o nadador Daniel Dias conquistou a medalha de bronze nos 200 metros livre na classe S5. O ouro foi para o italiano Francesco Bocciardo e a prata para o espanhol Antoni Ponce Bertran. O pernambucano Phelipe Rodrigues também conquistou a medalha de bronze nos 50m livre da S10.

  • 1 2 7