Fernando Machado

Blog

Tag usina

Réquiem a Ricardo Pessoa de Queiroz

Padre Abranches abençoando Ricardo e Maria Digna (Foto: Acervo da família)

Do alto dos seus 90 anos, completados no dia 17 de abril, nos deixou quinta-feira, o usineiro Ricardo Pessoa de Queiroz, filho de Lucila e José Adolfo Pessoa de Queiroz. Teve sua vida dedicada ao mundo sucroalcooleiro, ligada sempre a Usina Santa Teresinha, em Água Preta, Pernambuco. Vamos viajar no tempo. No dia 2 de fevereiro de 1952, casou-se com o grande amor de sua vida Maria Digna de Lima Cavalcanti.

Ricardo e Maria Digna com as filhas Lcila, Patricia, Ana Luiza, Thereza, Luciana (Foto: Acervo da família)

Ricardo e Maria Digna construíram uma família numerosa e de muito amor. Foram sete filhos José, Ricardo, Thereza, Lucila, Luciana, Patricia e Ana Luiza que faleceu em 7 de março de 2016; dezessete netos Filipe, Maria Luiza, Eduarda, Luciana, José, João, Marina, Miranda, João Vicente, Ricardo Luís, Amadeu, Guilhermina, Arthur, Helena, Eduardo, Sharline e Gabriella ; e quatro bisnetos Raoul, Margaux, Luiza e Nina.

Thereza, Ricardinho, Luciana, Lucila, José Bisneto e Patricia (Foto: Fernando Machado)

Ricardo Pessoa de Queiroz escreveu vários livros entre eles Manual Prático da Cana-de-Açúcar, cujo lançamento aconteceu no dia 21 de agosto de 2014, no Museu do Estado de Pernambuco, com muito sucesso. Era Engenheiro, pesquisador da área da cana-de-açúcar, entre as suas invenções estão algumas máquinas. Era workahoolic. Adorava a natureza e contabilizou muitos feitos na sua trajetória. Sem dúvida, um homem que a história guardou.

Ricardo Pessoa de Queiroz à côté Maria Digna (Foto: Fernando Machado)

Flashes

A Bênção de São Félix foi tombada, ontem, como Patrimônio Cultural Imaterial de Pernambuco, nos informa o conselheiro Frei Luiz de França.

Amanhã, às 11h, na Usina de Arte, em Água Preta, temos a inauguração da Biblioteca e do Centro de Conhecimento da Usina de Arte.

Frei Jociel Gomes está em Roma acompanhando os processos de canonização de Frei Damião de Bozzano.

A procuradora Maria Elisa Schuler já está na terrinha depois de duas semanas curtindo a França. Adorou a região do champanha.

Amanhã, às 14h, no Mercado Cultural de Gravatá, teremos o show de Mauricio Menezes e a Banda Acalanto.

O economista Ricardo Braga será o novo secretário Especial da Cultura do Ministério da Cidadania. O cargo estava vago desde agosto.

O Museu da Cidade do Recife funciona normalmente sábao, feriado de Sete de Setembro, das 9h às 17h, e no domingo, das 9h às 16h.

As artes plásticas estão de luto com o falecimento, ontem, de Zezinho de Tracunhaém, artista que dedicou a vida a moldar no barro.

Nos bastidores da política

Segunda-feira, foi realizada em Sobradinho, na Bahia, o evento de inauguração do Usina Solar Flutuante de Sobradinho, com a presença do presidente Jair Bolsonaro, onde a P Mais leia-se Paulo Menezes, foi a empresa organizadora do evento. Quem roubou a cena foi o garoto Abner, que é fã de Bolsonaro. Após a execução do Hino Nacional, Abner começou a acenar para o Mito e ele chamou o garoto para o palco. O melhor de tudo, é que ele fez o garoto participar de toda a cerimônia.

O garoto Abner foi um sucesso na cerimonia do presidente Bolsonaro (Foto: Alan Santos/PR)

Este é o presidente que todos os brasileiros, de bem, claro, quer. Jair Bolsonaro assinou a medida provisória que retira a obrigatoriedade de empresas de capital aberto publicarem balanços financeiros em jornais. Tem que cortar mostrar para a mídia que ela não é a tal. Sem dúvida uma um gesto de louvor, pois ele é alvo de ataques da imprensa. “Não estou sentindo cheiro de mortadela aqui”, afirmou, arrancando risos da plateia, em Itapira, São Paulo. Gente fina é outra coisa.

Amanda, Clóvis e Recepção

Os noivos Clovis e Amanda (Foto: Fernando Machado)

Na Usina Dois Irmãos a gente pisa em parte da história do saneamento recifense. Como frisei ontem tudo começou no século XIX, quando os ingleses a construíram para sediar a Companhia do Beberibe, o que corresponde a uma companhia de abastecimento de água. O terreno era numa riquíssima reserva da mata atlântica e a Companhia do Beberibe foi inaugurada no dia 1 de julho de 1887. Localizada no pátio do antigo e tradicional Engenho Dois Irmãos, a Companhia do Beberibe emergiu como referência de modernidade em pleno Século XIX.

Sheila, Clovis Fernando e Ana Carolina WAnderley (Foto: Fernando Machado)

A mãe do noivo Linda Wanderley (Foto: Fernando Machado)

Amanda Barcala e Clóvis Wanderley Vinhosa receberam os convidados neste lindo set, que estava maravilhoso graças a decoração de Paulinho Melo. O grande salão foi divido em duas partes. Na maior ficaram as mesas e na outra o dancing, o palco onde subiram Neto Brayne, Nanara Belo e o próprio noivo que tinha uma banda. O DJ Wagner Campos apresentou um repertório que agradou a gregos e troianos. No espaço onde estavam os doces de Dona Brigadeiro e Benta Brigadeiro e o bolo de quatro andares by Lucinha Cascão, uma cortina de folhas de jasmins, rosas, lírios e orquídeas deu o tom de beleza.

Os irmãos João Alberto e Maria do Carmo Martins Sobral (Foto: Fernando Machado)

As irmãs Ana Luiza e Ana Carolina Wanderley (Foto: Fernando Machado)

A decoração do salão principal remetia a um imenso jardim. Do teto caiam 18 luminárias de madeira e ainda um pergolato de galhos secos tendo como contraponto esferas de vidro com orquídeas.  O bufê de a gente comer rezando para Nossa Senhora de Fátima foi grifado pela Blu’Nelle, leia-se o chef Welllington Correia. No coquetel volante tínhamos salada vietnamita com camarão, carpaccio de filé mignon, com emince de rúcula e chips de parmesão; lichia com creme de framboesa na cama de amêndoas.

Sheila Wanderley, tia do noivo (Foto: Fernando Machado)

Clóvis Fernando Wanderley, Amanda Salles e Paulo Queiroz Neto (Foto: Fernando Machado)

No coquetel quente podia-se degustar funil com creme de palmito e lâminas de Parma, folhadinho Philadelphia, real de queijos finos com frutas secas, dadinho de tapioca com queijo de coalho e geléia de pimenta, cestinha de gruyere no perfume de canela, tartalete de salmão ao siciliano, mini quiche de cordeiro com geléia de menta, guiyoza ao molho ponzu, ninho de filé mingnon com alho poro e mostarda Dijon, camarão com crisp de coco ao molho agridoce picante, camarão crocante com molho de rapadura.

Felipe Cadena e Camila Marinho (Foto: Fernando Machado)

Francisco Monteiro e Dafne Barcala (Foto: Fernando Machado)

Também tivemos mini entradas creme de siri com farofinha de dendê, canelone de queijos finos com tomate seco ao perfume de manjericão; rondelli de filé migon, ao molho cremoso de Shiimeji, musselin de bacalhau com fios de alho poro, gratinado com Grana Padano; arroz cremoso de bacalhau; anel de abóbora com camarão (uma delicia), peru com molho chutney, farofa Brunelle, pernil defumado, lamina de lombo marinado ao azeite de ervas, terrine que queijos finos; saladas (pernambucana, italiana e Bru’Nelle).

Os pais do noivo João Vinhosa e Linda Wanderley (Foto: Fernando Machado)

Os pais do noiva Ocir Marques e Mayra Barcala (Foto: Fernando Machado)

Não esquecer de que mulheres elegantes estavam no casamento, como Linda, Sheila, Ana Luiza e Ana Carolina Wanderley by Maison, Amanda Barcala, Camila Marinho, Dafne Barcala, Livia Barroso, Aline Almeida, Theresa Camilo. De parabéns o gerente Robson Pontes e o maitre Edson Luiz, da Brunelle, sempre atenciosos e competência.

Pedro Henrique Carvalho e Aline Almeida (Foto: Fernando Machado)

A elegante Theresa Camilo (Foto: Fernando Machado)

 

  • 1 2 5