Fernando Machado

Blog

Tag projeto

Integração do Rio São Francisco

Em mais uma etapa do Projeto de Integração do Rio São Francisco para garantir água aos nordestinos que enfrentam a seca, teve início, ontem, os testes do Ramal do Agreste. As comportas que deram passagem à água foram acionadas no reservatório de Barro Branco, em Sertânia. O Presidente Jair Bolsonaro e o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, acompanharam o acionamento. “Água é vida para este povo sofrido do nosso Nordeste. Isso é mais do que ganhar na mega sena. A água não tem preço”, afirmou o Presidente. O Ramal do Agreste, em conjunto com a Adutora do Agreste, distribuirá a água do Eixo Leste da Integração do Rio São Francisco para até 2,2 milhões de pessoas.

Bolsonaro inaugurando o projeto de Integração de São Francisco (Fotos: Alan Santos/PR)

No total, o Ramal do Agreste tem 70,8 quilômetros de extensão e capacidade de vazão de 8 mil litros de água por segundo. Quando finalizado, levará as águas do Eixo Leste do Projeto São Francisco, que está em pré-operação desde 2017, à região de maior escassez hídrica de Pernambuco. A entrega do Ramal, que completou 84,15% de execução, está prevista para junho de 2021. O Ramal do Agreste está orçado em R$ 1,67 bilhão. Desse total, R$ 1,3 bilhão já foram empregados. Oitenta e oito por cento do montante foi liberado no atual Governo. Cerca de 2,6 mil trabalhadores atuam no empreendimento que, além de levar água a quem precisa, gera emprego e renda.

Anotações do Cotidiano

Resultado de uma coprodução com a Ocean Films, a série documental narra, em seis episódios, detalhes sobre este marco que foi idealizado e teve as obras iniciadas durante o governo do presidente Emílio Garrastazu Médici, no fim dos anos 60. Com o objetivo de unificar a nação, sua construção foi uma saga gigantesca e o maior exemplo das obras faraônicas do governo militar brasileiro. A estrada, que promoveria a integração nacional cortando o País de leste a oeste, ficou mais conhecida por ligar a fome do Nordeste com a miséria da Amazônia, e teve sua construção abandonada. Acesse o https://www.hbolapress.com/videos/multimedia/NzI0.

Ney Mendes e Geraldo Cosmo em visita técnica a Arcoverde (Foto: Instaram)

O Projeto Pernambuco de Grandes Dramaturgos: transformando-os para a cena teatral, que visa trabalhar a dramaturgia dos autores e Paulo de Oliveira Lima de Arcoverde, Fábio André de Limoeiro, Albanita Almeida de Igarassu e Didha Pereira de São Benedito do Sul. Em cada Cidade terá oficina de iniciação teatral e iniciação a dramaturgia de autores vivos. O projeto atenderá a 100 alunos, sendo 25 alunos por cidades. O Curso totalmente gratuito e com certificados de conclusão. As inscrições vão até o próximo dia 28.

Anotações do Cotidiano

Por conta do isolamento da pandemia no Brasil, as apresentações musicais estão acontecendo online. Em Pernambuco o maestro Ricardo Diniz, do Conservatório Instituto Artes Sol Maior, mantém a rotina dos alunos com aulas pela internet não só para estudantes locais, mas também de Portugal, fruto de parceria com instituições daquele país. As turmas são formadas também por alunos atendidos pelo Projeto Esperança em Sol Maior que ajuda crianças e adolescente de comunidades carentes.

Maestro Ricardo Diniz sempre atuante (Foto: Camila Florencio)

Começou quarta-feira e segue até o dia 31 de março, o projeto Instrumental Brasileiras, no site da Jasmim Manga, produtora que promove e amplifica a mulher na cena instrumental brasileira com extensa programação online e gratuita. São aulas abertas no YouTube, Podcast sobre discos de mulheres instrumentistas e um videoclipe em homenagem a flautista Léa Freire. Nos dois meses conta com a participação da cantora Ana Malta, a multi-instrumentista Carol Panesi, a baterista e percussionista Georgia Câmara e a multi-instrumentista, Mariana Zwarg. Assistam pelo www.jasmimanga.com.br.

Nos bastidores da Política

O presidente da República, Jair Bolsonaro, sancionou o Projeto de Lei Complementar do Congresso Nacional que visa atender o acordo firmado na Ação Direta de Inconstitucionalidade por Omissão, celebrado entre União, Estados e Distrito Federal, homologado pelo Plenário do Supremo Tribunal Federal, para compensar as perdas de ICMS dos Estados relativas à Lei Kandir, que reduziu a tributação incidente na exportação.

A proposta recebeu a inclusão de nova programação orçamentária na Lei Orçamentária de 2020, via abertura de crédito adicional, no valor de R$ 4 bilhões, a fim de viabilizar os repasses previstos na Lei Complementar sancionada. Serão repassados mais R$ 4 bilhões anualmente, até 2030, sendo o aporte reduzido em R$ 500 milhões ao ano, encerrando-se o pagamento em 2037.