Fernando Machado

Blog

Bloco das Flores no Marco Zero

A apresentação, ontem, no Marco Zero, do primeiro bloco lírico de Pernambuco, fundado em 1920 por Pedro Salgado (1868/1937), teve batuque de apoteose. Ele surgiu com o nome de Bloco as Flores Brancas, dois anos depois o jornalista Guilherme Araujo, Jornal Pequeno, sugeriu Bloco das Flores. No céu uma lua nova testemunhava seus pastores e suas pastoras evoluírem com sua coreografia nota 10. Acredito que Felinto, Pedro Salgado, Guilherme, Fenelon, Raul Moraes e Nelson Ferreira estavam aplaudindo a sua apresentação.


O português Pedro Salgado fundador do bloco (Foto: Arquivo)

Em seu primeiro ano, a agremiação desfilou com 100 moças, todas de branco, portando luvas e leques, fantasiadas à belle époque, ao som dos acordes dos primeiros frevos de bloco. Ontem o Bloco formado por 80 pessoas abriram o desfile cantando o seu hino, Marcha da Folia composto por Raul Moraes: Bloco das Flores por onde passa./ Semeia com tal graça ao som de lindas canções. / E os esplendores dessa alegria / Que as almas extasiam / E apaixonam os corações”.


Lina Fernandes, Hugo Martins, Jane Emirce, Jô Mazzarolo e José Mário Austragesilo no palco do Marco Zero (Foto: Cortesia)

Esse ano o Bloco das Flores teve como tema A Imprensa e o Carnaval de Pernambuco. A presidente Jane Emirce de Melo está de parabéns pela beleza plástica do bloco caminhando pelas ruas do Recife Antigo até alcançar o palco do Marco Zero. As fantasias das mulheres foram grifadas pela estilista Carmen Alves e as dos homens pelo alfaiate Suami Carlos Santos. A orquestra foi regida pelo maestro Macaíba e o coral por Charles Henrique.


Luzi, Simone e Fátima Alves (Foto: Cortesia)

A marcha do bloco As Flores da Noticia composta por Ricardo Andrade, “A imprensa anuncia novo editorial, / no reino da folia, vem de dia o jornal, / trazendo a alegria, numa harmonia total, / vem o Bloco das Flores trazendo o carnaval / Nossa mídia mostra os fatos, / forma opinião. / e eu já tenho a minha, / fruto da razão: / Contra o mal e as dores / o Bloco das Flores / Vem abrir seu coração”, foi a segunda musica.


Hugo Martins, Alexandre César e Jô Mazzarolo (Foto: Corrtesia)

Os homenageados foram Ednaldo Santos (Rádio Jornal), cronista social Fernando Machado, Jô Mazzarolo (chefe de reportagem da Rede Globo Nordeste), Hugo Martins (Rádio Universitária), José Mário Austregésilo (Rádio e TV Universitária), radialista Lina Fernandes, Patrícia Breda (Rádio Folha), Zuca Show (Rádio Clube) e Oswaldo de Almeida cujo pseudônimo era Paula Judeu (1882/1954), do Jornal Pequeno que escreveu pela 1ª vez a palavra Frevo, em 12 de fevereiro de 1908.


Jane Emirce de Melo, presidente do Bloco das Flores (Foto: Katherine Coutinho / G1)

Tendo à frente o Imperador Edmilson de Melo, e a Imperatriz Isa Alves, o Bloco das Flores encerrou cantando Evocação Nº 1, de Nelson Ferreira: “Felinto, Pedro Salgado / Guilherme, Fenelon / Cadê os teus blocos famosos? / Bloco das Flores, Andulazas / Pirilampos, Apóis Fum / Dos Carnavais saudosos / Na alta madrugada / O coro entoava / O som da marcha regresso / Que era o sucesso / Dos tempos idéias / Do velho Raul Moraes / Adeus, adeus, minha gente / Que já cantamos bastante, / E o Recife adormecia / Ficava a sonhar / Ao som da triste melodia”.

0

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.