Fernando Machado

Blog

Tag favoritas

Eloisa Menezes: Miss Distrito Federal de 1957

 

Pela primeira vez o Miss DF acontecia no Maracanãzinho (Foto: Manchete) 

No dia 15 de junho de 1957, Eloísa de Oliveira Menezes, Miss Caiçaras, era eleita Miss Distrito Federal. O evento foi realizado pela primeira vez no Maracanãzinho. As garotas enfrentaram uma passarela de 120 metros. Apesar das favoritas serem Maria Lourdes Monteiro, Miss Clube da Aeronáutica, que ficou em 3º lugar e Maria Helena Gioia, Miss Fluminense, que ficou em 2º lugar. Em 4º lugar ficou Norma Leitão, Miss Escola Nacional de Belas Artes e em 5º lugar Shirley Velasco, Miss Associação Atlética Portuguesa. Elas desfilaram de vestido de noite e de maiô Catalina. Tivemos também um desfile com as misses estaduais. Os apresentadores foram Paulo Mauricio e Lourdes Mayer.

Eloísa de Oliveira Menezes desbancou a favorita e belíssima Maria de Lourdes Monteiro (Fotos: O Cruzeiro e Manchete)

Participaram do concurso 16 candidatas Eloisa de Oliveira Menezes (Clube Caiçaras), Maria Helena Gioia (Fluminense), Maria de Lourdes Monteiro (Clube da Aeronáutica), Norma Leitão (Escola Nacional de Belas-Artes), Shirley Velasco (Associação Atlética Poruguesa), Myriam Barbosa (Flamengo), Jean Dore (Clube Militar), Ana Luisa Paes (Itauna), Wanilda Melo (AABB), Maria Nazareth Robert Pinto (IAPETC Clube), Liomar Queiroga (Marã), Maria Teresinha Pais (Madureira T.C.), Nelice Fachinetti (Leblon), Olyanei Braga (Clube Municipal), Cleia Ramos Porto (Vila Isabel), e Maria Alice Furianeto (Bangu).

As cinco finalistas Maria Helena, Eloisa, Maria de Lourdes, Norma e Shirley (Foto: O Cruzeiro)

O júri, por sinal não soube julgar, foi formado por Herbert Moses, Reinaldo Reis, José Amadio, Zacarias do Rego Monteiro, escultor Mateus Fernandes, Nelson Batista, senhoras Mena Fiala Yara Vargas DutraCarlos Machado, Edilson Varela, Francisco Olympio de Oliveira e Alfred BluhmEloisa que foi coroada pela belíssima Miss Distrito Federal de 1956, Leda Brandão Rau, tinha 21 anos, 1m65 de altura, 86 cm de busto, 97 cm de quadris. No Miss Brasil, Eloisa não ficou entre as cinco finalistas.

Maria de Lourdes Monteiro diante dos jurados que não souberam avaliar sua beleza (Foto: O Cruzeiro)

Martha Rocha: Miss Brasil de 1954

Manuel Bandeira quando entregava a faixa para Martha Rocha como Miss Brasil de 1954 (Foto: O Cruzeiro)

Há 64 anos, Martha Rocha era eleita no Quitandinha, em Petrópolis, no Rio de Janeiro, Miss Brasil de 1954, o primeiro concurso oficial de Miss Brasil. Participaram do conclave apenas seis candidatas Martha Rocha (Bahia), Patricia Lacerda (Distrito Federal), Dorama Cury Nasser (Goiás), Zaida Costa Saldanha (Rio de Janeiro), Lygia Carotenuto (Rio Grande do Sul) e Baby Lomani (São Paulo).

Beatriz, Zaida, Martha, Lygia, Patricia e Baby (Foto: Manchete)

O festival de beleza de 1954 foi promovido pelo Diário Carioca e a Folha de São Paulo e teve na comissão julgadora o poeta Manuel Bandeira, o artista plástico Santa Rosa, o romancista Armando Fontes, a escritora Helena Silveira, os jornalistas Fernando Sabino, Paulo Mendes Campos Pompeu Souza. Primeiro, as seis candidatas desfilaram de maiô e na seqüência de traje de noite.

Martha Rocha, Zaida Saldanha e Lygia Carotenuto (Foto: O Cruzeiro)

A vencedora representou o Brasil no concurso de Miss Universo de 1954 que aconteceu em Long Beach, na Califórnia, e voltou com o segundo lugar. O Miss Brasil de 1954 teve o seguinte resultado: Primeiro lugar ficou com a baiana Martha Rocha (1m70 de altura, 94cm de busto, 60cm de cintura, 100 de quadris); o segundo foi para Zaida Saldanha do Rio de Janeiro e o terceiro para Lygia Beatriz Carotenuto do Rio Grande do Sul.

Patricia Lacerda, Dorama Nasser e Baby Lomani (Foto: O Cruzeiro)

A carioca Patricia Lacerda que era uma das favoritas não gostou do resultado criou a maior confusão. Disse que teve marmelada porque ela era neta do escritor Coelho Neto, parece que Manuel Bandeira tinha certa mágoa dele. Como sempre não deu em nada. Patricia Lacerda virou atriz de cinema, mas sem muito sucesso.

As candidatas diante da comissão julgadora (Foto: O Cruzeiro)

Zaida Costa Saldanha tinha participado do concurso de Miss Distrito Federal e perdera para Patrícia Lacerda, mais um motivo para deixá-la furiosa. O fato é que Maria Martha Hacker Rocha do alto dos 1m70 de altura, 95 cm de busto, 60 cm de cintura, 100 cm de quadris, 58 cm de coxa, 21 cm de tornozelo, 57 kg e 21 anos, é para quem entende de Miss foi a Mulher do Século. Nunca mais houve uma miss como Martha Rocha.

O Renascença se exila das passarelas

A era de ouro do Clube Renascença nos concursos de miss termina em 1970, com Sônia Silva disputando com 27 outras candidatas a faixa de Miss Guanabara ficando em 3º lugar. Curiosamente nas duas ocasiões em que as mulatas do Rena conseguiram essa mesma colocação suas algozes foram coroadas Miss Brasil. Foi assim com Elizabeth Santos em 1966, que perdeu para Ana Cristina Ridzi e Sônia Silva que ficou atrás de Eliane Fialho Thompson. Outra coincidência: ambas eram louras.

A quarta da direita para esquerda Dirce Machado, Miss Renascença de 1960 (Foto: O Cruzeiro)

Polêmicas à parte, de concreto mesmo só o fato do Renascença se exilar das passarelas em definitivo e o Miss Guanabara perder o charme por não contar mais com a presença da torcida mais animada, calorosa e  barulhenta do Maracanãzinho. De 1960 quando elegeu sua primeira miss até 1970, a agremiação só não enviou candidatas em 1965 e 1969.

Iara Santos, Miss Renascença de 1961, é a quinta da direita para a esquerda (Foto: O Cruzeiro)

No primeiro caso a ausência teve como justificativa o sucesso internacional de Vera Lúcia Couto no Miss Beleza Internacional de 1964 motivando o início imediato das obras de reformas da sede, porque a agremiação tinha conquistado status atraindo ao quadro de associados uma parcela da então emergente classe média formada por profissionais liberais, construtores, intelectuais e artistas negros. Em 1969 alegação é que não tinham encontrado uma jovem em condições de repetir o sucesso das misses anteriores.

Miss Renascença de 1963 Aizita Nascimento e a terceira das cinco (Fotos: Manchete e O Cruzeiro)

Até porque as candidatas do Renascença eram aguardadas na maior expectativa pela mídia e o público em geral, e sempre eram apontadas como favoritas. Coincidentemente, Ilan Amaral, única mulata inscrita no Miss Guanabara de 1969 pelo Cacique de Ramos não ficou nem entre as oito finalistas. A mesma decepção ocorreu em 1968, quando o Renascença apostou todas as suas fichas em Ione Fernandes e ela ficou fora do top 4. Teve como principal adversária nada mais nada menos que Maria da Glória Carvalho, Miss Clube Monte Líbano, 3º lugar no Miss Brasil e única brasileira eleita Miss Beleza Internacional, no Japão.

Miss Renascença de 1964, Vera Lucia Couto, de maiô e vestido by Hugo Rocha (Fotos: Manchete)

Mas para falar dessas verdadeiras Deusas de Ébano que não precisaram de cotas para conquistar fama e sucesso não poderíamos omitir um personagem que incentivava e descobriu muitas delas no seu ambiente de trabalho. Falamos da cabeleireira Dinah Duarte, proprietária de um salão de beleza no Méier, vizinho ao Andaraí, onde até hoje fica a sede do Renascença. Dinah não foi a idealizadora do concurso Miss Renascença, todavia foi a responsável pela incorporação de inovações na parte social do clube.

Sandra Duarte, Elizabeth Santos (Miss Renascença de 66), Maria Elizabeth e Ana Cristina Ridzi (Foto: Manchete)

Era Dinah Duarte responsável pela preparação das candidatas. Foi ela inclusive quem produziu e acompanhou Vera Lúcia Couto dos Santos tanto nas fases estadual e nacional dos concursos como na viagem aos Estados Unidos onde participou do Miss Beleza Internacional na condição de Primeira Miss Brasil Negra, como a própria Verinha faz questão de dizer em todas as entrevistas.

Sonia Maria Aguiar, Miss Renascença de 1967 (Fotos: Divulgação)

Atualmente o Renascença promove eventos sócio-educativos e culturais em sua sede. Foi fundado em 17 de fevereiro de 1951 por um grupo de negros de classe média que, impedidos de ingressar em clubes tradicionalmente frequentados por brancos, resolveu criar uma agremiação onde as famílias negras pudessem se reunir e se confraternizar se divertindo num ambiente social e cultural em harmonia, onde não sofressem discriminação.

Sônia Silva, Miss Renascença de 1970 (Foto: Manchete)

O grupo era formado pelos advogados Oscar e Jandir de Paula Assis; os comerciantes Domingos e Idalina de Jesus Soares, além dos irmãos médicos Humberto e Diva de Oliveira, e Enedina Rodrigues da Silva. Em 1958 o clube foi transferido para a Rua Barão de São Francisco, no Andaraí, mantendo, valorizando e preservando suas tradições culturais, mas exilado das passarelas que imortalizaram suas misses e o consagraram internacionalmente. (Texto do missologo Muciolo Ferreira)

Brigitte Bardot visitou o Renascença em 1964 e foi recebida por Vera Lúcia Couto (Foto: Divulgação)

Miss Universo 2016

Todas as atenções desta noite estarão voltadas para a TNT que vai transmitir o 65º Miss Universo. O concurso será realizado no Mall of Asia Arena, em Psay, Manila nas Filipinas. Vão participar do evento 86 candidatas. Criado em 1952, em Long Beach, na California, em 1996 foi comprado pelo empresário Donald Trump, quando transferiu a sede para Nova Iorque. Há dois anos o concurso pertence a William Morris Endeavor.

Ieda Maria Vargas Miss Universo de 1963 (Foto: O Cruzeiro)

Nestes 65 anos de concurso o Brasil ganhou somente duas vezes. Em 1963 com a gaucha Ieda Maria Vargas e em 1968 com a baiana Martha Vasconcellos. A vencedora será coroada pela filipna e Miss Universo de 2015 Pia Wurtzbach. O mestre de cerimônia será Steve Harvey e a comentarista a modelo Ashley Graham. Das 86 candidatas passarão para 12 misses, que desfilarão de traje de banho.

Martha Vasconcellos Miss Universo de 1968 (Foto: Manchete)

Na sequencia serão elminadas três e as nove restantes voltam para o palco agora em traje de gala. Mais tres serão eliminadas e ficam seis para serem escolhidas tres. Estas serão entrevistas e dai sairá a vitoriosa. A comissão julgadora será formada pelas Misses Universo Dayanara Torres (1993), Sushmita Sen (1994) e Leila Lopes (2011), além de Mickey Boardman, Cynthia Bailey e Francine LeFrak.

Pia Wurtzbach Miss Universo de 2015 (Foto: Concurso)

Todos me perguntam quem são as favoritas e a vencedora, não quero opinar, porque a vitoriosa quem define não é o júri e sim a coordenação do evento. Os missologos mais aguerridos estão certos da vitória de Raissa Santana (Brasil). Apesar new look. Antes lembrava Elza Soares agora Whitney Houston, mesmo assim acho difícil. Suas pernas são horríveis, parece mais candidata de fitness.

Raissa Santana, Iris Mittenaere e Alena Spodynyuk querem ser Miss Universo (Fotos: Concurso)

Meu Top 10 é esse e pela ordem alfabética: Stefania Bernal (Argentina), Charlene Lestie (Aruba), Andrea Tovar (Colômbia), Iris Mittenaere (França), Kezi Warouw (Indonésia), Kristal Silva (México), Chalita Suansane (Tailândia), Sal Garica (Republica Dominicana), Jaytahi da Silva (Sri Lanka) e Alena Spodynyuk (Ucrânia).

  • 1 2