Fernando Machado

Blog

Tag pessoas

Miss Pernambuco de 1956: Nelbe Souza

Magaly, Lieselotti, Nelbe, Telma, Lucy e Zuleide (Fotos: Acervo do blog)

Hoje faz 64 anos, hoje, que os salões do Clube Náutico Capibaribe recebia um público de cinco mil pessoas assistirem ao concurso de Miss Pernambuco de 1956. A grande atração, depois das candidatas, foi o show do cantor Ataulfo Alves e suas pastoras. A coordenação do festival da beleza pernambucana foi dos jornalistas Alex e Fernando Cascudo, além de Colombo Campos.

Lieselotte Cornils e Lucy Tenório (Fotos: Reprodução do DP)

Era o segundo concurso promovido pelo Diário de Pernambuco. A Miss Pernambuco de 1955 foi Alba Souza Leão Carneiro que renunciou o concurso, seis meses depois, para casar com o oficial norte-americano Harry Richburg. Participaram do festival da beleza pernambucana Magali Janete de Almeida (Português), Lucy Oliveira Tenório (Cabanga), Nelbe Souza (Náutico), Telma Della Santa (Internacional), Zuleide Pereira Sá (Circulo Militar) e Lieselotte Cornils (Aero Clube de Pernambuco).

Magali Janete de Almeida e Nelbe Souza (Fotos: Reprodução do DP)

A comissão julgadora foi formada por Paulo Cabral, Valdemar de Oliveira, Mauro Mota, Álvaro Ferraz, Bibiano Silva, Lula Cardoso Ayres, Fédora Rego Monteiro Fernandes, Altamiro Cunha, Telma Vasconcelos, Alex e Leônidas Ramalho. Informação importante: As misses não desfilaram de maiô para o público, somente para os jurados. O buchicho era que Nelbe era a candidata de Alex e Liesellote a do famoso cronista social Altamiro Cunha.

Telma Della Santa e Zuleide Pereira de Sá (Fotos: Reprodução do DP)

O resultado foi divulgado nas primeiras horas do domingo. E ficou assim: terceiro lugar Telma Della Santa do Clube Internacional do Recife, no segundo lugar Lieselotte Cornils do Aero Clube de Pernambuco. E a vencedora foi a alvirrubra Nelbe Souza. Estava prevista que a primeira dama de Pernambuco Avany Cordeiro de Farias entregaria a faixa para a Miss Pernambuco, ela fez forfait.

Telma Della Santa, Nelbe Souza e Lieselotte Cornils (Foto: Acervo do blog)

Nos bastidores da Política

Nos 500 dias do governo do Presidente Jair Bolsonaro, todos os estados já contam com incremento para custeio para os leitos habilitados. O Ministério da Saúde divulga diariamente os casos diagnosticados, em acompanhamento, recuperados, óbitos e óbitos em investigação. Graças a um esforço conjunto de logística coordenado pelo Governo Federal, os brasileiros têm à mesa os produtos necessários para a sua subsistência e as entregas de bens e outros produtos chegam à casa dos brasileiros.

O presidente Jair Bolsonaro (Foto: AFP)

A Casa Civil lançou em abril o Plano de Contingência para Pessoas Vulneráveis destinado ao atendimento das pessoas mais suscetíveis aos impactos de saúde e socioeconômico do coronavírus e prevê, até junho de 2020, a destinação de R$ 4,7 bilhões para povos e comunidades tradicionais (indígenas, ribeirinhos, quilombolas e ciganos), idosos, populações em áreas urbanas vulneráveis (comunidades e Operação Acolhida), e em situação de rua e pessoas com deficiência.

Vera Lúcia Saba é a Miss GB 62

No dia 10 de junho de 1962, diante de um publico de 15 mil pessoas, no Maracanãzinho, a morena Vera Lucia Saba, do Clube Monte Líbano, foi eleita Miss Guanabara de 1962. Do alto de seus 18 anos, 1m70 de altura, 57cm de cintura, 92cm de busto e quadris Verinha que é mineira tem sangue alemão, árabe, húngaro, norte-americano, venceu 21 candidatas, e ainda foi eleita Miss Simpatia.

Alda Coutinho de Moraes enfaixando Vera Lúcia Saba (Foto: Manchete)

Vera Lucia Saba foi enfaixada pela Miss Guanabara de 1961, Alda Coutinho de Moraes. No segundo lugar ficou a amazonense Fátima das Neves Silva (Grajaú Tenis Clube), em 3º lugar Helga Mayer (Riachuelo), em 4º lugar Janete Batisti da Costa (Vila Isabel), em 5º lugar Miriam Machado Bellini (Bangu), em 6º lugar Claudia Souto (Fluminense), em 7º lugar Janete Passos Muniz (Botafogo), e em 8º luar Carmen Lucia Martinet (Renascença).

Fátima, Vera e Helga, Vera entre as sete finalistas (Fotos: Manchete / O Cruzeiro)

A comissão julgadora foi composta de Oscar Sanamaria, Eunice Modesto Leal, Ari Barroso, Accioly Netto, Maria Claudia (Correio da Manhã), Roldão Barbosa, o escultor Mateus Fernandes, Oscar Ornstein e Vincent Trotta. Para Maria Augusta da Socila a mulata Carmen Lucia Martinet (Miss Renascença) e Mercedes Grenbinski (Miss Caça e Pesca) foram as que melhores pisaram na passarela.

Vera Saba de vestido, maiô e Vestido (Fotos: Manchete)

Participaram do concurso as seguintes jovens Miriam Machado Bellini (Bangu), Sonia Regina Soares da Rocha(Lagoa Clube), Janete Passos Muniz (Botafogo), Neide Kastrup (A. A. Tijuca), Neide Toscano (Tatuis), Marly Barbosa (Olaria), Claudia Souto (Fluminense), Helena Crisaffe (Grajaú Country Club), Carmen Lúcia Martinet (Clube Renascença), Vera Lucia Saba (Monte Líbano), Lúcia N. de Sá (Campo Grande), Maria da Penha Perrota (ACC).

Helga Mayer desfilou debaixo de uma chuva de serpentina e papel picado (Foto: O Cruzeiro)

E finalmente Elianne Fróes (Sampaio), Ana Maria Vasconcelos (Clube Universitário), Mercedes Grebinski (Caça e Pesca), Maria do Carmo Airosa Ribeiro (America), Janette Batisti da Costa (Vila Isabel), Áurea Pereira (Sul-America), Tiana Maria Cipriano (Minerva), Helga Mayer (Riachuelo Tênis Clube), Fátima das Neves Silva (Grajaú Tenis Clube) e Fátima das Neves Silva (Grajaú Tenis Clube).

 

Notícias de Alagoas

A Agreste Saneamento segue adotando medidas emergenciais para controlar a qualidade da água captada na bacia do Rio São Francisco. O intenso volume das chuvas recentes e o rompimento de barragem que afetou o rio Ipanema têm contribuído para o aumento de vazão do São Francisco em Alagoas. Para se ter uma ideia, esta é a primeira vez desde o início da operação que há uma ocorrência desta magnitude.

O aumento da vazão traz, além da água, muitas impurezas e partículas em suspensão, o que é denominado tecnicamente como aumento na turbidez de água, e isto impacta diretamente na captação do recurso para o consumo humano. O cenário tem dificultado o tratamento da água captada e tratada pela Agreste Saneamento e entregue à Companhia de Saneamento de Alagoas para distribuição em dez municípios alagoanos, beneficiando mais de 400 mil pessoas.